terça-feira, 31 de Julho de 2007

SC TOMAR EM CASA . UNIÃO FE FORA

Terminou há poucos minutos o sorteio da 2ª divisão, e o SC Tomar (Zona Norte) na 1ª jornada recebe o recem promovido Juventude Pacense num jogo agendado para dia 20 de Outubro às 18H00 no pavilhão Jácome Ratton, por sua vez o União FE (Zona Sul) desloca-se a Sesimbra para defrontar a equipa local com o jogo marcado para o mesmo dia e hora do jogo em Tomar.

O calendário pode ser consultado no site do "União Micaelense"

SORTEIO DA 2ª DIVISÃO NACIONAL

Realiza-se hoje pelas 18H00 na sede da FPP, o sorteio da 2ª divisão nacional, onde iremos ficar a saber qual o calendário das equipas ribatejanas, o SC Tomar na zona norte e o União FE na zona sul, se vier a confirmar-se a noticia anteriormente divulgada pelo site "Hóquei em Patins", e publicada neste espaço. O Cartão Azul divulgará o calendário das equipas ribatejanas assim logo que o mesmo seja conhecido.

UNIÃO FE NA ZONA SUL

De seguida transcrevemos a noticia divulgada no site "Hóquei em Patins"

«TURQUEL NA ZONA NORTE E UF ENTRONCAMENTO NA ZONA SUL
Segundo fonte próxima do clube do Entroncamento, este teria apresentado junto da federação um exposição, na qual demonstra que a sede do HC Turquel fica mais a Norte do que a sede do UF Entroncamento, esta exposição baseada em dados específicos e comprovados pela ultima tecnologia disponível é à partida a base de sustentação, para acabar com uma situação de erro que já decorria a alguns anos.
A mesma fonte fez questão de nos dizer também que a federação de Patinagem através do seu comité de hóquei em patins, já tinha detectado este erro e a verdade geográfica já estaria reposta, colocando assim a equipa de Turquel a disputar o Nacional da 2ª divisão, na zona Norte e o UF Entroncamento na zona Sul.»

sexta-feira, 27 de Julho de 2007

20 MIL VISITANTES

A poucos dias de completar cinco meses de existência e em pleno período de férias, o Cartão Azul atingiu a bonita soma de 20 mil visitantes. Foi um primeiro passo e para um caloiro nas andanças da blogsfera é uma meta que pensava não atingir tão cedo, mas ao atingir este patamar, aumentaram as responsabilidades e a noção de que cada dia que passa a exigência dos visitantes aumenta e o Cartão Azul tem de estar á altura, e sendo assim vamos continuar a divulgar a nossa modalidade em geral e a nível da APR em particular até que o Oceano Atlântico exerça o seu direito de escolha, e chame por mim. Obrigado a todos os visitantes e a todos aqueles que ajudaram o Cartão Azul a atingir esta meta.

quarta-feira, 25 de Julho de 2007

RAFAEL OLIVEIRA SELECCIONADOR NACIONAL FEMININO

RAFAEL OLIVEIRA ocupará o cargo de Seleccionador Nacional Feminino, a partir do final do próximo Campeonato da Europa, que se realiza entre os dias 18 e 22 de Setembro de 2007, em Alcorcon – Espanha. O seu Treinador-Adjunto / Preparador Físico será o Prof. João Calado.Os trabalhos de preparação e a competição, a cargo da Direcção Técnica Nacional, serão acompanhados por Rafael Oliveira, por forma à sua plena integração.


(in site FPP)

domingo, 15 de Julho de 2007

O CARTÃO AZUL VAI DE FÉRIAS

Caros visitantes durante esta quinzena o Cartão Azul vai estar a "banhos", sendo assim, sempre que possível e exista hotspot ou wireless disponivel o blog será actualizado no que concerne a comentários, ou noticias que entretanto surjam, até lá qualquer noticia que achem relevantes podem enviar para cartaoazul@gmail.com. Sem mais de momento o Cartão Azul deseja a todos os vistantes umas boas férias e espera continuar a merecer a vossa preferência.

SC TOMAR E UNIÃO FE NA ZONA NORTE

O Sporting de Tomar já sabia que a próxima época seria jogada a norte, o União ficou a saber ontem após o terminus do jogo GDS Cascais - AA Espinho, e sendo assim vamos ter as duas equipas ribatejanas a jogar na mesma zona.

HC BRAGA CAMPEÃO NACIONAL DA 2ª DIVISÃO

Ao vencer por 10-4 o S Alenquer B, o HC Braga sagrou-se campeão nacional da 2ª Divisão. Em relação ao jogo de apuramento promoção o AA Espinho empatou 2-2 em Cascais e conseguiu a vaga em aberto para a 1ª Divisão.

sábado, 14 de Julho de 2007

2ª DIVISÃO - O DIA D

Esta tarde tudo ficará decidido na 2ª Divisão Nacional, quem será o campeão nacional e vice-campeão, e quem os acompanhará na subida á 1ª Divisão. Pelas 18H30 em Braga, o Hóquei Clube tem a difícil tarefa de recuperar 5 golos de desvantagem que trouxe de Alenquer, cabendo á equipa do SAB gerir tão preciosa vantagem. O Jogo será dirigido pela dupla M. Fernandes e D. Carvalho do Porto. No quadro abaixo publicamos a sondagem efectuada durante a semana no que respeita á opinião dos nossos visitantes sobre "Quem será o campeão nacional da 2ª divisão"


Em Cascais pelas 18H00 e dirigido por J. Lucas (Madeira) e J. Vieira (Alentejo), terá inicio o jogo de decidirá quem sobe á 1ª divisão acompanhando o Alenquer e o Braga. A formação da AA Espinho parte em vantagem, fruto da vitória na 1ª mão por 4-2, um resultado positivo mas que não permite á equipa de Espinho, desconcentrações ou erros, ainda por cima que irá defrontar um Cascais motivadissímo e um pavilhão cheio de adeptos a torcer pela equipa da casa, que tenta regressar ao convivio dos grandes 20 anos depois da ultima presença na 1ª divisão. No quadro que se segue apresentamos o resultado da sondagem "Quem subirá á 1ª divisão


sexta-feira, 13 de Julho de 2007

7 MELHORES ATLETAS DE SEMPRE


- Venceu sete campeonatos nacionais e três Taças de Portugal em futebol
- Vestiu a camisola da Selecção em 13 ocasiões e marcou três golos
- Sagrou-se oito vezes campeão nacional de hóquei em patins
- Pela Selecção de hóquei realizou 128 jogos
- Seis vezes campeão do mundo e outras tantas da Europa – em 1947, 48, 49, 50, 52 e 56.
Jesus Correia nasceu em Paço de Arcos, a 3 de Abril de 1924. Aos 15 anos foi tentar a sua sorte no Belenenses, que era na altura o seu clube do coração. Foi rejeitado e começou a jogar futebol na sua terra natal em 1940. Desistiu pouco depois e começou a dedicar-se apenas ao hóquei em patins, também no Paço de Arcos.

O regresso ao futebol deu-se em 1943, quando foi contratado pelo Sporting. Era rápido, forte e com bom poder de remate e a partir de 1946 fez parte da mais lendária linha avançada do Sporting, os “Cinco Violinos”. Jesus Correia era o extremo-direito e tinha a seu lado Vasques, Peyroteo, Travassos e Albano. No entanto, nestes anos todos, Jesus Correia nunca tinha deixado de praticar hóquei em patins e no início da época 1952/53 a direcção do Sporting obrigou-o a optar por uma modalidade.

O atleta deu preferência ao hóquei. Assim, 10 anos depois de ter começado, Jesus Correia terminava a sua carreira no Sporting, com apenas 28 anos de idade. Venceu sete campeonatos (1944, 47, 48, 49, 51, 52 e 53) e três Taças de Portugal (1945, 46 e 48). Só no campeonato realizou 157 jogos e 130 golos pelo clube de Alvalade. Foi ainda internacional, somando 13 presenças e três golos na selecção nacional. Tentou voltar ao futebol em 1955, mas realizou apenas dois jogos pela CUF.

No hóquei em patins manteve-se sempre fiel ao Paço de Arcos e conquistou oito títulos de campeão nacional, todos os que o clube da linha venceu na sua história (1942, 44, 45, 46, 47, 48, 53 e 55). Era também uma figura da selecção nacional, pela qual realizou 128 jogos. Numa altura em que os Campeonatos do Mundo e da Europa se realizavam em simultâneo, conquistou seis títulos em cada competição, em 1947, 48, 49, 50, 52 e 56. Depois de ter terminado a sua carreira nos ringues, em 1956, Jesus Correia manteve-se ligado à modalidade e chegou a ser seleccionador nacional.
Conhecido no seu tempo por “Dois Amores”, Jesus Correia acompanhou sempre apaixonadamente a vida dos seus dois clubes, cada qual na sua modalidade. Grande exemplo de eclectismo ao mais alto nível do desporto português, Jesus Correia faleceu a 30 de Novembro de 2003. Não sem poucos meses antes ter merecido a honra de dar o pontapé de saída da inauguração do novo Estádio José Alvalade.


- Cinco títulos mundiais (1958, 60, 62, 68 e 74)
- Quatro títulos europeus (1959, 61, 63 e 65)
- Duas Taças Latinas (1953 e 65)
Fernando Adrião nasceu em Lourenço Marques, Moçambique, a 9 de Março de 1939. Jogou hóquei em patins em dois clubes da sua terra natal, o Clube Desportivo da Malhangalene e o Desportivo de Lourenço Marques. Pelo segundo clube sagrou-se duas vezes campeão português, em 1971 e 73, e, depois da independência de Moçambique, em 1975, fez parte da equipa tricampeã daquele país africano, em 1976, 77 e 78.

Apesar de nunca ter representado um clube português da “metrópole”, Fernando Adrião foi uma das maiores figuras da selecção nacional entre as décadas de 1950 e 1970. Foi capitão de equipa e representou o país em 136 ocasiões, com 135 golos marcados. Com as quinas ao peito venceu cinco Campeonatos do Mundo (1958, 60, 62, 68 e 74), quatro da Europa (1959, 61, 63 e 65) e duas Taças Latinas (1953 e 65). Foi ainda vice-campeão mundial em 1964 e 66, europeu em 1955 e venceu cinco vezes o prestigiado Torneio de Montreux, na Suíça.

As suas exibições dentro do ringue, feitas de virtuosismo e elegância, valeram-lhe um grande reconhecimento nacional e internacional, como prova a sua eleição para fazer parte do melhor “cinco” do século XX. Foi igualmente distinguido com a medalha de Mérito Desportivo (1960) e a medalha de Honra ao Mérito Desportivo (1999).
Terminada a carreira de jogador, foi treinador dos dois clubes que tinha representado como jogador e ainda do Dramático de Cascais, do Alenquer e Benfica e da Académica da Amadora. Destacou-se igualmente como secretário-geral do Comité Internacional de Hóquei em Patins (CIHR).
Fernando Adrião faleceu a 11 de Janeiro de 2006, aos 66 anos. Recentemente o Dramático de Cascais inaugurou, em sua homenagem, a Sala de Troféus Fernando Adrião, onde está exposto o espólio do antigo treinador do clube. A família Adrião continua ligada ao clube da linha de outra forma, pois o filho do antigo craque, Bruno, internacional moçambicano, é actualmente jogador do Dramático, depois de ter passado pelo Sporting, entre outros clubes.

quinta-feira, 12 de Julho de 2007

BRIAN STALLMAN NA J. OURIENSE

Está encontrado o substituto de Pedro Santiago que deixou a equipa da Juventude Ouriense, rumo ao HC Braga, Brian Stallman ex-SC Marinhense e titularissímo da selecção dos Estados Unidos que disputou o ultimo mundial em Montreux, chegou a acordo com a equipa de Ourém para a próxima época, fica assim colmatada a saída de Santiago e Bruno Aires do plantel Ouriense, ficando ainda por saber quem será o terceiro guarda-redes. Sendo assim Brian junta-se aos jogadores Bruno Pereira e Pedro Nobre (ex-Sporting de Tomar) e Ricardo Santos (ex-Sporting Marinhense). A pré época começa a 24 de Agosto sendo o principal objectivo a manutenção no escalão maior do hóquei patinado português, tendo como timoneiro Jorge Godinho que acumulará as funções de treinador-jogador.

quarta-feira, 11 de Julho de 2007

7 MELHORES ATLETAS DE SEMPRE

No âmbito da eleição das novas 7 maravilhas do mundo e das 7 maravilhas de Portugal, o jornal "O JOGO" organizou um inquérito para saber quais os sete melhores atletas de sempre em Portugal, e para tal o juri escolheu 21 desportistas, três dos quais praticantes de hóquei, e como era esperado António Livramento foi eleito um dos 7 com 50% de votação como se pode constatar no quadro do resultado do inquérito. Os outros dois representantes da modalidade foram Jesus Correia (14%) e Fernando Adrião (6%). Hoje o Cartão Azul irá publicar a biografia de António Livramento, publicando de seguida a dos outros dois grandes atletas e baluartes da modalidade





- Representou a Selecção 209 vezes, com 425 golos marcados
- Três vezes campeão do mundo e sete da Europa
- Considerado o melhor hoquista de todos os tempos
- Treinador do Sporting, o FC Porto, o Bassano (Itália) e a Selecção, com o mesmo sucesso.
António Livramento nasceu em São Manços, no concelho de Évora, a 28 de Fevereiro de 1943. Começou por jogar futebol no Venda Nova, de Lisboa, mas acabou por ser desafiado por Torcato Ferreira, então treinador de hóquei do Futebol Benfica, para experimentar a modalidade do stick e dos patins. Após alguma resistência inicial Livramento cedeu e causou tão boa impressão que em 1959, com 16 anos, foi contratado pelo Benfica. No mesmo ano estreou-se na selecção nacional e logo se sagrou campeão europeu de juniores, numa prova onde foi o melhor jogador e goleador.

A partir de 1961 tornou-se indiscutível na selecção principal, a qual representou até 1977. Nesses 16 anos venceu três títulos mundiais (1962, 68 e 74) e sete europeus (1961, 63, 65, 67, 73, 75 e 77). Realizou 209 jogos pela equipa nacional e marcou 425 golos. No Mundial de 1962, no Chile, marcou um golo à Argentina depois de ter levado a bola de uma baliza à outra e ter driblado a totalidade da equipa contrária. Essa e outras jogadas levaram a que Livramento ainda hoje seja considerado por muitos como o melhor hoquista mundial de todos os tempos.

A nível de clubes manteve-se no Benfica até 1974, com a excepção de 1971, ano em que representou o HC Monza, de Itália. Na Luz ganhou inúmeros títulos, incluindo sete campeonatos nacionais. Em 1975 e 76 representou a equipa do Banco Pinto & Sotto Mayor, onde era funcionário, e sagrou-se campeão da II Divisão. Em 1977 ingressou no Sporting, onde foi campeão nacional e venceu o título que lhe faltava no âmbito clubístico, a Taça dos Campeões Europeus. Em 1978 regressou a Itália, para alinhar no Amatori Lodi, mas voltou a Alvalade no ano seguinte, para terminar a carreira em 1980.

Abraçou de imediato a carreira de treinador no Sporting, onde conseguiu êxitos nacionais e internacionais, como a Taça das Taças e a Taça CERS. Treinou ainda o Turquel, o FC Porto e o Bassano, de Itália, alcançando vários títulos. Foi também, por vezes em acumulação com os cargos nos clubes, seleccionador nacional e levou Portugal a dois títulos mundiais (1982 e 1993) e três europeus (1987, 1992 e 1994).
António Livramento faleceu a 7 de Junho de 1999, vítima de um acidente vascular cerebral. A título póstumo foi condecorado com a medalha da Ordem do Infante D. Henrique.

5 IDEAL - O TREINADOR

Rafael Oliveira foi eleito pelos visitantes por esmagadora maioria de votos o seleccionador para a equipa ideal 2006/2007. O Cartão Azul tentou saber junto do treinador a sua opinião acerca desta sondagem, e o que a mesma representa para ele.
CA – Boa tarde Rafael Oliveira, foste eleito pelos visitantes do Cartão Azul, o treinador ideal para a selecção ideal da época 06/07 no que concerne a equipas ribatejanas, qual o teu comentário a respeito desta eleição?
RA –Antes de mais boa tarde para ti e para os leitores do teu blog, em relação à tua pergunta, entendo que estas votações via Internet e com a possibilidade de uma pessoa poder votar varias vezes, deixa sempre algumas reticências no ar, por isso devemos dar a isto só o valor que isto têm, agora não deixa de ser uma iniciativa interessante e pela qual estás de parabéns e se partirmos do principio que quem votou o fez de uma forma séria, então fico satisfeito, no mínimo por algumas pessoas acreditarem no meu trabalho, embora eu ache que na região e no activo existem pessoas tão ou mais competentes do que eu, só não falo em nomes para não ferir susceptibilidades.
CA – O que representa a mesma para ti enquanto treinador?
RA – Representa sempre um motivo de satisfação pessoal, mas também pelos vistos o é para mais pessoas, que não exitaram em dar o seu voto, significa que o meu trabalho enquanto treinador é respeitado e é do agrado das pessoas, pelo menos das que votaram em mim.
CA – Do leque de jogadores que foram eleitos pelos visitantes, achas que tinhas equipa para uma 1ª divisão a lutar pelo play-off final?
RA – Este grupo de atletas a trabalhar muito e bem, não tenho duvidas, que teriam de contar com eles para discutir um lugar nos play-off e com uma vantagem sobre muitos, que é a margem de progressão de alguns deles, a juntar à experiência muito importante de outros, esta equipa poderia morder os calcanhares a alguns clubes ditos fortes, mas teriam de trabalhar muito e como disse, muito bem.
CA – Como seleccionador (vamos chamar assim) farias alguma troca em relação aos jogadores eleitos pelos visitantes?
RA – Poderia alterar uma situação ou outra em função do momento de forma de cada um e do critério que fosse implantado, mas tendo em conta a forma como decorreu a época e o valor de cada um destes atletas, penso que esta seria a selecção ideal, podendo como já disse acrescentar um nome ou outro, mas sem tirar ninguém, diria antes que alargava a mais um ou dois jogadores o leque de escolhas, porque felizmente actuam no Ribatejo, jogadores de nível muito bom.
CA – Obrigado pelas respostas que ajudam a complementar a sondagem.
RA – Obrigado eu, Francisco e aproveito para desejar umas boas e merecidas férias aos atletas e a todos os que de alguma forma contribuem para que o hóquei em patins, continue presente nas nossas vidas e na dos nossos filhos, sem esquecer ninguém porque todos são importantes e apelando aos atletas jovens e sobretudo os mais velhos que saibam manter o corpo em condições para iniciarem bem os trabalhos no inicio da época e poderem com isso melhorar as suas performances e fazer com que o hóquei ribatejano seja ainda melhor.

terça-feira, 10 de Julho de 2007

PAULO BATISTA ABANDONA SELECÇÃO

Segundo informação divulgada há poucos minutos pelo site "Mundo do Hóquei" Paulo Batista já não é seleccionador nacional, sendo assim a primeira medida tomada após o Mundial realizado em Montreux e em que Portugal registou a pior classificação de sempre. Entretanto o site da FPP divulgou um comunicado do presidente Fernando Claro sobre a saída de Paulo Batista da selecção nacional que passamos a transcrever:
«SELECCIONADOR NACIONAL (10 Julho)
Informa a FPP que, por comum acordo, Paulo Batista deixa de exercer as funções de Seleccionador Nacional.
Esta decisão conjunta tem por base os condicionalismos desportivos surgidos após a realização do 38º Campeonato do Mundo, em Montreux - Suíça.
Importa neste momento expressar a forma empenhada e dedicada como Paulo Batista exerceu as suas funções, que merecem ser valorizadas.
Fernando Claro, Presidente»

ENTREVISTA DA SEMANA

Finda a época, há que começar a preparar a próxima, ainda por cima tendo sido uma época com bons resultados, á que olhar para a frente para tentar melhorar o que de bom foi feito, foi com este pensamento que o Cartão Azul foi de novo ao encontro de João Almeida, da SF Gualdim Pais para fazermos um balanço deste ano e tentar antever o próximo.
CA – Bom dia, e mais uma vez aqui estamos nós a falar de hóquei em geral e da Gualdim em particular, João em primeiro lugar como decorreram os Torneios “Roda Viva”?
JA – Correram muito bem, quer no plano desportivo quer no convívio entre as equipas participantes os objectivos foram completamente alcançados.
CA – Qual o balanço desta época que terminou, em que foram campeões de juvenis, com presença no nacional da próxima época, e vice-campeões de juniores?
JA – Esta época decorreu para a Gualdim Pais da melhor forma possível pois a juntar à vitória no campeonato de juvenis, o 2º lugar alcançado pela equipa de Juniores permite-nos considerar que os nossos objectivos iniciais foram mesmo ultrapassados pois a equipa de juniores, além de um plantel muito curto que incluía três juvenis, tinha a maioria dos seus elementos com idade de júnior a estudar fora de Tomar, não podendo por isso efectuar treinos de conjunto. Fizemos vários jogos esta época sem um único treino de conjunto, e só com o excelente espírito de grupo existente nesta equipa foi possível alcançar este 2º lugar no campeonato regional frente a equipas que dispunham do seu plantel durante a semana
CA – Como está a Gualdim neste momento a nível de escolas/formação?
JA – A formação começa neste momento a tentar retomar a normalidade após um largo período em que andámos com a casa às costas, ocupando vários espaços fora de Tomar. Isto criou-nos grandes dificuldades, e se os jogadores mais velhos as superaram com a sua força de vontade e o espírito de grupo, já a formação se ressentiu destes anos sem condições de trabalho
CA – Agora, os juvenis, estando presentes no nacional, em principio na zona Sul onde irão defrontar as equipas de Lisboa e Leiria (equipas sempre muito fortes), quais os objectivos traçados para esta 1ª fase?
JA – Os objectivos serão os mesmos que esta equipa já teve nas suas outras participações em provas nacionais e passam por obter a melhor classificação possível chegando ao fim com uma equipa unida e se possível mais forte. Logicamente que sabemos que iremos encontrar equipas muito mais fortes do que as que encontrámos no campeonato regional e que o Ivo é uma baixa de peso, mas só temos que, nas vitórias e nas derrotas poder sair de campo com a sensação de dever cumprido.
CA – O facto de esta equipa ser constituída maioritariamente por jogadores de 2º ano, pode ser um factor que abone a favor da mesma, mas a continuidade nos nacionais depende também de uma equipa de iniciados que neste momento não existe, como tencionam contornar esta situação, no caso da manutenção nos nacionais?
JA – Isso parece-me ser uma situação que, infelizmente, se põe com alguma frequência no nosso distrito e não só neste escalão. Como é sabido já tem acontecido a equipa vencedora não ter escalão para disputar o nacional após vencer o distrital, mas essa parece-me ser uma das diversas adversidades por que passa o hóquei.
CA – Continuando nos juvenis, e como falamos anteriormente quando da apresentação dos Torneios “Roda Viva”, o Ivo sobe a júnior, e fala-se que poderá ser reforço dos juniores do Sporting de Tomar, já na vertente de uma integração progressiva nos seniores, e também que a Gualdim tenta a vinda de dois reforços do União, como se costuma dizer “não confirma, nem desmente” ou vamos falar disso?
JA – O Ivo será um reforço do Sporting na próxima época e na Gualdim Pais jogarão os jogadores que o pretendam fazer desde que partilhem do espírito existente na Gualdim Pais.
CA – Já que estamos em clima de suposições, fala-se também da formação de uma equipa de seniores, aproveitando os juniores e alguns jogadores que foram da Gualdim e tiveram passagem pelo União, como por exemplo o Loic, o Rivotti, e o Simões. Vamos ter a Gualdim a disputar a 3ª divisão?
JA – A Gualdim Pais vai participar com uma equipa de seniores no campeonato da 3ª divisão. Esta equipa será formada pelos nomes que indica na pergunta, pelos juniores que disputaram este ano o campeonato regional e será orientada pelo Hélder que acumulará o cargo de treinador com o de jogador. À semelhança da época finda a maioria destes jogadores estão a estudar longe de Tomar, o que causará naturais dificuldades, mas acreditamos na força de vontade destes jovens.
CA – Para terminar uma pergunta que de certeza muitos visitantes também gostariam de fazer, como são as relações com o Sporting de Tomar, e que tipo de rivalidade existe entre este dois emblemas da cidade de Tomar?
JA – Considero que as relações com o Sporting de Tomar são as relações normais entre clubes de uma cidade com a dimensão de Tomar. Considero que se conseguiu atenuar em campo alguns comportamentos que lamentávamos mas que por vezes aconteciam. Espero que o futuro permita melhorar ainda mais estes comportamentos, pois o hóquei, e Tomar, só têm a ganhar.
CA – João Almeida, mais uma vez obrigado pela disponibilidade, e o Cartão Azul, fica á espera de novidades vindas da Gualdim, e o desejo de umas boas férias, o merecido “descanso do guerreiro”
JA – Obrigado pela oportunidade e aqui lhe deixo um abraço com os votos de felicidades para o futuro deste blog .

domingo, 8 de Julho de 2007

TREINADOR DE BANCADA

Faltam dois jogos para acabar a época, um dos quais com muita importância para as gentes do Entroncamento em geral, e do União em particular, irão para norte, ficarão a sul, sábado logo se verá. Por cá os patins já estão pendurados, os sticks arrumados, as caneleiras, peitilhos e luvas lavadas e os capacetes limpos enfim está o hóquei de férias, agora praia, campo, torneios de 3x3 não interessa, apetece gritar bem alto “ESTOU DE FÉRIAS”, e eu subscrevo essa frase, vou dar férias á minha bancada e sentar-me á beira mar, beber umas minis “Sagres” (passo a publicidade), deitar-me nas areias deste país que o Atlântico abraça, mas antes de me levantar da minha bancada para a limpeza e arrumação que necessita, olho para traz e vejo uma época positiva para as equipas ribatejanas, a Juventude Ouriense manteve-se no escalão maior do nosso hóquei, o Tomar e União conseguiram a manutenção na 2ª divisão, tendo o Tomar feito uma época muito boa (2º na 1ª fase, e 4º na 2ª fase), o Santa Cita esteve quase a subir mas faltou a estrelinha da sorte na liguilha, os Tigres, Corujas e Rio Maior, fizeram um campeonato á imagem do que já nos habituaram, apesar dos Tigres se terem assumido como candidatos á subida, não tendo conseguido o objectivo. Caros visitantes antes de vos desejar boas férias gostaria de saber a vossa opinião a respeito da prestação das equipas ribatejanas e se acharam a época positiva. Sem mais desejo a todos umas boas férias e tenciono voltar á minha bancada lá para Setembro, já bem bronzeado e com as baterias carregadas para a próxima época, que espero que seja de contentamento e sucesso para as equipas da APR.

sábado, 7 de Julho de 2007

HC BRAGA VÊ TITULO POR UM CANUDO

O S Alenquer B venceu copiosamente o HC Braga por 7-2 na 1ª mão do apuramento do campeão nacional da 2ª divisão, partindo assim para o jogo do próximo fim de semana como claro favorito á conquista do titulo em disputa. No apuramento promoção a AA Espinho recebeu e venceu o GDS Cascais por 4-2, depois de ter estado a vencer por 4-0, adiando assim deste modo a decisão para sábado em Cascais.

2ª DIVISÃO NACIONAL

Disputa-se hoje a 1ª mão do apuramento do campeão nacional da 2ª divisão e do apuramento subida, em relação ao campeão o favoritismo vai para a equipa da cidade dos arcebispos, fruto da época que realizou tanto a nivel de campeonato como de taça de Portugal, já no apuramento promoção o favoritismo é repartido por ambas as equipas, constituidas por bons executantes, sendo o factor casa aquele que poderá desiquilibrar. Em relação ao apuramento subida o mesmo será decisivo para a equipa do União em virtude de o clube do Entroncamento ir ocupar a vaga do vencedor, e de sabermos aliás como foi dito neste espaço pelo presidente do clube, que a preferência vai para a zona sul, como tal todos os "unionistas" estarão a torcer pelo GDS Cascais.

sexta-feira, 6 de Julho de 2007

FÉRIAS EM PORTUGAL

Pedro Antunes, ribatejano radicado há muitos anos na Suiça, e até Janeiro deste ano responsável pela selecção de juniores helvética, e próximo treinador da Juventus de Montreux, equipa que tenciona colocar no escalão maior do hóquei patinado suíço, encontra-se a gozar as merecidas férias de verão no país que o viu nascer. O Cartão Azul encontrou-o ontem á noite no pavilhão Albano Mateus, para uma "jogatana" com os veteranos do União, trocámos umas ideias acerca do hóquei, da prestação da selecção portuguesa no mundial e fica a promessa para todos os visitantes de em breve publicarmos uma entrevista com este treinador ribatejano que tem elevado bem alto o nome de Portugal por essas terras frias da Suiça, onde iremos falar do passado, presente e futuro, não esquecendo a selecção nacional que Pedro Antunes acompanhou a par e passo durante o ultimo mundial, aquele que já foi apelidado de o "Mundial do nosso descontentamento". Para terminar resta a Cartão Azul desejar ao Pedro Antunes continuação de boas férias em terras lusitanas, e um bom regresso á Suiça.

5 IDEAL - 3ª FASE

Após ter pedido aos visitantes para escolherem o 5 ideal de cada clube (1ª fase), apresentou o resultado dessa 1ª fase, tendo na altura solicitado aos visitantes que escolhessem um "suposta" selecção distrital (2ª fase), agora e após analisados os resultados o Cartão Azul apresenta a 3ª fase. De salientar que em relação ao dados colocados na coluna "Clube 07/08", são aqueles que o Cartão Azul dispunha quando da análise dos resultados, como tal poderão eventualmente estar errados, ou vir a estar errados. Para terminar pedimos a todos os visitantes que de todos os treinadores ribatejanos no activo ou não escolham aquele que seria o técnico ideal para esta equipa.

quinta-feira, 5 de Julho de 2007

2ª DIVISÃO - ÉPOCA 2007-2008

Quando falta apurar o campeão nacional (S Alenquer B ou HC Braga), e a equipa que os acompanha (GDS Cascais ou AA Espinho), as zonas Norte e Sul estão praticamente definidas, a unica duvida reside no facto do União Futebol Entroncamento ir ocupar a vaga deixada pelo vencedor da liguilha de subida, ou seja se o GDS Cascais for o vencedor a equipa do Entroncamento fica na zona Sul, se for a AA Espinho o União fica na zona Norte. Quanto ao SC Tomar irá realizar a próxima temporada na zona Norte. Ficamos então a aguardar a decisão do jogo entre os segundos classificados que tem a 1ª mão este sábado em Espinho para sabermos onde "encaixa" o União.

quarta-feira, 4 de Julho de 2007

ENTREVISTA DA SEMANA

O Cartão Azul, deslocou-se á maravilhosa Ilha de São Miguel, nos Açores para falar com José Júlio Soares, acerca da época da equipa do Santa Clara, da sua presença no Mundial em Montreux e ainda a opinião sobre as equipas ribatejanas.
CA – Boa tarde em primeiro lugar, obrigado pela disponibilidade, como decorreu a época do Santa Clara?
JS – Muito boa tarde, eu é que agradeço a vossa atenção. Considero a época no Santa Clara bastante satisfatória tanto ao nível individual, onde tive prestações que ajudaram o grupo como também ao nível colectivo uma vez que o objectivo inicialmente traçado foi alcançado logo na primeira fase da competição.
CA – Tendo conseguido a permanência ao vencer num pavilhão tradicionalmente difícil (Turquel), o Santa Clara apareceu na prova seguinte Sul “A” a jogar diferente, e a não conseguir traduzir em vitórias algumas boas exibições que realizava, o que se passou?
JS – Realmente a vitória em Turquel, com o pavilhão completamente cheio e as duas equipas a necessitar dos pontos foi um verdadeiro hino ao hóquei espectáculo. Para nós foi uma grande vitória, merecida, de todo o grupo que mostrou humildade, querer, raça e união. Quanto aos jogos da segunda fase, de antemão todos éramos conscientes das limitações do nosso plantel. Tinhamos um plantel que assentava essencialmente em 4/5 jogadores, que foram “exprimidos ao máximo” na primeira fase, com as consequências que isso pode ter no desempenho de uma prova como esta. A título de exemplo nesta segunda fase entre lesões e sanções técnicas unicamente em 2 jogos conseguimos ter o plantel completo. Em boa medida isso explica os resultados menos positivos da fase seguinte.
CA – Ainda falando da Série Sul “A”, como vê as equipas do SC Tomar e do União do Entroncamento?
JS – O Tomar tradicionalmente é um clube que consegue formar bons plantéis e por isso não fez uma campanha que pessoalmente considere de extraordinária ou surpreendente, tendo estado a um nível esperado. Já o Entroncamento surgiu quanto a mim como uma das agradáveis revelações da prova. Para além de terem bons executantes tanto a nível técnico como táctico mostraram uma garra e humildades tremenda que muito teve a ver certamente com o sucesso da equipa.
CA – Nos encontros com o União os jogos foram sempre equilibrados, e o Santa Clara nunca conseguiu vencer, aliás 3 vitorias tangenciais da equipa do Entroncamento e um empate, será que a estrelinha da sorte pendeu sempre para o lado do União, ou ter-se-á passado algo mais?
JS – Entre outros motivos tais como o factor sorte, como refere ou outros que mencionei anteriormente, julgo que no nosso íntimo, sobretudo no primeiro jogo, subestimamos o valor da equipa do Entroncamento. Nos dois jogos fora o Entroncamento acabou por fazer valer o factor casa até porque têm um recinto tradicionalmente complicado até pelas suas características.


CA – Em Montreux foi um dos jogadores mais em foco na selecção Moçambicana, quer fazer um comentário acerca da vossa participação, tendo em conta a manutenção no grupo A.
JS – A participação no Mundial teve um saldo muito positivo. A nível individual consegui alcançar o meu espaço na selecção, tendo conseguido marcar golos que ajudaram decisivamente a selecção e o meu país a alcançar uma posição de destaque no panorama do hóquei mundial. No aspecto colectivo, apesar de começarmos bastante mal com uma derrota frente aos Estados Unidos, acabamos por ser uma das surpresas da prova acabando no 9º lugar, a frente de equipas que têm feito um trabalho muito regular nos últimos anos a nível de selecção tais como a Inglaterra, o Chile ou Andorra.
CA – O que achou da selecção Portuguesa, até pelo facto de a terem defrontado na fase de grupos, estando inclusive a vencer por 2-0, e tendo marcado mais golos nesse jogo do que em todos os outros já efectuados?
JS – É fácil criticar opções quando elas não resultam. Agora o certo é que dentro das nossas portas só nós é que sabemos o que lá vai e os porquês de optarmos por determinadas opções em detrimento de outras. O valor de cada elemento da selecção portuguesa inclusivamente da sua equipa técnica é inquestionável pelo que não vou se quer tecer quaisquer tipo de considerações sobre a campanha menos positiva neste mundial. No que a nós respeita, mostramos que tínhamos um grupo com valor e que se calhar com uma pontinha mais de sorte poderíamos ter feito um pouco melhor. Honramos a camisola e o país que representamos. Aliás o feed-back que obtivemos desde Moçambique foi precisamente nesse sentido do reconhecimento da nossa entrega.
CA – A Espanha foi um justo vencedor?
JS – A Espanha foi claramente um justo vencedor. Possui uma equipa jovem mas muito experiente e apesar de possuir atletas de valor individual inquestionável fazem valer de uma forma brilhante o colectivo.
CA – O 2º lugar da Suiça, foi mero acaso, ou acho que está a dar frutos o trabalho que está a ser feito por terras helvéticas, sem esquecer o dedo do português Pedro Antunes que foi treinador de sete dos jogadores da equipa Suiça enquanto juniores?
JS – Apesar de terem jogado o Mundial com o factor casa a seu favor, onde tiveram um apoio massivo por parte dos seu adeptos, pessoalmente acredito que este resultado não surge por acaso um acaso do destino mas antes se trata de um merecido prémio a todo um trabalho que vem sendo desenvolvido nos últimos anos pelos diferentes agentes desportivos muito em particular os próprio jogadores que acreditaram sempre na possibilidade de fazerem um brilharete como anfitriões desta prova e naturalmente sobressai também o valoroso contributo de Pedro Antunes ao longo destes anos.
CA – Para terminar, o futuro passa pelos Açores, ou vamos vê-lo a defender outro emblema na próxima época?
JS – De momento, até porque me encontro a terminar a minha licenciatura em Serviço Social, o futuro passa pelos Açores e pelo Santa Clara, onde terei a oportunidade de participar num projecto aliciante que visa a médio prazo para além de estabilizar a equipa na segunda divisão nacional trabalhar com grande afinco a formação desportiva, moral e social dos nossos atletas mais jovens e aproximar o nosso hóquei aos adeptos do clube e demais população da ilha.
CA – Obrigado, felicidades para a sua vida desportiva tanto a nível de clube como a nível de selecção.
JS – Em nome do Clube Desportivo Santa Clara, da Federação Moçambicana e em meu nome obrigado pela atenção que nos foi prestada. Desde já faço votos que continuem com este trabalho magnífico que tanta falta faz ao nosso hóquei. Felicidades.

terça-feira, 3 de Julho de 2007

7ª CLINICAS DE VERÃO

Valter Neves - S.L. Benfica - Ricardo Barreiros - S.L. Benfica - Pedro Afonso - S.L. Benfica emprestado ao Candelária para 07/08 - Tiago Resende - Candelária - Gonçalo Suissas - ex. Paço de Arcos - 07/08 na Juventude Viana - Nelson Ribeiro - ex. Paço de Arcos - 07/08 no Porto Santo SAD vão estar presentes nas 7ªs Clínicas de Verão de Hóquei em Patins e no 1º Torneio 3x3 Clínicas de Verão, aproveita esta oportunidade para te inscreveres, vem jogar e aprender com os teus ídolos.
Informamos também que o prazo da pré-inscrição para as 7ªs Clínicas de Verão foi alargado até ao dia 12 de Julho e a inscrição para o 1º Torneio 3x3 Clínicas de Verão pode ser feita até dia 19 de Julho.Devido às novas parcerias que foram realizadas ultimamente, foi possível alterar o valor da inscrição do Torneio 3x3 para 50 € por equipa , bem como as promoções das Clínicas + Torneio 3x3 (ver pág. das Clínicas).

7º TORNEIO RODA VIVA - JUNIORES

Numa organização da SFG Pais e com a participação das equipas da AE Física de Torres Vedras, BIR, A. Juventude Salesiana e Gualdim Pais disputou-se no fim-de-semana de 23 de Junho o 7º torneio Roda Viva. A participação do BIR, da AE Física de Torres Vedras, equipas que disputaram esta época o campeonato nacional, tendo conseguido a manutenção, e da A. Juventude Salesiana, vencedora do campeonato distrital de Lisboa, deixava antever que se poderia assistir a bons jogos durante o torneio e quem esteve presente no pavilhão Cidade de Tomar não saiu desiludido com o nível que as equipas presentes deram ao torneio. Jogos muito disputados, com o resultado a ser disputado até ao apito final, trouxeram a este torneio a incerteza quanto ao seu vencedor final.
Nos jogos realizados no período da manhã, Gualdim Pais e BIR venceram os seus opositores garantindo a presença no jogo de disputa do 1º lugar.
À tarde a AEF de Torres Vedras venceu a A. Juventude Salesiana por 6-3 e no jogo que decidia o 1º lugar a Gualdim Pais impôs-se ao BIR por 5-3 num jogo em que a equipa da casa foi sempre superior ao seu adversário.
Os jogadores da Gualdim Pais Filipe Almeida e Ricardo Rosa receberam os troféus de melhor jogador e melhor guarda-redes, sendo o melhor marcador o jogador Micael, do BIR.

Resultados
SF Gualdim Pais 2 – A.E. Física de Torres Vedras 1
BIR 6 – A. Juventude Salesiana 3
A.E. Física de Torres Vedras 6 - A. Juventude Salesiana 3
SF Gualdim Pais 4 – BIR 3

Classificação
1º Gualdim Pais
2º BIR
3º A.E. Física de Torres Vedras
4º A. Juventude Salesiana

segunda-feira, 2 de Julho de 2007

A OPINIÃO DE NELSON FILIPE

Faltava conhecer a opinião de Nelson Filipe sobre o "Clinic" do SC Tomar, ele que juntamente com Edo Bosh transmitiram os seus conhecimentos aos jovens guarda-redes que no pavilhão Jácome Ratton se juntaram naquela manhã de sábado.
CA - Como decorreu o “Clinic” do Sporting de Tomar no passado dia 23 de Junho?
NF - Acho que foi bastante positivo. Apesar do tempo ter sido escasso, os atletas mostraram muita receptividade e empenho. Por isso, acabou por ser positivo e produtivo.
CA - Aspectos positivos e negativos?
NF - Como aspectos positivos realço a entrega dos miúdos e a vontade de aprender. A organização esteve impecável assim como as condições disponibilizadas.
O único aspecto negativo residiu no pouco tempo disponível. Não se conseguem milagres num dia. Mas dado que era impossível fazer em mais dias, acabou por ser uma experiência muito boa, inclusive para mim.
CA - Perante 60 atletas de vários escalões da AP Ribatejo, deu para ter uma ideia do ponto em que se encontra a formação ribatejana?
NF - A nível de guarda-redes, aqueles com quem mais convivi, notou-se um problema geral na modalidade. A falta de recursos técnicos e pouco domínio dos princípios de base, como a patinagem. Este não é um problema da AP Ribatejo, mas sim um problema do hóquei português em geral. Há que mudar a ideia de que “o guarda-redes é aquele que não tinha muito jeito para jogar a frente.” É preciso desenvolver um trabalho específico ao longo das camadas jovens, para que dominem várias técnicas e possam ter uma formação completa. É um trabalho contínuo. E para se dar essa formação há que recebê-la. Para isso nada melhor que aproveitar o conhecimento de guarda-redes como o Edo. Se eu aprendo muito todos os dias com ele, é certo que outros terão muito a aprender com ele também, sempre que a oportunidade se proporcionar.
CA - É uma experiência para repetir, nestes moldes, ou pensa que para se tirar maior rendimento da mesma, serão necessários mais dias?
NF - Para haver maior rendimento, a experiência teria que ter mais dias. Num dia, torna-se complicado trabalhar com tantos miúdos e esperar que eles assimilem o que tentamos transmitir. Mas como não é fácil arranjar mais tempo, sempre que for possível fazer experiência do género desta, acaba por ser um “mal menor”.
CA - Algum conselho que queira deixar aos jovens patinadores que participaram no evento, e a todos os outros que visitam o Cartão Azul?
NF - Para terem sucesso precisam de trabalhar muito. Os atletas que eles admiram chegaram ao topo dessa forma. E nunca desanimem, porque um dia mau hoje não significa um dia mau amanhã. Há que trabalhar para que seja cada vez melhor. Aliado a isso precisam de se divertir a jogar hóquei. Não é uma obrigação, é um prazer.

UNIÃO PELA VOZ DO PRESIDENTE

Terminada a época de 2006/2007, o Cartão Azul falou com o presidente do União Futebol Entroncamento, o Dr. Vítor Frutuoso, para saber das novidades para a próxima época.
VF – Em primeiro lugar gostaria de agradecer ao cartão azul o respeito e a idoneidade que tem demonstrado pelo hóquei em geral e pelo União em particular, facto que contribuiu para aceitar conceder esta entrevista.
CA – Boa tarde, em primeiro lugar qual o balanço da época que acabou de findar?
VF – Assumi a direcção do UFE em meados de Janeiro, pelo que não fui responsável, nem pelo planeamento, nem pelos objectivos traçados, para as diversas secções e respectivos escalões. Por este facto não me é fácil definir se o balanço é positivo ou não. Contudo, existem situações que são de inegável importância e que nos permitem ficar bastante satisfeitos, como por exemplo, a equipa sénior de hóquei em patins garantir ainda na 1ª fase do campeonato a manutenção directa na 2ª Divisão Nacional assim como termos sido campeões nacionais de patinagem artística, por clubes, no escalão de juniores, são feitos nunca antes alcançados na história do clube e que me enche de orgulho. No entanto existem situações, principalmente do ponto de vista organizacional que temos de ultrapassar e que, em alguns casos se traduz numa diminuição da importância que os escalões de formação da disciplina de hóquei em patins têm no contexto regional e nacional, pelo que, será aqui que vamos conjugar esforços para revitalizar essa área e dar-lhe a vitalidade e importância de outrora. Temos a consciência de termos um longo trabalho pela frente, mas com a certeza que os resultados irão começar a surgir e funcionarão como natural gratificação pelo empenho.
CA – Saídas e entradas de jogadores é normal nesta altura, quais as novidades no União, sabendo nós que pelo menos o Marco Bento já assinou pelo Santa Cita?
VF – È um facto que o Marco Bento está de saída, desejo-lhe as mais sinceras felicidades, estando o clube sempre disposto a ajudá-lo, assim como o atleta já nos ajudou.Saídas apenas mais uma, a do guarda-redes Guilherme, que por opção pessoal do atleta não fará parte do plantel para a próxima época.Entradas apenas duas, João Mendes (médio/avançado) e Kaká (guarda-redes), ambos ex-Sp. Tomar e apenas 2 porque do meu ponto de vista o plantel existente é muito bom dando as garantias necessárias para cumprir o objectivo pretendido, que passa por garantir a manutenção na 2ª Divisão Nacional. Não esquecendo o regresso de Pedro Sousa um jogador importante para o clube.
CA – José Ventura vai manter-se á frente da equipa técnica do União?
VF – O Sr. José Ventura não se vai manter à frente da equipa técnica do União.
CA – O União depende do resultado do jogo entre os segundos classificados para saber se fica na zona Sul ou zona Norte, se a zona Norte a nível financeiro é mais dispendiosa, a zona Sul, tem muitos históricos do hóquei, Paço d’Arcos, HC Sintra, Física, Oeiras, se pudesse escolher por qual zona optaria?
VF – Certamente na sul, pelo facto de não ser tão oneroso do ponto de vista financeiro e também porque é um privilégio para o União jogar com esses clubes históricos, dando uma excelente oportunidade para que os nossos jovens jogadores mostrem o seu imenso valor.
CA – Objectivos para a próxima época?
VF – Já o descrevi, claramente garantir a manutenção na 2ª Divisão Nacional, facto a ser alcançado será mais um marco na história do clube, 2 anos consecutivos nesta divisão.
CA – Quais os escalões de formação que o União irá ter para a próxima época?
VF – O União irá ter os escalões de Bambis, 2 equipas de Benjamins, Escolares, Iniciados e Juniores.
CA – Tem-se comentado que alguns jogadores da equipa de juvenis desta época estão de saída, para o Gualdim Pais e Sporting de Tomar, confirma ou tudo não passa de desinformação própria desta época?
VF – Não confirmo, é natural que se fale nisso, pois tenho a consciência que estes jovens são do melhor que existe ao nível do hóquei em patins, neste escalão, pelo que com toda a certeza serão cobiçados e qualquer clube gostaria de os ter a representar as suas cores, no entanto, são do União, foram formados aqui, e será aqui que irão triunfar, é para isso que trabalhamos e que queremos apostar em dar as melhores condições possíveis, eles merecem.
CA – Quer deixar alguma informação que ache pertinente para os sócios do clube, visto que se tem presenciado durante os jogos no Pavilhão Albano Mateus, bastantes vozes discordantes em relação ao momento que o clube está a atravessar.
VF – Aos sócios uma palavra muito especial, de respeito e apreço, respeito pela opinião de cada um, que merece a minha melhor atenção, apreço por estarem presentes e mostrarem apoio à Instituição.Às vozes discordantes o meu pedido pessoal; que aguardem tranquilamente e tenham a paciência necessária para ver o clube ressurgir com vitalidade e assumir-se no contexto regional e nacional como nos tempos áureos, principalmente nos escalões de formação, para isso é necessário caminhar com inteligência dando um passo de cada vez, garantindo que estou pessoalmente empenhado no cumprimento deste objectivo.
CA – Obrigado pela disponibilidade e boa sorte para a próxima época.
VF – O União é que agradece todo o contributo que o cartão azul tem dado e possa dar para divulgar a Instituição e as suas actividades. Obrigado e continuem com este excelente desempenho, e o União estará sempre disponível a colaborar.

domingo, 1 de Julho de 2007

A OPINIÃO DE EDO BOSH SOBRE O "CLINIC"

Depois de conhecidas as opiniões de Filipe Santos e João Lapo sobre o "Clinic", é agora a vez de ficarmos a conhecer a opinião do guarda-redes Edo Bosh, sobre o evento que decorreu em Tomar.
CA - Como decorreu o “Clinic” do Sporting de Tomar no passado dia 23 de Junho?
EDO - Acho que foi uma experiência muito positiva, ainda que foi pouco tempo para poder explicar e praticar mais as coisas.
CA - Aspectos positivos e negativos?
EDO - Sem duvida alguma o entusiasmo e a entrega dos miúdos e o factor positivo numero um, a organização e as instalações forem outro ponto positivo. Respeito a os pontos negativos, só posso dizer que em um só dia e difícil conseguir algum resultado. Agora estou convencido que esta foi uma experiência que a de crescer e passar a ser muitos mais dias pq os miúdos merece e o hóquei também.
CA - Perante 60 atletas de vários escalões da AP Ribatejo, deu para ter uma ideia do ponto em que se encontra a formação ribatejana?
EDO - Eu só posso falar dos guarda-redes, e acho que falta um bocado de trabalho técnico com eles. Uma coisa e certa, isto e um problema do hóquei em Portugal. E só com clinics como este e que podemos trabalhar para melhorar. Temos de conseguir que os miúdos sejam guarda-redes com os máximos recursos técnicos possíveis e não só guarda-redes estáticos.
CA - É uma experiência para repetir, nestes moldes, ou pensa que para se tirar maior rendimento da mesma, serão necessários mais dias?
EDO - Acho que seria muito melhor que fossem mais dias, para que os miúdos tivessem tempo para assimilar melhor as coisas.
CA - Algum conselho que queira deixar aos jovens patinadores que participaram no evento, e a todos os outros que visitam o Cartão Azul?
EDO - Joguem sempre a este desporto com a mesma vontade que mostrarem no clinic pq a parte de colher frutos no futuro o hóquei precisa de gente com este entusiasmo.

2ª DIVISÃO SUL "A" - RESULTADOS

O Sporting Tomar goleou o GDS Cascais por 5-1 no ultimo jogo da série Sul "A", num jogo onde a equipa nabantina provou o seu valor e deixou os espectadores presentes com a duvida senão teria sido possivel chegar mais longe, mesmo assim o 4º lugar é sinónimo de um campeonato tranquilo e de boas indicações para a próxima época. O União foi a Oeiras perder por 9-5 concluindo o campeonato no 9º lugar com os mesmos pontos do Boliqueime que foi 8º. O Alenquer que venceu o Santa Clara por 5-2 sobe á 1ª divisão, ao passo que o GDS Cascais irá defrontar a AA Espinho 2º classificado da série Norte "A", para discutar o lugar em aberto para a subida.