segunda-feira, 8 de Setembro de 2008

NOVO PROJECTO PARA OS TIGRES

O HC “Os Tigres”, tem desde 18 de Agosto, novos corpos gerentes, e Carlos Taborda preside á direcção do clube Almeirinense. O Cartão Azul deu um salto até á Capital da Sopa da Pedra, para junto do novo presidente da popular colectividade Ribatejana, saber que projectos irão surgir, quais as novidades a nível da equipa sénior e quais os escalões de formação que irão representar as cores azuis e brancas.
CA – Boa tarde, em primeiro lugar obrigado pela disponibilidade. Como encontrou os Tigres?
CT – Boa tarde, encontrei os Tigres no âmbito financeiro, como penso que quase todos os clubes que vivem dos ditos subsídios e das ajudas das empresas da região ou seja com muitas dificuldades, na vertente desportiva com alguns problemas de ordem orgânica em virtude dos diferentes escalões se encontrarem a ser geridos separadamente e sem um projecto de base.
CA – Quais as prioridades desta direcção?
CT – As prioridades passam pela criação de um projecto com vista ao saneamento financeiro do clube e ao mesmo tempo na vertente desportiva a captação de jovens ao mesmo tempo criar condições ao desenvolvimento do clube para a curto prazo voltar a ter os vários escalões de formação em competição.
CA – Projectos a médio e longo prazo? O que é que esta direcção tem em mente?
CT – Os projectos passam por colocar o clube no panorama Hoquista, quer no âmbito da formação, quer no da competição, projectando novamente o clube quer a nível distrital, quer nacional, sendo necessário para isso dar inicio a um projecto que em primeiro lugar passa pela captação de jovens e posteriormente a criação de condições para que se mantenham no clube até aos seniores, em relação à equipa sénior será criar bases sólidas em termos desportivos/financeiros, para quiçá a médio prazo poder lutar par subir à segunda divisão que penso ser o lugar em que deveria estar o Hóquei Clube “Os Tigres”.
CA – Vamos agora falar das equipas, e começando pelos seniores, a equipa perdeu o treinador/jogador João Graça, o Mário Almeida (ambos ingressaram no S Alenquer B), o Peralta que vai para os Corujas. Quem será o técnico para a próxima época e quais os reforços?
CT – O clube não perdeu esses elementos, foram apenas jogadores que por razões que de forma alguma irei comentar, quiseram trocar os Tigres por outros clubes, neste momento o projecto passa por criar bases em que a médio prazo possamos estar e como anteriormente mencionei a disputar a subida de divisão, referente ao Treinador esta época será Nuno Duarte, treinador experiente e que será por certo uma mais-valia no projecto que passa pela reorganização em termos desportivos e de formação do Hóquei Clube “Os Tigres”, como reforços iremos contar com dois jogadores que jogaram no S. Alenquer e por confirmar um guarda-redes.
CA – Quais os objectivos delineados para esta época?
CT – Os objectivos são começar a desenvolver uma equipa competitiva com espírito lutador, mas respeitando sempre os adversários e o publico, será importante que as pessoas voltem a ver uma equipa a praticar um bom hóquei e que revejam nos jogadores uma equipa e não um conjunto de jogadores de hóquei e por certo penso que os resultados iram aparecer.
CA – Começam as competições oficiais com uma deslocação aos Açores para defrontar o União Micaelense para a Taça de Portugal, como está a ser encarado este jogo, tanto na vertente desportiva como financeira?
CT – Na vertente desportiva será um jogo em que os Tigres iram entrar para ganhar, no entanto devido ao curto espaço de tempo entre o inicio dos treinos e a realização do jogo será por certo um jogo mais importante para criar a tal equipa que esta direcção tem como objectivo, na vertente financeira é mais uma despesa adicional que o clube tem de suportar e que vem aumentar as dificuldades que o clube vive.

CA – Vão disputar a série C, com os “suspeitos” do costume, BIR, HC Lourinhã, Santa Cita, o União Micaelense (obrigado a subir, para não descer) e os despromovidos Lobinhos e Vialonga. Arrisca-se a fazer um prognóstico? Onde se encaixam os Tigres neste lote de candidatos.
CT – Não faço prognósticos, mas certo que com um lote de equipas tão competitivo, só virá reforçar o mérito do lugar que espero que o clube venha a ocupar, no entanto também irá dar mais experiência aos nossos jogadores que por certo se irá reflectir no bom desenvolvimento competitivo da equipa e assim criar as tais condições a curto ou médio prazo para voltar a ver os Tigres na 2ª Divisão.
CA – Quando tanto se fala na alteração dos modelos competitivos e onde as equipas Insulares reclamam á luz da Constituição “igualdade no tratamento” pois acham-se vitimas de discriminação e de não competirem em “pé de igualdade” com as equipas Continentais (e eu acho que tem razão na maioria das reivindicações), o que acha do caso do União Micaelense que se vê obrigado a subir de divisão, para não descer aos Regionais, ao passo que as restantes equipas que não subam seja qual for a classificação, não descem.
CT – Isto tudo passa pela falta de sensibilidade de quem esta nos lugares de decisão, é mais fácil decidir pelo carácter economicista do que se criar condições para que o desporto como o hóquei volte a ganhar a projecção nacional que já teve há alguns anos.
CA – Deixando os seniores de lado, que escalões de formação irão esta época representar os “Tigres”?
CT – O Tigres este ano e iniciando o projecto desportivo iremos ter Benjamins, Escolares, Infantis e Iniciados.
CA – Um clube como os Tigres de onde saíram atletas talentosos que representaram e representam outras formações Ribatejanas como é o caso do Tito, Alberto e Gonçalo que representaram o União FE, o Rodrigo (HC Santarém e Alenquer), o Bernardo Neves (Sporting CP, SL Benfica, FC Alverca), o João Esteves, o Alexandre Serralheiro entre outros, obriga a questionar o porquê destas saídas todas, e olhando de soslaio para estes jogadores que referi, juntos nos Tigres era equipa de nacional. Qual a sua opinião?
CT – Como sabe nessa altura não fazia parte do clube, no entanto e não querendo fugir á pergunta, isto é o resultado da tal falta de um projecto consistente entre os diferentes escalões e ao facto estarem cada qual a ser gerido quer desportivamente, quer financeiramente individualmente e por fim o tal desaparecimento do nome do Hóquei Clube “Os Tigres” na rota dos nacionais.
CA – Quer deixar alguma mensagem aos adeptos e simpatizantes dos Tigres?
CT – Aos adeptos do Hóquei Clube “Os Tigres”, deixo uma mensagem de que futuramente iremos criar condições para que os jovens da nossa terra voltem a praticar a modalidade que tantas alegrias deu à cidade e aos adeptos e que voltem a encher o pavilhão vibrando com as vitórias do nosso clube.
CA – Mais uma vez obrigado pela disponibilidade, e o espaço é seu para transmitir alguma informação aos visitantes do Cartão Azul em geral e aos amantes da modalidade em particular.
CT – Eu é que em meu nome e da direcção do Hóquei Clube “Os Tigres” agradecemos a disponibilidade e o espaço concedido para apresentarmos o nosso projecto de futuro para o clube.

3 comentários:

Anónimo disse...

Um projecto ambicioso sem duvida, mas até que ponto e de que forma vão garantir a sustentabilidade financeira? E a CM Almeirim apoia o projecto? E as dividas das anteriores direcções (se é que existem) esta direcção assume?

São perguntas que gostaria de ver respondidas.

Um Almeirinense em Lisboa

Anónimo disse...

Á direcção do Hoquei Clube os Tigres desejo um optimo trabalho e muita força de vontade, que consigam concretizar o projecto a que se propõem e que levem o clube que carinhosamente "me acolheu" durante 3 anos ao sucesso desportivo.
Cumprimentos à direcção

Raquel Romão

Anónimo disse...

Este NUNO DUARTE veio donde? So se foi das camadas jovens de qualquer lado porque a nivel de seniores não conheço.