domingo, 31 de Agosto de 2008

TREINOS DE INICIAÇÃO NO PAREDE FC

Tem inicio no dia 06 Setembro 2008 os treinos de iniciação ao Hóquei em Patins, no Parede FC. O popular clube da linha tenciona assim proporcionar a prática da modalidade aos muitos jovens da zona por um lado, e começar a prospecção de jovens talentos por outro.
Os treinos realizam-se no Pavilhão da Escola Fernando Lopes Graça (ao lado do Pingo Doce) na Parede, todos os Sábados e Domingos das 9:00h ás 11:30h.

Fonte:
Blog Parede FC

sábado, 30 de Agosto de 2008

FOTOS ANTIGAS OU CURIOSAS

Maior stick do Mundo foi construído em 2003

Em 2003, Oliveira de Azeméis foi palco do Campeonato do Mundo de Hóquei em Patins no qual Portugal se sagrou campeão mundial pela 15ª vez. E, para assinalar o evento, foi construído o maior stick de hóquei do Planeta. Com 17,25 metros de comprimento (15 vezes maior do que o tamanho real) e 1.600 quilos de peso, o stick esteve um mês em exposição no Parque das Nações, em Lisboa. Este stick demorou 35 dias a ser construído.

In Jornal “Record”, edição de dia 21 de Agosto de 2008

sexta-feira, 29 de Agosto de 2008

PROF. JORGE LOPES JÁ ESCOLHEU

O Professor Jorge Lopes, Seleccionador Nacional de Juvenis, já escolheu os 10 atletas que irão representar a nossa Selecção no Europeu de Sub 17 a realizar em Bassano Del Grapa – Itália entre 08 e 13 de Setembro. O SL Benfica Campeão Nacional de Juvenis é a equipa mais representada com 4 atletas, FC Porto com 3, Sporting CP, GD Sesimbra e AA Coimbra com 1 atleta, são as outras equipas representadas.
João Coelho (GR), Pedro Vaz, João Silva, João Beja (SL Benfica); João Silva, César Fidalgo, Telmo Pinto (FC Porto); Gonçalo Alves (Sporting CP); Diogo Rodrigues (GR) (AA Coimbra) e Bruno Fuzeta (GD Sesimbra) são os eleitos para tentar conquistar o troféu.

Em paralelo com o estágio e o Europeu os jovens atletas Portugueses criaram uma página onde podemos acompanhar o dia a dia da nossa Selecção, pode ser visitado aqui.

Pode acompanhar também todo o desenrolar do Europeu Sub 17 através do site oficial da prova que pode ser consultado aqui.


PORTO SANTO SAD ARRANCA DIA 01

O Plantel da equipa principal da PORTO SANTO SAD começa a treinar dia 01 de Setembro, no Pavilhão da Escola Fernando Lopes Graça, na Parede, onde realizará sessões de treino bi diários, preparando a participação em diversos jogos particulares e também alguns torneios de pré época. Destaque-se a presença no torneio da J. Pacense, a realizar nos dias 13 e 14 de Setembro e no qual a SAD defrontará a equipa espanhola do Liceo da Corunha. Relembre-se que as entradas dos atletas Miguel Dantas e Gonçalo Favinha, a par das saídas de Nelson Ribeiro e Pedro Ramos foram as únicas mexidas no plantel, mantendo-se os demais jogadores e equipa técnica, liderada por Carlos Pires, reforçando-se o corpo clínico com a entrada de Nelson Lages, Fisioterapeuta integrante do GIFD.
Pode ficar a conhecer o plantel completo da equipa da Ilha Dourada aqui.

Fonte:

quinta-feira, 28 de Agosto de 2008

ALCOBACENSE FORA DO NACIONAL

Aquilo que se previa, após o anúncio da saída de várias jogadoras, aconteceu mesmo. A Associação Alcobacense de Cultura e Desporto (AACD) não conseguiu reunir condições humanas (jogadoras) nem financeiras para se poder inscrever no Campeonato Nacional Feminino na temporada 2008/09. A reunião decisiva realizou-se na véspera da data limite para o fim das inscrições dos clubes na principal prova do hóquei patinado feminino português.

Clube histórico no hóquei feminino
Quando há duas épocas atrás (2006/07), o Alcobacense terminou o Campeonato Nacional Feminino em 2º lugar, ninguém imaginaria este desfecho. Com hóquei feminino desde 1992, o Alcobacense somou 10 presenças no Campeonato Nacional.

Pode ler a reportagem completa num trabalho de Nelson Alves, do site MundoOK, aqui.

Nota:
Transcrição parcial da noticia publicada a 23/08/08 no site Mundo OK

quarta-feira, 27 de Agosto de 2008

UNIÃO FE NOS ANOS SETENTA

O Cartão Azul publica um pouco da história do União Futebol Entroncamento nos anos 70, em fotografias gentilmente cedidas pelo Sr. Ricardo Barral. O Clube da cidade dos comboios fundado em 31 de Dezembro de 1928, continua, oitenta anos depois a levar o nome do Entroncamento por esse país fora, e a ser uma referência no hóquei patinado ribatejano e nacional, sempre "Sorrindo ás dificuldades".

ÉPOCA 1971
Em cima da esquerda para a direita: Manuel Cipriano (Seccionista), Victor Canavilhas, Carlos Lagos, Alfaro, Evaristo, Canaverde, Victor Bertelo (Seccionista).
Em baixo da esquerda para a direita: Raul Maneta (Jogador/Treinador), Saboga, Medinas, João Maria Vaz

ÉPOCA 1972
Em cima da esquerda para a direita: Piriquito, Evaristo, Lagos, Camarinhas
Em baixo da esquerda para a direita: Canaverde, Saboga, Medinas

ÉPOCA 1974
Em cima da esquerda para a direita: Piriquito, Canaverde, Lagos, Conde
Em baixo da esquerda para a direita: Vital II, Saboga, Grancho, Serra

ÉPOCA 1975
Em cima da esquerda para a direita: Malato (Massagista), Serra, Lagos, Canaverde, Evaristo, Félix Carvalho (Treinador)
Em baixo da esquerda para a direita: Camarinhas, Grancho, Saboga, Vieira

ÉPOCA 1976
Jogo na época de 1976 para o campeonato nacional da 2ª Divisão, em que o UFE defrontou a equipa do Sottomayor onde na altura jogava António Livramento.

Para terminar fica o desafio aos visitantes para identificarem os jogadores que faziam parte desta equipa do União, e qual teria sido o resultado deste jogo.

terça-feira, 26 de Agosto de 2008

DIREITO À RESPOSTA

Árbitro Paulo Carvalho
nº 52, Nac. B.

Venho por este meio efectuar um esclarecimento, em relação à noticia publicada a doze de Agosto do corrente ano, às 15 horas, no vosso site (Cartão Azul), cujo o titulo se designa por "Aposta na prata da casa", Hóquei Clube de Turquel, tendo neste momento dez comentários. Sendo que um deles é atribuído ao Paulo Carvalho de Turquel.
1º - É completamente falso que seja um post da minha autoria, tendo alguém usado abusivamente o meu nome.
2º - Só soube destes comentários no dia 24 de Agosto, após ter sido questionado por um amigo, que me telefonou a perguntar se aquilo era meu!
Mas qual foi meu espanto, pois desconhecia o assunto na totalidade e até o meu amigo ficou estupefacto.
3º - No dia três de Agosto ausentei-me do país (Portugal), para as minhas merecidas férias, tendo regressado no dia 23 de Agosto.
4º - Quem tenta denegrir o meu nome enquanto pessoa e árbitro, só vai conseguir que eu seja mais popular e muito, muito mais forte.
5º - Aqueles que comentam noticias sem saber se são realmente da pessoa identificada no post, dou-lhes um conselho, falem primeiro com o visado e ataquem só depois.
6º - Irei enviar este email ao Sr. Presidente do CNAHP, do CRAHP de Leiria e da ANAHP, para terem conhecimento desta situação, que é extremamente inaceitável e inqualificável.

Para terminar quero manifestar o meu reconhecimento ao site "Cartão Azul", o excelente trabalho em prol do Hóquei em Patins ribatejano e também nacional, o qual nada tem haver com situação em causa, pois o post está assinado abusivamente " Paulo Carvalho de Turquel, Árbitro de Hóquei em Patins de nacional B.

Os melhores cumprimentos, desejando a todos uma época de sucesso.

Paulo Carvalho.

STELLA MARIS 08/09 "ARRANCA" DIA 01

Tem inicio no próximo dia 01 de Setembro a época 2008/09 para a equipa do Stella Maris. A equipa de Peniche que irá disputar a 3ª divisão série C, será um dos adversários das equipas dos Corujas, dos Tigres e do Santa Cita. Luís Marques treinador da equipa tem como reforços para a nova época André Azevedo (ex-Alenquer), Michel (ex-Lourinhã) e Emanuel (ex-Fisica). De momento desconhece-se quais os jogos de preparação a efectuar, podendo no entanto adiantar que a estreia oficial será dia 27 de Setembro em Peniche frente ao SCM Aljustrelense em jogo para a pré-eliminatória da Taça de Portugal. Na 1ª jornada da 3ª divisão o Stella Maris desloca-se ao arquipélago da Madeira para defrontar o São Roque.
É este o plantel á disposição de Luís Marques:

GUARDA-REDES
André Azevedo (Ex Alenquer); João Marques; Carlos Fernandes
JOGADORES DE PISTA
João Gonçalves; Tiago Fonseca; Luís Pina; André Cardoso; Alexandre Fonseca; Luís Calado; Michel (Ex Lourinhã); Emanuel (Ex Física Torres); Frederico Pacheco (Juvenil); Carlos Jesus (Juvenil); Carlos Louro (Juvenil)
QUADRO TÉCNICO
Luís Marques (Treinador); Agostinho Silva (Massagista); António Rodrigues; Carlos Fonseca; Fernando Pacheco e João Ginja (Seccionistas)

Fonte:
Blog C Stella Maris

segunda-feira, 25 de Agosto de 2008

MIGUEL CUNHA NO CIDADE DE TOMAR

“A Associação faz pouco para que os clubes que já tiveram hóquei em patins voltem a praticar a modalidade”
CT – Quando já está perto o regresso ao trabalho, que balanço faz da época passada?
MC – Ao nível dos resultados, não foi uma época onde conseguimos atingir o objectivo a que nos propusemos.
CT – Que era...?
MC – Em primeiro lugar a subida de divisão. Mas a nível do trabalho em si, e da evolução do grupo enquanto equipa, penso que foi uma época bastante importante. O grupo evoluiu no sentido positivo e, nesse aspecto, o clube ganhou bastante.
CT – O que é que falhou?
MC – Alguma consistência nomeadamente nos jogos em casa. Faltou também um pouco de sorte, mas fundamentalmente faltou consistência nos jogos em casa. O Santa Cita acabou por não subir de divisão fundamentalmente por causa dos jogos em casa. Mas também houve mérito das outras equipas. A 3ª Divisão está cada vez mais forte, cada vez tem mais jogadores que recentemente militavam na 2ª e até na 1ª Divisão. Já não é um campeonato onde haja resultados muito desnivelados. Aconteceu que a equipa mostrou pouca consistência em alguns jogos em casa.
CT – O triunfo no Torneio 4 Regiões veio provar o valor da equipa?
MC – O Torneio 4 Regiões não tinha todas as equipas que disputaram o campeonato, mas mesmo assim foi um triunfo inequívoco. Talvez a equipa precisasse de assimilar outros processos, e, nesse aspecto, penso que com a minha entrada, a equipa começou a ter mais cuidado com a defesa, coisa que normalmente não tinha. Era uma maneira de estar do anterior treinador, que nós sempre respeitamos. Era uma equipa muito ofensiva, mas muitas vezes descurava a rectaguarda. Nesta parte final da época a equipa melhorou no aspecto defensivo e conseguimos um feito importante para o clube. Os atletas mereciam ganhar, pelo trabalho feito até longo da época.
CT – É já a segunda ou terceira tentativa falhada...
MC – O Santa Cita é um clube que tem sempre dificuldades em fazer o plantel, porque cada vez há menos apoios. Ainda há uma grande distância entre os Seniores e os Iniciados, que é o escalão mais alto de formação que temos. Não podemos recorrer aos Iniciados para jogar. Já recorremos mas apenas para os treinos. Uma equipa que quer subir tem de ter o apoio na rectaguarda , sobretudo num clube como o Santa Cita, que não tem possibilidades financeiras para ir buscar jogadores que realmente desequilibrem. Temos de recorrer a jogadores com qualidade daqui da zona. Mas sabemos que estamos sempre sujeitos às opções de outros clubes que têm mais poderio financeiro.
CT – Nomeadamente as três equipas da 2ª divisão...
MC – Exactamente, o Sp. Tomar, a Juv. Ouriense e o U. Entroncamento, sobretudo nestes últimos anos. Apesar de tudo, temos um grupo de jogadores com alguma qualidade, que gostam do clube, absorvem o que o clube tem de bom e acabam por ficar. Não tenho duvidas que há no Santa Cita jogadores que tinham lugar nos planteis dessas equipas da 2ª Divisão. Tem qualidade para isso. No final da época vieram buscar dois jogadores importantes, o melhor marcador e o jogador que recuperava mais bolas, e não foram mais porque realmente eles gostam de estar em Santa Cita. O “Zig” também foi sondado para o Alenquer. É um jogador com potencial e que, na época passada, com o Rafael, “explodiu” imenso.
CT – A estrutura à volta das equipas é suficiente?
MC – É a possível. Sabemos que Santa Cita é uma aldeia pequena. Cada vez os jovens de Santa Cita têm de procurar trabalho noutros centros e acabam por ser sempre as mesmas pessoas à volta do clube. Felizmente esta época, para além do meu pai (presidente Barroca da Cunha) e do Sr. Vítor Lopes, conseguimos arranjar mais alguns seccionistas. A maior parte são os pais dos miúdos que dão uma ajuda preciosa ao clube, mas mesmo assim são poucos. Não faltou apoio, eu também dei uma ajuda enquanto coordenador, mas foi um esforço muito grande para as duas pessoas que referi, que já tem alguma idade e saturação, e têm sobre os ombros toda a estrutura do clube. Espero que no futuro haja mais colaboradores.
CT – Mas há uma estrutura mínima para a 2ª Divisão?
MC – Sim há uma estrutura mínima. E penso que se conseguisse-mos subir à 2ª Divisão, haveria certamente mais pessoas á volta do clube. Mas temos de ir vivendo com o que temos.
CT – Na próxima época vão tentar de novo a subida?
MC – Vamos tentar de novo sabendo que perdemos dois jogadores muito influentes na equipa. Fomos buscar dois jogadores que estavam parados (Pedro e Rui Nunes). São dois atletas com qualidade, mas que estavam sem competir há algum tempo. O Nuno Dias também fez uma época no Sp. Tomar praticamente sem jogar. O Tiago, que eu conheço bem, embora não fosse titular era muitas vezes utilizado no União. Vamos lutar pela subida como fizemos nestas ultimas épocas.
CT – No entanto, a equipa tem uma estrutura base já feita...
MC – Temos uma estrutura base que já tem vindo a trabalhar junta há algum tempo, mas tive muita pena pela saída do Marco e do David, pois já tínhamos trabalho feito. Foram opções deles e temos que respeitá-las e desejar-lhes boa sorte. Vamos tentar colocar de novo o Santa Cita na 2ª Divisão que é o patamar que merece estar por tudo aquilo que tem feito pelo hóquei nos últimos anos. E os jogadores merecem jogar na 2ª Divisão, pois tem qualidade para isso.
CT – Se pudesse, em que sector reforçaria o plantel?
MC – Os treinadores normalmente estão sempre insatisfeitos. Neste momento penso que faltaria um jogador com características de finalizador. Temos alguns que fazem essa posição, mas não são jogadores com essas características. Mesmo assim, temos qualidade no plantel para fazer golos.
CT – Como é que os sócios vivem o clube nesta altura?
MC – Neste aspecto, a equipa sénior conseguiu uma vitória na época passada, mérito do Rafael e de todo o grupo de trabalho. O Pavilhão de Santa Cita teve um numero de assistência aos jogos bastante bom, e não só dos Seniores. Houve um grande incentivo, houve muito mais pessoas a ver os jogos de hóquei.
CT – É também o coordenador da formação, que está já a dar frutos...
MC – Na próxima época não vamos ter equipa de Juvenis. E o André Conde, que é juvenil de 1º ano e que teve convite do Sp. Tomar para integrar a equipa de Juvenis, entendeu, e os pais também, que tem condições para subir à equipa senior. Tem envergadura física, tem qualidade, mas vai ser um ano de aprendizagem para ele. É motivo de orgulho termos na equipa sénior um jogador proveniente da nossa formação. Tendo em conta o numero de atletas temos feito um trabalho extraordinário. Há atletas a serem cobiçados, e alguns já se transferiram para outros clubes. O Ricardo Marrucho foi para os juvenis do Sp. Tomar, é um jogador com um potencial enorme. Temos o Êrnani, que foi fazer treinos ao Benfica e queriam que ele ficasse lá. É a prova de que temos trabalhado bem. Mas há outros jogadores com qualidade nas camadas jovens e, no futuro, se continuarmos a trabalhar assim, poderemos tirar bons frutos. Temos uma equipa técnica com qualidade, no caso o Rui Oliveira e o “Zig”, e, em principio também vamos ter o Nuno Nobre...

CT – Quantos atletas tem na formação actualmente?
MC – Nesta altura temos perto de 40 atletas, desde a iniciação à patinagem até aos Iniciados.
CT – É difícil fazer o recrutamento...
MC – É, porque aqui à volta há muitas actividades, outros desportos... Santa Cita é uma aldeia pequena e há poucos jovens. Felizmente têm aparecido alguns interessados em praticar hóquei. Temos recrutado jovens na freguesia da Asseiceira, mas também de outros sítios... O clube tem boas condições de treino, bons técnicos, e os pais já perceberam que isso é sinónimo de evolução e de qualidade.
CT – No futuro o Santa Cita poderá viver apenas da formação?
MC – No futuro imediato, não. Mas daqui a algum tempo, a médio prazo, sim. É para isso que estamos a trabalhar, e foi por isso que eu o ano passado aceitei o convite para coordenador do hóquei no Santa Cita. Temos uma coisa muito importante, que é o pavilhão, que é nosso. Nesta época tivemos os Iniciados a treinar quatro vezes por semana, coisa que aqui na zona se calhar poucos clubes podem fazer. Se continuarmos a trabalhar desta forma, mais cedo ou mais tarde podemos ter uma formação forte.
CT – Metas...?
MC – Continuamos a formar bons jogadores. Não temos como meta principal ganhar campeonatos distritais, porque muitas vezes para conseguir isso têm de se queimar etapas na formação, o que é prejudicial. Por outro lado, ganhar os distritais significa disputar o nacional e dar outro nível de competição aos atletas. Mas o Santa Cita nunca terá muitos jogadores. Nos Iniciados, por exemplo, com a vinda de um jogador de Tomar é que passamos a fazer convocatória. Mas aí, já falei com o Paulo Beirante, vamos procurar cada vez mais fazer um intercâmbio entre os clubes, entre o Sp. Tomar e o Santa Cita. Ainda não está posto em prática, porque há alguma resistência por parte dos pais. O Sp. Tomar tem muitos jogadores e alguns não conseguem jogar com assiduidade. Os pais tem de perceber que é melhor para os filhos irem para onde possam jogar e evoluir. Talvez ainda não se tenham apercebido que aqui em Santa Cita há bons técnicos e condições iguais ou melhores que as do Sp. Tomar. Quando esse protocolo tiver instituído, e espero que o Sp. Tomar esteja aberto a isso, penso que os dois clubes tem muito a ganhar com isso. Por exemplo o Ricardo Marrucho, um jogador de qualidade que foi cobiçado por outros clubes, e de acordo com os pais achámos que era melhor para ele ir um ano para o Sp. Tomar já a tentar fomentar este protocolo. Se eventualmente houver possibilidade de ele regressar, regressa, se não continuará no Sp. Tomar. Se houver um bom entendimento, isso vai reflectir-se nas equipas seniores dos dois clubes. Na formação por exemplo, se um destes clubes atingir os nacionais, poderão ir jogadores de Santa Cita para Tomar ou vice-versa, e assim fazem uma equipa muito mais forte. E os jogadores mais fracos terão oportunidades de jogar e evoluir. Se um jogador ficar limitado só a um clube muitas vezes não tem possibilidades de evolução. Esta época, o Santa Cita tinha no escalão de Infantis seis ou sete jogadores e acabou por ser o 2º classificado. O Sp. Tomar tinha dois ou três jogadores que não jogavam e que, se tivessem vindo para o Santa Cita, poderiam ter evoluído. Por outro lado, o Sp. Tomar, quando jogasse com o Santa Cita, teria mais competição e, por isso, mais andamento no campeonato nacional. Assim, fez um distrital à vontade e depois revelou alguma falta de andamento no campeonato nacional.
CT – Mas, a nível distrital, há poucas equipas em certos escalões...
MC – É a realidade actual, mas penso que a Associação de patinagem do Ribatejo faz pouco para que os clubes que já tiveram hóquei em patins voltem a praticar a modalidade. Há várias situações que poderiam ajudar, como, por exemplo a realização de finais, de torneios, de jogos exibição, como acontece noutras modalidades, em sítios onde já houve hóquei. Um jogo em Torres Noas, no Rossio, onde não há nem houve hóquei, ajudaria ao reaparecimento do hóquei pois os miúdos ficariam interessados. Por exemplo a final-four da Taça de Portugal disputou-se em Aljustrel...eu já vou ao “clinic” do Filipe Gaidão há quatro anos como monitor, e este ano notei que havia uma euforia muito maior pelo hóquei. Quem gosta do hóquei terá de fazer alguma coisa por ele.
CT – A Associação não tem cumprido bem o seu papel?
MC – Tem cumprido, de certa forma, pois até tem trazido para esta região alguns eventos. Mas penso que este tipo de divulgação era muito importante para a modalidade. Tem feito um bom trabalho, mas podia fazer um pouco mais. E isto é uma critica construtiva. Na capital do distrito, por exemplo, com o H. Santarém, assiste-se a um forte ressurgimento do hóquei de formação. O mais natural é que daqui a um ano ou dois tenha uma equipa sénior. Quantos mais atletas houver, quanto mais competição houver, mais forte será o hóquei desta região, para que não aconteça o que aconteceu com os Infantis do Sp. Tomar, ou os Iniciados da Juv. Ouriense, que tiveram dificuldades no nacional.

CT – Que opinião tem dos actuais quadros competitivos?
MC – Não estou totalmente de acordo com os actuais quadros competitivos. Penso que a Federação tem medo de mexer neles. Há muitas associações, quando devia haver em Portugal Continental, apenas três ou quatro. Para quê? Para que houvesse mais competitividade nos campeonatos, para que não houvesse campeonatos com apenas quatro ou cinco equipas. Isto não traz nada de benéfico ao hóquei. Mesmo a nível da 2ª ou 3ª divisões, devia haver três zonas. Quando jogam equipas da mesma zona, isso é sinónimo de casa cheia. A nível de deslocações, cada vez os clubes tem mais dificuldade. Até na 1ª Divisão devia haver duas zonas. A partir daí fazia-se uma segunda fase, um paly-off. Se houvesse mais equipas podiam lançar-se mais jovens, havia mais dérbis regionais, que são importantes para os clubes.
CT – Como é que olha agora para a sua passagem pelo Sp. Tomar?
MC – Foi uma passagem importante, embora só estivesse quatro jogos á frente do Sp. Tomar. Nessa altura o clube tinha uma direcção um pouca instável. Em quatro jogos, ganhei um com a Sanjoanense. Perdemos com a Oliveirense, com o Barcelos em casa e com o Gulpilhares. Quando sai nem estávamos em posição de descida. Houve um corte no orçamento, e também não concordei muito com a política seguida. Saí de cabeça levantada... Mas valeu a pena, tive o privilégio de trabalhar com jogadores de qualidade, e de lançar outros. Como é obvio, tive pena que o Sp. Tomar tivesse descido porque o plantel tinha qualidade para ficar na 1ª Divisão. Houve muita instabilidade à volta do clube. Nos últimos anos tem desenvolvido um trabalho nos seniores que mais tarde ou mais cedo o irá colocar na 1ª Divisão. Na próxima época tem tudo para conseguir subir, porque há processos assimilados e bons reforços, como o Jorge Godinho, que se quererá despedir com o clube na 1ª Divisão.

In JornalCidade de Tomar”, edição de 08 de Agosto de 2008
Cortesia:
Fotos: Blog ACR Santa Cita

domingo, 24 de Agosto de 2008

ESTREMOZ DE REGRESSO Á 2ª DIVISÃO

O CF Estremoz está de regresso á 2ª Divisão Nacional, após ter conjuntamente com o HC Mealhada garantido a subida na Liguilha. A equipa Alentejana ficará na Zona Sul e será um dos adversários do União FE, (A titulo de curiosidade podemos informar que ambos os clubes tem o mesmo lema: “Sorrir ás Dificuldades”), e já começou os trabalhos no passado dia 18 de Agosto.
No próximo dia 13 de Setembro o CF Estremoz levará a efeito o seu Torneio que contará com a presença do SC Tomar, S Alenquer B e SCL Marrazes.
Tendo a manutenção como objectivo principal a equipa de Estremoz será constituída por:

GR: Carlos Pires, Dinis Pacheco e Luís Caldeira
Defesas/Médios: João Mata, Vasco Quadrado, Artur Passadinhas, Vítor Caldeira, Nuno Toureiro, Miguel Carola, João Rosado.
Avançados: António Batista, José Lameiras, João Dias, João Ramalho, André Lopes, Rui Mata.

Treinador - José Rui Marques
Prep. Físico - Prof. Hugo Painho
Director Hóquei - José Lopes

sábado, 23 de Agosto de 2008

UNIÃO FE INICIOU NOVA ÉPOCA

A oficina Unionista reabriu hoje dia 23 de Agosto, tendo em vista a próxima época. Eram 1100 horas quando atletas e equipa técnica iniciaram os trabalhos, numa sessão que contou com a presença do presidente da colectividade.
O periodo da manhã foi dedicado em exclusivo á componente fisica, para aferir as condições de cada atleta após o periodo de férias. Após o almoço na sede do clube está marcada nova sessão de treino com inicio marcado para as 1600 horas.
A equipa de António Vicente inicia o campeonato nacional da 2ª divisão em Sintra dia 04 de Outubro, recebendo no fim de semana seguinte o GDS Cascais para a Taça de Portugal. David Vieira, Zé Miguel (ambos ex-Sta Cita), Guilherme Noronha e Ricardo (que regressam á modalidade) são os reforços Unionistas, ao passo que Tiago Pereira (Sta Cita), João Capitolino (SC Tomar) e Luís Melão (J. Ouriense) foram as saídas.

Fonte:

FOTOS ANTIGAS OU CURIOSAS

SELECÇÃO NACIONAL VENCEDORA DOS JOGOS MUNDIAIS - AKITA - JAPÃO - 2001

Fotografia que foi tirada conjuntamente com a sua congénere Australiana. Eram estes os jogadores portugueses: João Miguel e Paulo Matos (g.r), Reinaldo Ventura, Paulo Almeida, Pedro Alves, Filipe Gaidão, Sérgio Silva, Ricardo Pereira, Filipe Santos e Tó Neves. O seleccionador nacional era Vítor Hugo que depois desta vitória em Akita, viria a sagrar-se campeão mundial em Oliveira de Azeméis (2003), ultimo título conquistado pela turma das Quinas.

sexta-feira, 22 de Agosto de 2008

MINEIRO REGRESSA 3 ANOS DEPOIS

Após três anos de interregno, o Mineiro Aljustrelense regressa aos Nacionais de Seniores Masculinos, neste caso particular á 3ª divisão Nacional Série D. O regresso da equipa Alentejana aos nacionais de seniores foi decidida após várias reuniões entre a direcção do clube de Aljustrel e antigos jogadores, e também não deve ter estado alheio a este regresso o facto de a final-four da Taça de Portugal ter sido realizada naquela localidade, dando uma maior visibilidade á modalidade naquela zona.
No final do mês de Junho foi feita a pré apresentação da equipa onde foram transmitidos aos atletas quais os objectivos para a época 2008/2009, que passam essencialmente por uma participação condigna, de acordo com o historial do Clube, na modalidade.

Assim, e por enquanto, o plantel tem já assegurado os seguintes jogadores: Pedro Fernandes, Fernando Santos, Pedro Costa, Rui Alves, Rui Revez, Luis Gabriel, e João Paulo Santos e Carlos Banza (que regressam), Ricardo Cerqueira, Márcio Palma, Diogo Lança, Daniel Paulo e Sérgio Gama (todos ex- Almodôvar) e Ricardo Mor (ex-Mina da Panasqueira).O treinador será António Angelino e o massagista será Luis Guerreiro. A parte directiva será assegurada pelos seguintes directores/seccionistas: Paulo Guisado (coordenador), Vitor Angelino, Luis Miguel (Guel), Idálio Curtinha, Paulo Lopes e Daniel Marçalo.
Os trabalhos tem início previsto para o dia 01 de Setembro, e na primeira jornada a 04 de Outubro a equipa do Mineiro recebe o Castrense, naquele que será o primeiro derby da época, em relação á Taça de Portugal o Mineiro desloca-se a Peniche para defrontar o C Stella Maris, em jogo marcado para dia 27 de Setembro.

Fonte:

quinta-feira, 21 de Agosto de 2008

PORTUGAL E MOÇAMBIQUE FALHAM

Portugal e Moçambique vão falhar o torneio intercontinental de hóquei em patins dos 25 anos da Associação de Patinagem de Macau (APM), disse hoje à Agência Lusa o presidente da APM, António Aguiar.
O torneio, que decorrerá entre 27 e 31 de Agosto no pavilhão do Colégio D. Bosco, terá seis equipas que jogarão todas contra todas abrindo com um “confronto” entre o campeão europeu e mundial frente ao campeão asiático, respectivamente Espanha e Macau, e fechando com uma reedição da final do último campeonato asiático entre Macau e o Japão, no qual Macau venceu por 4-3.
Além da Espanha, Macau e Japão o torneio vai ser ainda disputado pelas formações da Austrália, Nova Zelândia e Índia.

”Obviamente que também gostaríamos de ter aqui a selecção Portuguesa e de Moçambique, mas pensamos que, mesmo assim, vamos trazer a Macau o melhor hóquei em patins do mundo para comemorar os 25 anos da associação ao mesmo tempo que promovemos a modalidade no território e possibilitamos uma preparação em alta competição à equipa de Macau”, afirmou o mesmo responsável.
A selecção local vai disputar no final de Outubro o mundial B na África do Sul.
O torneio de Macau, que tem o patrocínio do Instituto do Desporto de Macau, vai decorrer na modalidade de todos contra todos. Antes da participação no mundial da África do Sul, que poderá permitir outra vez o acesso da selecção de Macau ao escalão principal da modalidade, o treinador/jogador Alberto Lisboa e Hélder Ricardo, vão integrar a equipa do resto do Mundo que vai participar no mundial de clubes a disputar em Barcelona, Espanha e que terá 11 campeões dos principais campeonatos da modalidade.

Macau, China 12/08/2008 20:28 (LUSA)

quarta-feira, 20 de Agosto de 2008

TREINADORES HÓQUEI EM PATINS

Hélder Antunes criou este novo espaço, para divulgação, debate entre outros temas da nossa modalidade. Pode aceder a partir daqui, ou na Lista de Link's.

NUNO LOPES COORDENA QUADRO TÉCNICO JUVENIL

Nuno Lopes, treinador principal do Sp.Tomar, será também o coordenador técnico da secção juvenil do clube leonino e terá sob sua orientação directa a equipa de iniciados. O quadro técnico da formação para a próxima época está assim constituído:
Juniores: José Ventura
Juvenis: Fernando Vaz
Iniciados: Nuno Lopes, coadjuvado por Peter Calafate
Infantis: Manuel Vitorino, com João Capitolino como adjunto
Escolares: Rui Nunes
Benjamins: Pedro Nobre, auxiliado por por Sérgio Dantas
Iniciação e Bambis: Pedro Nunes, com o apoio de Carlos Xavier Martins.
Paulo Beirante continua como coordenador geral da secção.
A apresentação da equipa técnica está prevista para o dia 1 de Setembro, na Biblioteca Municipal.

In Jornal "O Templário", edição de 14 de Agosto de 2008

terça-feira, 19 de Agosto de 2008

VALÉRIO SILVA NO SPORTING CP

Valério Silva que na passada época representou os Benjamins do União FE, será jogador do Sporting CP no escalão de Escolares na próxima época.
O jovem atleta prossegue assim a sua curta carreira, depois de ter representado o clube do Entroncamento, que em tempos não muito longínquos era uma das referências na formação a nível nacional a par do SC Tomar como dignos representantes do hóquei ribatejano, vai agora defender as cores de um dos históricos do hóquei patinado nacional.

Sob o comando técnico de Quim Zé o jovem atleta irá tentar manter o nível exibicional a que nos habituou e continuar a encantar com a sua forma de jogar e com o sentido de baliza “anormal” para a sua idade e que o levou na passada época a ser o melhor marcador da equipa Unionista.

Cortesia:
Fotos: Blog MVP

SF GUALDIM PAIS - VERSÃO 08/09

"GUALDIM QUASE SEM MUDANÇAS"

O plantel da equipa sénior da Gualdim Pais vai sofrer poucas alterações em relação à época de estreia no Nacional da 3ª divisão.
A única saída, de Pedro Almeida, é motivada pelos estudos (Erasmus), em principio até Janeiro. Para já, apenas está definida uma entrada, André Mendes (ex-júnior da Juv. Ouriense), sendo que do plantel da época passada continuam oito atletas: João Simões e João Pombo (guarda-redes), Hugo Matias, Loic Ferreira, Ricardo Monteiro, Luís Jerónimo, Pedro Rivotti e André Silva.
À frente da equipa estará de novo Hélder Santos, também treinador das formações de Juvenis e Juniores da colectividade tomarense.

In Jornal “Cidade de Tomar”, edição de 25 de Julho de 2008

segunda-feira, 18 de Agosto de 2008

ENTREVISTA DA SEMANA

Finalizada a época 07/08, o Cartão Azul foi ter com Manuel Marques, arbitro Nacional B, que teve a sua estreia nos Nacionais esta temporada. Actualmente com 32 anos de idade, natural da Chamusca e residente no Entroncamento, pertence aos quadros do CRAHP Ribatejo e fez dupla esta ano com Carlos Fagulha. O Cartão Azul nesta sua primeira entrevista a um árbitro de hóquei em patins vai tentar saber quais os motivos que levam a enveredar por esta carreira na nossa modalidade, e mais alguns assuntos relacionados com a arbitragem.
CA – Boa tarde, em primeiro lugar obrigado pela disponibilidade. O que te levou a seguir a carreira de árbitro?
MM – Olá boa tarde. O que me levou a seguir a carreira de árbitro, foi um sonho que eu em miúdo tinha. E que por fim consegui concretizar.
CA – Existem muitos árbitros tanto a nível regional como nacional, que foram jogadores antes de decidirem ser árbitros, foi o teu caso, ou começaste logo pela arbitragem?
MM – Comecei logo pela arbitragem.
CA – Como correu esta tua primeira época como árbitro dos quadros nacionais?
MM – Correu bem tive um excelente colega de equipa,
CA – Na tua opinião qual o jogo que foi mais difícil de dirigir, e porque razões?
MM – Não posso dizer se houve jogos difíceis ou fáceis.Na minha opinião todos os jogos foram iguais,uns com mais rivalidade, mas onde AMBAS as equipas se respeitavam .
CA – O facto de teres feito dupla com o Carlos Fagulha, que já tem mais traquejo e experiência, deu-te mais segurança nos primeiros jogos, ou foi um factor inibidor pelo facto, e como disse anteriormente, a experiência dele ser significativamente maior do que a tua?
MM –Sim o Carlos é um excelente árbitro, e um grande amigo,e deu-me muita segurança nos primeiros jogos. Houve ocasiões em que alertou para alguns factos, que se passavam dentro do ringue.
CA – Durante a época os árbitros são avaliados várias vezes, para no final serem escalonados pela pontuação obtida, e poderem subir na carreira. Nesses jogos além da concentração normal, inerente ao estar a dirigir um jogo, existe mais aquela preocupação de estarem a ser avaliados e tentarem não errar, ou encaram o jogo como outro jogo normal, em que não esteja presente ninguém a ver o vosso trabalho?
MM –Sim na minha primeira delegacia, estava preocupado em não errar muito , mas nas seguintes,já não me preocupei muito.

CA – O quadro de árbitros do CRAHP Ribatejo sofreu este ano duas baixas de vulto, Ricardo Rocha (Nac A), e Délio Nunes (Nac B), que abandonaram por motivos pessoais, fala-se inclusive que depois do final da época mais algum pode abandonar. Achas que o quadro está deficitário, ou o curso que terminou recentemente dá garantias para que a arbitragem Ribatejana se mantenha presente nos nacionais, e atingir o topo como é o caso de Luís Inácio (Internacional) e foi o caso do Jorge Emídio?
MM – A respeito se vai alguém abandonar a arbitragem depois do final de época, não sei. O curso que terminou recentemente, não conheço as ideias dos futuros árbitros, mas dá garantias. No caso no Luís Inácio (há muitos galos para só um poleiro) RISOS
CA – Como árbitro do Ribatejo, como é apitar jogos em que uma das equipas é Ribatejana? Não sentem pressão por parte do público, ou da equipa adversária, ou mesmo nas vossas decisões não existe o medo das mesmas serem interpretadas como favoráveis às equipas Ribatejanas?
MM – Não!!!!! Na minha maneira de arbitrar, não há essa pressão , porque eu dentro de ringue, sei que há duas equipas para jogar um jogo, seja ela do RIBATEJO, ou de outro distrito, a regras, acção disciplinar é igual para ambas. ISENÇÃO ACIMA DE TUDO.
CA – Para terminar fica o espaço aberto para deixares alguma mensagem aos amantes da modalidade, e aos visitantes do Cartão Azul.
MM –Que não abandonem a modalidade , tragam os amigos. Mas os CLUBES, DIRIGENTES também têm de ajudar a cativar novos praticantes, irem as escolas!!!!!!!!. Como alguns CLUBES de outras modalidades (futebol, p.ex) fazem.

domingo, 17 de Agosto de 2008

LEÕES DEFINEM PREPARAÇÃO

A equipa sénior de hóquei em patins do Sp. Tomar, que regressa ao trabalho em finais de Agosto, dia 29, tem já definidos alguns jogos de preparação para a época 2008/09.
Assim, a 13 de Setembro, a formação tomarense participa no Torneio de Estremoz, onde terá a companhia da equipa local, de Alenquer e Marrazes. No fim-de-semana seguinte, 20 e 21, estará novamente no Torneio de Valado dos Frades, que conta ainda com a participação do clube organizador (BIR), da Física e do Turquel. O Torneio Cidade de Tomar será a etapa seguinte de preparação, tendo como convidados Cascais, Alenquer e U. Entroncamento. Foram ainda efectuados convites ao Benfica e Juv. Viana, para se deslocarem a Tomar, sendo que um destes jogos será o de apresentação da equipa leonina.
O plantel está definido já algum tempo, transitando da época passada os guarda-redes Ivo Ribeiro e Carlos Costa, assim como os jogadores de campo Gonçalo Santos, Orlando Fernandes, Pedro Silva, Esteves e Ivo Silva (ainda em dúvida devido aos estudos). A equipa tomarense, que será novamente orientada por Nuno Lopes, auxiliado por Ricardo Cardoso (prep. Físico), assegurou três reforços: Jorge Godinho (ex.Juv. Ouriense), João Capitolino (ex-U. Entroncamento) e Miguel Mor (ex-Sp. Marinhense), com o objectivo de lutar pelos primeiros lugares da 2ª Divisão – Norte.

In Jornal “Cidade de Tomar”, edição de 25 de Julho de 2008

sábado, 16 de Agosto de 2008

FOTOS ANTIGAS OU CURIOSAS

Em 1984 disputou-se o Torneio Regional de Iniciados nos Açores com a participação de 4 das 9 ilhas do arquipélago. A classificação final ficou assim ordenada:
1º Santa Maria 7 pts; 2º Terceira 7 pts; 3º São Miguel 6 pts; 4º Pico 4 pts
A vitória sorriu à equipa da ilha mais oriental por um golo de diferença.

No ano de 1987 a equipa de Santa Maria voltou a sagrar-se campeã regional de Iniciados agora num Torneio com a participação de 6 ilhas tendo a classificação ficado assim ordenada:
1º Santa Maria 15 pts; 2º São Miguel 13 pts; 3º Terceira 11 pts; 4º Pico 9 pts; 5º Faial 7 pts; 6º Flores 5 pts.

Numa altura em que os jovens Açorianos e Madeirenses vêm ser-lhes negado o direito de igualdade em relação á participação nos Nacionais, como pode conferir no site do União Micaelense, fica então este registo porque quer queiramos quer não «Recordar é viver»

Cortesia:
Vitor Silveira

sexta-feira, 15 de Agosto de 2008

APOSTA NO FUTURO

Uma equipa jovem e um treinador experiente são os destaques da equipa do GC “Os Corujas” para a época 2008/09. Colocada na série C do Nacional da 3ª divisão a equipa de Coruche irá tentar fazer um campeonato onde o objectivo será o meio da tabela e principalmente o adquirir experiência e traquejo para num futuro próximo poder ambicionar aos lugares cimeiros. João Taipina será o “timoneiro” desta nau que conta com o reforço de Ricardo Nunes (ex-Lobinhos), para fazer chegar a mesma a bom porto.
O inicio dos trabalhos está previsto para 01 de Setembro, sendo o primeiro jogo oficial a recepção ao BIR, na Taça de Portugal os Corujas ficaram isentos da pré-eliminatória, recebendo depois o GD Sesimbra.

Fonte:
Blog GC "Os Corujas"

quarta-feira, 13 de Agosto de 2008

ESPAÇO ABERTO

CARTÕES AZUIS

«Com começo na época 2008-2009, só o jogador que tiver 3 (três) cartões azuis DIRECTOS, é que será penalizado com 1 (um) jogo de suspensão.»

Com esta decisão tomada na Assembleia-geral da FPP realizada no passado dia 09, será que a polémica em torno dos Cartões Azuis termina? Ou como na passada época virão para a praça publica, figuras do nosso hóquei, entre treinadores, atletas e dirigentes, dizer, que deveria ser cinco Cartões directos ou por acumulação, que deveria ser cinco directos, porque três é pouco, etc, etc, etc.

O Cartão Azul gostaria de saber qual a opinião dos visitantes, se a mesma está correcta, se deveria ser alargado o numero de cartões, ou se eventualmente fosse alargado o numero de cartões, levaria a uma maior incidência de actos de indisciplina, ou um espaço de manobra maior na gestão dos cartões, entre outras coisas. O espaço fica aberto.

terça-feira, 12 de Agosto de 2008

APOSTA NA PRATA DA CASA

Sem se poder afirmar que se trata de um caso “sui generis” na modalidade, pode-se no entanto dizer que o HC Turquel è das poucas equipas a disputar os nacionais, neste caso o nacional da 2ª divisão – zona norte, onde o plantel é constituído unicamente por jogadores oriundos da formação. Sob o comando técnico de João Simões e Daniel Fialho a equipa de Turquel irá tentar fazer melhor que o 3º lugar conseguido na época passada. A equipa será composta pelos seguintes atletas:

Paulo Bértolo (g.r.)
Hélio Gonçalves (g.r.)
André Luís
Vasco Luís
Daniel Matias
Luís Coelho
Fábio Alexandre
Rui Filipe
Fábio Silvestre (ex-Junior)
Luís Pedro Ferreira (ex-Nafarros)

Fonte:
Site Oficial HC Turquel

segunda-feira, 11 de Agosto de 2008

SUB-17 - ESTÁGIO EM ALJUSTREL

Aljustrel continua na rota do hóquei em patins nacional, depois da final four da Taça de Portugal, é agora a vez do estágio da Selecção Nacional de Sub-17, tendo em vista o Europeu que terá lugar em Bassano (Itália), entre os dias 08 e 13 de Setembro.
Jorge Lopes seleccionador nacional convocou os seguintes atletas para este estágio que tem início hoje dia 11 e irá prolongar-se até dia 16 de Agosto:

Diogo Rodrigues (AA Coimbra)
João Beja, João Silva, João Coelho e Pedro Vaz (SL Benfica)
Bruno Fuzeta (GD Sesimbra)
Gonçalo Alves e Pedro Delgado (Sporting CP)
Telmo Pinto, César Fidalgo, João Silva e Pedro Costa (FC Porto)

Fonte: FPP

AÍ ESTÁ A PRIMEIRA JORNADA !

Será no próximo dia 04 de Outubro, que terão inicio os campeonatos nacionais de hóquei em patins. Sem representantes esta época na divisão maior do hóquei patinado português, as equipas ribatejanas estão “espalhadas” pela 2ª divisão norte e sul e 3ª divisão séries B e C. Como já tinha sido noticiado neste espaço, a equipa do CN Rio Maior não participará na edição 08/09 da 3ª divisão. Será esta a primeira jornada:

2ª DIVISÃO – ZONA NORTE
AA Espinho - SC Tomar
J. Ouriense - CRPF Lavra

2ª DIVISÃO – ZONA SUL
HC Sintra - União FE

3ª DIVISÃO – SÉRIE B
ACRP Vouga - SFG Pais

3ª DIVISÃO – SÉRIE C
GDR Lobinhos - ACR Santa Cita
HC “Os Tigres”
- GD Vialonga
GC “Os Corujas” - BIR

domingo, 10 de Agosto de 2008

PAULO SILVA PODE SER REFORÇO

Paulo Silva poderá estar a caminho da equipa sénior da SFG Pais. Segundo informação a que o Cartão Azul teve acesso, o atleta que fez toda a sua formação no União FE, tendo inclusive na época 2006/07 feito parte do plantel sénior do clube do Entroncamento, que foi treinado por Rafael Oliveira e posteriormente por José Ventura, e na passada época foi o capitão da equipa júnior, sagrando-se vice-campeão distrital, já terá tido contactos com a equipa Nabantina, no intuito de reforçá-la tendo em vista a participação no Nacional da 3ª divisão.
Actualmente a estudar em Coimbra e a residir no concelho de Tomar, a SFG Pais poderá ser o destino de Paulo Silva para prosseguir a sua longa carreira, apesar de ser um jovem, no seu primeiro ano como sénior.

sábado, 9 de Agosto de 2008

ASSEMBLEIA GERAL FPP - 09/08/08

- Artigo 58º /Juniores, Juvenis, Iniciados e Infantis
- CARTÕES AZUIS

Juniores e Juvenis: entram no Nacional, em 2008-2009, os já apurados da época 2007-2008 (igual ao que estava)

Iniciados e Infantis: apurados para o Nacional, da Distrital 2008-2009, vigorando já a nova redacção do Artigo 58º

Na época 2009-2010
Entra já em vigor a totalidade do Artigo 58º, de onde se conclui que os Juniores e Juvenis, campeões Distritais na época 2008-2009, não terão acesso directo ao Nacional 2009-2010

Início dos Nacionais:
- Juniores: 14 de Dezembro 08
- Juvenis: 13 de Dezembro 08
- Iniciados: 18 de Janeiro 09
- Infantis: 17 de Janeiro 09

CARTÕES AZUIS

Com começo na época 2008-2009, só o jogador que tiver 3 (três) cartões azuis D I R E C T O S, é que será penalizado com 1 (um) jogo de suspensão.

Fonte:

FOTOS ANTIGAS OU CURIOSAS

Este era o plantel da equipa do HC “Os Tigres”, na não muita distante época de 2005/2006. Nesta altura em Novembro de 2005 a equipa Almeirinense, seguia na 2ª posição com 7 pontos fruto de 2 vitórias e um empate, como se podia ler na noticia publicada pelo “Planeta Diário”.


O Cartão Azul convida todos aqueles que possuam fotos antigas ou curiosas sobre hóquei em patins e que queiram partilhar as mesmas, a envia-las para cartaoazul@gmail.com, para futura publicação neste espaço.

TAÇA DE PORTUGAL

Aí estão os adversários das equipas ribatejanas para a próxima edição da Taça de Portugal. Na passada época o SC Tomar esteve a um passo da final four ao chegar aos quartos de final, tendo nessa altura sido derrotado pelo S Alenquer B. O sorteio da edição 08/09 ditou os seguintes encontros:

Dia 27/09/08 (Pré-eliminatória)

União Micaelense - HC “Os Tigres”
ACR Santa Cita - FC Castrense
APDG Penafiel - SFG Pais
Isento: GC “Os Corujas”

Dia 11/10/08 (1ª eliminatória)

União FE - GDS Cascais
GC “Os Corujas” - GD Sesimbra
ACR Santa Cita/FC Castrense - União Micaelense/HC “Os Tigres”
SC Tomar - Escola Livre
APDG Penafiel/SFG Pais - ACR Olá Mouriz/SC Marinhense
AA Espinho - J. Ouriense

sexta-feira, 8 de Agosto de 2008

A CONTINUAÇÃO DO SUCESSO

CLINICAS DE VERAO 2008: A continuação do sucesso!

Mais um ano de sucesso, inovação e surpresas, para somar ao longo percurso das Clínicas de Verão. Terminámos mais uma edição orgulhosos de continuar a permitir aos jovens dias inesquecíveis de convívio e recheados de actividades desportivas. Foram vários os clubes que estiveram representados, A. D. Oeiras, F.C. Porto, U. Santiago Cacém, Parede F. C., S. L. Benfica, G. S. D. Cascais, F. C. Alverca, Ginásio Clube de Coruche "Os Corujas", Santarém, S. Alenquer e Benfica, H. C. Turquel, A. A. Coimbra, BIR, H. C. Sintra, C. Naval Setubalense, Grupo Desportivo Fabril do Barreiro, G. D. R. "Os Lobinhos", V.F.B.Remscheid (Alemanha) e H. C. Braga. Mais uma vez, os jovens tiveram a possibilidade de trocar experiências e aprenderem com os seus ídolos, jogadores esses a jogar na 1ªdivisão nacional.

2º Torneio 3x3 Clínicas de Verão: A aposta ganha!

Foram muitas as equipas, num total de 32, que tornaram este 2º Torneio um verdadeiro sucesso. Mais uma vez esteve presente o verdadeiro espírito desportivo entre todos os atletas, que tornaram a competição saudável e divertida. Existiu um grande convívio entre todos o que fez esquecer que foram adversários ao longo da época nos mais diversos escalões e nos respectivos campeonatos. Este ano, tivemos a agradável surpresa de contar com várias equipas femininas que demonstraram grande clima de festa dentro e fora do ringue.

Agradecimentos

Enviamos a todos os que contribuíram das mais diversas formas, para que as 8ªs Clínicas de Verão e o 2º Torneio 3x3 Clínicas de Verão fossem uma vez mais um sucesso, o nosso OBRIGADO!!!

Carlos Pires e Luís Duarte

FOTOS:

quinta-feira, 7 de Agosto de 2008

EUROPEU SUB-20 - HAMM

Já são conhecidos os 10 atletas que Luís Sénica vai levar a Hamm, na Alemanha, onde Portugal disputará o Campeonato Europeu de Sub-20 Masculino. A prova irá realizar-se entre 29 de Setembro e 4 de Outubro, estando marcado o primeiro estágio final de preparação para a semana de 1 a 5 de Setembro, no Complexo Desportivo de Luso. Luís Sénica escolheu os seguintes atletas:

Leonardo Pais e Diogo Fernandes (F.C. Porto)
Diogo Rafael e Diogo Oliveira (S.L. Benfica)
César Carvalho e Daniel Coelho (O.C. Barcelos)
Daniel Oliveira e Ângelo Girão (A.C.R. Gulpilhares)
João Rodrigues e Gonçalo Pestana (C.D. Paço de Arcos)

ESPAÇO ABERTO

No Site do União Micaelense (um dos sites de referência da modalidade), Pedro Jorge Cabral publica um comentário/constatação pertinente acerca da participação das equipas Insulares nos nacionais de hóquei em patins.

PORTUGUESES DE 3ª CATEGORIA???

Os jovens Açorianos e Madeirenses não devem pertencer ao mesmo país que os do Continente!!! Ou então, se pertencem, não têm todos o mesmo estatuto... Uns são filhos e os outros enteados, que é como quem diz, cidadãos de 3ª Categoria... Senão vejamos:
A participação das equipas de formação dos clubes açorianos a nível nacional faz-se SOMENTE NO ESCALÃO DE JUVENIS, porque nem em Infantis, em Iniciados ou em Juniores há participação nacional de equipas açorianas!!!! Este é um estatuto que já está ferido de ilegalidades morais já que os jogadores e as equipas açorianas NÃO TÊM AS MESMAS GARANTIAS E DIREITOS QUE A CONSTITUIÇÃO PORTUGUESA DEFENDE em relação às equipas continentais, e tudo somente por causa da insularidade e da suposta e FALSA QUESTÃO FINANCEIRA. A verba que as equipas açorianas utilizam para ir ao Continente é providenciada pela DRD Açores (que inclusive alterou o estatuto das Jornadas Duplas para garantir maiores direitos e possibilidades às equipas desta região) que suporta os custos de 12 passagens e estadia; a verba para as equipas continentais virem até aos Açores é providenciada integralmente pelo IND, agora IDP (Instituto do Desporto de Portugal), suportando 14 passagens aéreas, ou seja mais duas que os Açorianos!!! E todos os clubes que nos visitam fazem os possíveis para que o regresso seja feito no mesmo dia, gastando assim unicamente a verba duma refeição (140 Euros), nalguns casos menos do que gastariam se fossem a outro local do Continente, porque teriam ainda de pagar o gasóleo. Onde estão, então, os problemas do foro financeiro? E não é para reduzir as distâncias entre Lisboa e Regiões Autónomas que serve este dinheiro? Pelo facto de nascermos no meio do Atlântico, não temos os mesmos direitos que a Constituição da República Portuguesa garante a todos os seus filhos...? desculpem, ENTEADOS!!!?
Pela proposta que se discute a 9 de Agosto na Assembleia da FPP, a participação das equipas Açorianas de jovens nos Campeonatos Nacionais resumir-se-ia a UM JOGO que o Campeão Açores/Madeira faria com uma equipa continental para tentar a possibilidade de participar na Final Four de Juvenis… Mas já pensaram bem o que é isso? O que diriam os clubes continentais se fossem colocados perante esta possibilidade? As equipas continentais têm garantidos 20 (VINTE!!!!) jogos numa época nacional… E nós? 1 Jogo? Na melhor das hipóteses, 4 (que dificilmente serão, visto que a rodagem com que as equipas continentais chegam a esta Final Four é totalmente diferente daquela com que chegam as equipas açorianas que só fazem 1 jogo!!!!).
E porquê a nossa junção à Madeira? Se a participação das equipas açorianas já se limita a 1 por 3 associações (Ponta Delgada, Terceira e Pico), querem agora que haja somente uma equipa em 4 associações (junte-se a Madeira)? Portugueses??? Só se for de 5ª!!!! NÃO, NÃO E NÃO À ALTERAÇÃO…
Avançamos já com duas ante-propostas possíveis que contemplam:
1 - A participação na 1ª Fase (sujeita depois a classificação nos 3 primeiros lugares para passar à 2ª Fase ou então a descida directa se ficar nos 3 últimos lugares da 1ª Fase) ou:
2 - A manutenção da situação actual, que é a participação na 2ª Fase, mesmo que as equipas açorianas lá cheguem com 10 jogos de atraso para as do continente (os jogos da 1ª Fase)… E esta situação já implica flagrante perda de direitos face às equipas continentais e madeirenses…
POR FAVOR, SENHORES DAS ASSOCIAÇÕES DE PATINAGEM DE PORTUGAL... PONHAM A MÃO NA CONSCIÊNCIA E DÊEM-NOS A POSSIBILIDADE DE SERMOS TAMBÉM PORTUGUESES COM OS MESMOS DIREITOS QUE OS DOS VOSSOS RAPAZES!!!

quarta-feira, 6 de Agosto de 2008

CURSO DE TREINADORES - NÍVEL I

Na acção realizada na área da Associação de Patinagem do Ribatejo com o apoio da FPP, verificaram-se os seguintes resultados:

Aptos - João Paulo Silva, Rui Jorge Alves, José Cardinho, Cristiano Calado, Nuno Domingues, Eurico Simões, Luís Pombinho, Sérgio Paulo Silva, André Vital, Bruno Carvalho, Fábio Mogas, Vasco Nogueira, Pedro Gonçalves, Carlos Martins, Ricardo Marona, Ernani Batista, Eliseu Raimundo, Guilherme Noronha, Marco Pedro e Luís Santos

Não Aptos - Ricardo Girão, Ricardo Calado, João Fortunato, Nuno Sousa e João Rosado.

Fonte:
Site da FPP