sábado, 31 de Janeiro de 2009

HÁ DERBY NAS MARGENS DO SORRAIA

Tem hoje inicio a 2ª volta do nacional da 2ª divisão com as equipas ribatejanas em posições diferentes, se o SC Tomar ocupa as primeiras posições e a J. Ouriense está a meio da tabela isto na zona norte, o União está na zona de despromoção na zona sul. Em Tomar o Sporting recebe a AA Espinho, num jogo que será mais um teste á equipa de Nuno Lopes. A J. Ouriense desloca-se até Lavra para defrontar a equipa local, mas desta feita em jogo com inicio marcado para as 1600, talvez para evitar mais adiamentos, ou falta de comparência, pois ainda não se percebeu as decisões da Federação, pois uns jogos são repetidos, outros são atribuídas as vitórias por falta de comparência, decisões tão diferentes para situações tão iguais.
A sul o União, numa situação desconfortável recebe o HC Sintra, num jogo onde só a vitória interessa á equipa de António Vicente, até porque nas próximas jornadas a equipa da Cidade Ferroviária vai defrontar as equipas do seu campeonato, e uma vitória hoje, pode elevar os níveis de confiança para os embates que se seguem.
Na 3ª divisão, série B a equipa da SFG Pais desloca-se até á EMBRA para defrontar o SC Marinhense, num jogo que se antevê difícil para a equipa de Hélder Santos. Na série C, a ACR Santa Cita em crescendo de forma e confiança viaja até á Lourinhã para um jogo onde só a vitória interessa, para a equipa de Luís Miguel Cunha manter vivo e bem vivo o sonho da subida. Nas margens do Sorraia vai haver derby, entre os Corujas e os Tigres, penúltimo e ultimo classificado, num jogo onde o favoritismo recai na totalidade sobre a equipa de Coruche.

sexta-feira, 30 de Janeiro de 2009

TAÇA CARLOS RAMOS - FINAL FOUR

Disputa-se no próximo domingo dia 01 de Fevereiro no Pavilhão Municipal do Entroncamento, a final four da Taça Carlos Ramos, no escalão de Juvenis. HC Turquel e SC Tomar 1º e 2º classificados da série A e FCO Hospital e J. Ouriense 1º e 2º da série B serão os intervenientes. Das equipas presentes apenas a formação de Ourém não irá estar presente no nacional da categoria.

quinta-feira, 29 de Janeiro de 2009

ESPAÇO ABERTO

Como seccionista da equipa de Juvenis da Juventude Ouriense a qual acompanho de alguns anos para cá, quero aqui deixar uma palavra de apreço pelo desempenho desta na Taça Carlos Ramos, obtendo o 2º lugar do grupo B ganhando o direito de disputar no dia 1 de Fevereiro às 10h no Pavilhão Municipal do Entroncamento, com sua congénere de Turquel o acesso à final que se disputa no mesmo dia às 17h30m,com uma particularidade, é que as outras 3 equipas presentes nesta Final estarão no Nacional da categoria. Estes elementos (8), a par de mais 2 que jogam nos Iniciados, são os sobreviventes duma aposta dos pais com a ajuda de pessoas ligadas ao clube, que os conseguiram manter. Muitos outros ficaram pelo caminho, uns por querer mudar de modalidade, outros por falta de evolução e outros por incompreensão dos pais, sendo este o aspecto mais negativo da minha maneira de ver, e isto não se passa só na JO, mas como elemento deste clube quero aqui deixar alguns alertas porque o que demora muito tempo a construir, é destruído num instante:
-Não seremos nós pais o garante do bem-estar dos nossos filhos, indicando-lhe o caminho?
-Não seremos nós pais os primeiros que ajudando em todas as frentes, tentando arranjar soluções para que o Hóquei continue e não o contrário?
Isto é o meu ponto de vista, e não quero de maneira alguma ferir ninguém, mas sim tentar a união, para que um clube como a JO com todos os seus escalões, faz falta ao Hóquei.

Quis o destino que este época fosse o ano zero para o acesso aos Nacionais, e é pena ver uma equipa como esta não poder disputar o Campeonato Distrital, a qual penso que teria boas hipóteses de se qualificar para o Nacional. Não teria sido de bom senso terem feito a transição de maneira diferente? Se não vejamos, a equipa Sporting CP que a par do Benfica e do FC Porto disputará o ceptro, só está presente no Nacional por desistência do Gualdim Pais. Se tal não tivesse acontecido seria uma pena ver esta equipa do Sporting (na sua maior parte foi Campeã Nacional de Iniciados) não estar presente, tal como acontece com Juventude Ouriense e outras.
Num outro âmbito, quero aqui deixar uma observação: Será correcto que clubes que têm uma formação de excelência, precisam do excesso, bastando para isso olhar para o que se está a passar no Distrital de Iniciados?
Em jeito de final quero deixar aqui votos que a colaboração a todos os níveis seja mais estreita, para podermos garantir a continuação desta modalidade, da qual nunca fui praticante, mas que acompanho de alguns anos a esta parte a qual aprendi a amar.
A todos os amantes do hóquei peço que compareçam no dia 1 de Fevereiro para apoiar esta modalidade que bem precisa.

Um Bem-haja Para Todos os Amantes.

Carlos Clemente

quarta-feira, 28 de Janeiro de 2009

VERDADEIRO JOGO DE CAMPEÕES

No inicio da primeira parte houve logo uma oportunidade de golo para cada equipa, depois com o decorrer do jogo o Santa Cita foi-se tornando mais perigoso e criando algumas ocasiões de golo, mas o G.R. (Azevedo) do Stella Maris esteve muito bem, assim como o seu colega da equipa do Santa Cita (João Martins - G.R.) que defendeu também algumas stickadas com selo de golo. Até que a 12m22s do fim da 1ª parte o Nuno Nobre consegue marcar o seu primeiro golo e o primeiro da sua equipa, mas o Stella Maris continua a dar réplica, mas aos 8m50s do fim da 1ª parte o Nuno Nobre consegue marcar o segundo golo. A partir daqui o Santa Cita controlou melhor a partida, mas o Stella Maris não desarmou e quando faltavam 0m50s para o fim da 1ª parte é marcado um livre directo contra o Santa Cita. O G.R. (João Martins) esteve mais uma vez bem ao defender o livre directo. Assim o resultado ao intervalo fica da seguinte maneira: Santa Cita 2 Stella Maris 0

(Nuno Nobre foi o homem do jogo)

No segundo tempo o jogo decorreu na mesma toada que no primeiro tempo, ou seja, houve várias oportunidades para cada equipa, mas com o Stella Maris a arriscar um pouco mais, com isso o Santa Cita fez uma segunda parte a defender bem e a partir para o contra-ataque melhor, evidenciando-se ai o G.R. Azevedo ( Stella Maris ). Aos 17m43s para o fim da 2ª parte existe um penalty para o Santa Cita, mas o Nuno Nobre não consegue marcar. Mesmo ao falhar a penalidade, o Santa Cita não abrandou, antes pelo contrário, até que a 9m09s do fim do jogo o Nuno Nobre faz o seu hat-trick e o resultado final: Santa Cita 3 Stella Maris 0
A A.C.R.Santa Cita fez alinhar de inicio : João (G.R.), Pedro Nunes, Nuno Nobre (3), Zig e Tiago Pereira. Jogaram ainda Tiago Barreiro, Rui Oliveira. Não jogaram Rui Nunes, Dias e Hélder Marques (G.R.)

Crónica de Nunão

terça-feira, 27 de Janeiro de 2009

VITOR FRUTUOSO REELEITO

Numa das menos, senão a menos concorrida Assembleia Geral de sempre, Vítor Frutuoso, sucede a Vítor Frutuoso á frente dos destinos do União FE para o próximo biénio. Na assembleia foram aprovadas as contas de 2007 e as provisórias de 2008. No seu discurso o presidente eleito agradeceu aos sócios e aos colaboradores do clube.
A nova direcção do UFE é a seguinte:

ASSEMBLEIA GERAL
Presidente: Armando Faria da Silva
Vice-Presidente: Emídio Rodrigues
Secretário: José Leitão

CONSELHO FISCAL
Presidente: Jorge Barral
Vice-Presidente: José Marques Aparício
Relator: Rogério Ferrão

DIRECÇÃO
Presidente: Vitor Frutuoso
Vice-Presidente: Paulo Brás
Tesoureiro: João Tomás
Secretário: Ana Isidro
Vogal: Vitor Ventura
Vogal: António Lemos
Vogal: Daniel Noronha
Vogal: Mª José Lemos

Fonte: Blog União FE

HC SANTARÉM CAMPEÃO DISTRITAL

Os Iniciados do HC Santarém sagraram-se campeões distritais, ao venceram na ultima jornada o União FE por uns expressivos 15-0. A equipa da capital Ribatejana terminou o campeonato sem conhecer o sabor da derrota, tendo apenas registado dois empates frente ao SC Tomar vice-campeão. Ambas as equipas somaram 38 pontos, tendo a equipa do HC Santarém ficado em primeiro lugar fruto da goal-average. HC Santarém e SC Tomar serão os representantes da AP Ribatejo no nacional da categoria.

Foto: Site HC Santarém

PAÇO DE ARCOS CAMPEÃO DE INFANTIS

Os Infantis do CD Paço de Arcos, sagraram-se campeões distritais da AP Lisboa, num dos campeonatos mais disputados dos ultimos anos. Conquistado o direito de participação no nacional da categoria, vamos agora ver com estes jovens vão defender as cores deste histórico do hóquei nacional.

Cortesia: João Rodrigues - CDPA

segunda-feira, 26 de Janeiro de 2009

SPORTING CP CAMPEÃO DE INICIADOS

A equipa de Iniciados do Sporting CP, sagrou-se bicampeã distrital da AP Lisboa. Com esta vitória a equipa Leonina consegue o apuramento para o nacional onde irá defender o título nacional, conquistado a época passada.

Em cima e da esquerda para a direita: Sérgio Paes, Tiago Jorge, Pedro Rosa, Pedro Feliz ( Treinador), Diogo Neves, Ernâni Bastos, Rafael Rocha e Victor Silva ( Seccionista).
Em baixo e da esquerda para a Direita: Mário Paes, Victor Hugo( GR e Cap), Diogo Tocha, Diogo Fernandes(GR) e Luis Marques.
Não estão nesta foto mas também se sagraram Campeões, o GRedes Yeven Kurson e o Avançado João Perdiz.

Cortesia: Gilberto Dias Borges

domingo, 25 de Janeiro de 2009

SANTA CITA IN, UNIÃO OUT

A decisão da FPP, para a repetição do jogo com o Lavra, não afectou a equipa do SC Tomar, que recebeu e venceu o ultimo classificado HC Mealhada por um expressivo 7-1, subindo ao 3º lugar a 5 pontos do líder Riba D’ Ave. Por seu lado a J. Ouriense foi conseguir uma preciosa vitória á capital do móvel, 5-3 foi o resultado com um hat-trick de Pedro Nobre, e a equipa de Manel Domingues a dar um salto para a 8ª posição com 20 pontos.
A sul o União continua a afundar-se na tabela classificativa, estando já abaixo da linha de água. Pedro Sousa ainda colocou a equipa de António Vicente na frente do marcador, mas a equipa de Sesimbra viria a dar a volta e ao intervalo já vencia por 3-1. Com um inicio de 2ª parte demolidor a equipa visitante viria a fazer o 6-1. O União ainda correu atrás do prejuízo mas o melhor que conseguiu foi reduzir para 7-5.
Na 3ª divisão série B, a SFG Pais saiu derrotada da viagem até Marrazes, 6-2 foi o resultado final, e a equipa de Hélder Santos com este resultado manteve a 5ª posição com 21 pontos. Na série C, o Corujas saiu vergado a uma pesada goleada de Vialonga, 11-2 foi o resultado final e a consolidação da penúltima posição com 13 pontos. Ainda não foi desta que os Tigres conseguiram a 1ª vitória no campeonato, desta feita foram derrotados em Almeirim pelo São Roque por 5-3. Por fim o Santa Cita confirmou que é um dos candidatos á subida ao vencer o C Stella Maris por 3-0, alcançando a equipa de Peniche na 2ª posição com 28 pontos, menos 5 que o líder BIR, mas com a equipa de Luís Miguel Cunha a ter dois jogos a menos.

LAVRA - SC TOMAR VAI SER REPETIDO

Depois de ter ganho na secretaria o jogo frente ao Lavra, pelo facto devido às condições do ringue, o SC Tomar vê agora o CD da FPP, revogar a decisão e decidir pela realização do jogo, em data a definir. Recorde-se que o jogo ainda chegou a ser iniciado, tendo depois sido interrompido, por não garantir a segurança dos intervenientes devido á humidade do piso. Ainda na jornada de ontem voltou a não haver jogo em Lavra, pelos mesmos motivos, sendo já a 3ª partida esta época que não se realiza devido ás condições do piso.

Fonte: FPP

sábado, 24 de Janeiro de 2009

FAÇAM UMA GRACINHA...VENÇAM

O SC Tomar recebe esta tarde o HC Mealhada último classificado, e tem tudo a seu favor para regressar aos triunfos, depois do desaire do último fim, onde além da derrota em Turquel, acabou por cair para a 4ª posição. A J. Ouriense desloca-se até á Capital do móvel para defrontar a J. Pacense que tem mais dois pontos que a equipa de Manel Domingues. Na zona sul o União FE recebe o Sesimbra e depois de uma série de resultados negativos, o mínimo que se exige á equipa de António Vicente é uma vitória, até porque um resultado negativo, pode empurrar a equipa para baixo da linha de água.
Na 3ª divisão série B a SFG Pais desloca-se até Marrazes para defrontar o 3º classificado, que já 1ª volta venceu em Tomar. Já na série C, o Santa Cita defronta o 2º classificado C Stella Maris, e será uma prova de fogo para a equipa de Luís Miguel Cunha, até porque uma vitória fará com que a sua equipa “apanhe” o adversário na tabela classificativa. Em Almeirim os Tigres recebem o São Roque, num jogo em que o objectivo continuará a ser a obtenção da 1ª vitória. Por fim os Corujas viajam até Vialonga, num jogo que se antevê difícil para a equipa das margens do Sorraia.

sexta-feira, 23 de Janeiro de 2009

ASSEMBLEIA-GERAL UNIÃO FE

Realiza-se hoje, sexta-feira dia 23 Janeiro, pelas 2100h na sede do União Futebol Entroncamento a Assembleia Geral do clube, que tem os seguintes pontos de trabalho:

1. Aprovação de contas
2. Eleição dos novos corpos directivos
3. Outros assuntos

Fonte: Blog União FE

A ALDEIA DO HÓQUEI

(Clique na imagem para ampliar)
Fonte: Jornal "A Bola"

quinta-feira, 22 de Janeiro de 2009

FORMAÇÃO EM VIALONGA

A bola de hóquei segue no bastão de Helton. O jogador do Grupo Desportivo de Vialonga, escalão de infantis, tez mulata, segue em velocidade e protege o esférico, que passa para a posse de Palma. Em paralelo, o rapaz louro recebe a bola do colega, e devolve-lha da mesma forma, num movimento do hóquei em patins a que se chama cortina.
Os dois jogadores treinam no “viveiro” do GD Vialonga, numa sexta-feira à noite. Em véspera de jogo, para Helton, 12 anos, a preparação com os colegas do escalão de iniciados não basta e, duas vezes por semana, pratica nos treinos da escola de formação de hóquei em patins do GD Vialonga os movimentos que mais falta lhe fazem quando, em jogo, tenta dar a vitória à equipa que traja de azul.
“Só não treino quarta-feira e sábado, porque tenho jogo” explica Helton. O jovem, que chegou há um ano ao GD Vialonga com a mente no futebol, acabou por se deixar conquistar pelo hóquei e quer ir mais além. “Queria praticar um desporto que me abrisse o futuro. Estou a descobrir mais sobre o hóquei e quero ser jogador profissional”, explica o atleta. Para Palma, 13 anos, o hóquei em patins é uma paixão com quatro meses. Inscrito nos treinos da formação, pratica patinagem e os movimentos de jogo que lhe farão falta quando for integrado na equipa de iniciados, na próxima época.

A formação do clube no hóquei em patins assenta na figura de Joaquim Bolacha Gomes, que não prescinde de um par de opiniões vincadas sobre a modalidade. “Ando na formação de miúdos há 41 anos. Não gosto de transformar uma escola de hóquei num “aviário”. Forçar os miúdos para lá dos limites dos seus corpos e mente é perigoso. Os pais, por vezes, exigem de mais dos filhos”, conta a O MIRANTE.
O treinador, que formou jovens atletas no FC Alverca e no Sporting Clube de Portugal, antes de regressar ao clube ribatejano, chegou há cinco épocas a Vialonga e treina jovens entre os 4 e os 13 anos. Bolacha Gomes apoia os alunos dos escalões de aprendizagem e os atletas dos infantis e iniciados com necessidades de maior prática desportiva, por terem chegado há menos tempo ao clube, ou por estarem em fase de transição para outro escalão ou nível competitivo. “Há clubes onde só aceitam miúdos até aos sete ou nove anos. Aqui, aceito todas as idades, porque é possível recuperar terreno e chegar ao nível dos que patinam há mais tempo”, explica. Ao todo, o técnico treina 21 atletas esta época, que prepara para seguirem para as equipas competitivas a tempo inteiro.
“Custa-me deixar de os poder apoiar quando transitam para os escalões superiores mas o gozo de ver todos os anos novos atletas para a modalidade é maior”, conta Bolacha Gomes. O treinador, que ensinou os primeiros segredos do hóquei a atletas como Valter Neves (Benfica, vice-campeão da Europa pela selecção de Portugal em 2008), Sérgio Silva (Bassano, de Itália), David Abreu (AD Oeiras, 1.ª divisão) David Caeiro (Tigres de Almeirim), e a campeã do mundo Sandra Silva (treinadora das séniores do Nafarros), sente orgulho quando vê atletas que treinou alcançarem sucesso em Portugal e no estrangeiro.
No Vialonga, os alunos da escola de formação vão chegando. Na época 2009/2010, o clube deverá apresentar uma equipa no escalão de bambis (entre os 4 e os 5 anos). Os escalões de benjamins, escolares, infantis e iniciados do clube vão mantendo viva a chama do hóquei patins para os mais jovens. “Mas é necessário sempre mais miúdos para poder formar novas equipas”, conclui.

Titulo: Cartão Azul
Noticia: Jornal "O Mirante"

quarta-feira, 21 de Janeiro de 2009

DIA DE SÃO BORDA D'AGUA

Na primeira parte houve praticamente só a equipa do Santa Cita a atacar, com o G.R. do Corujas (Borda d`Agua) a defender tudo o que havia para defender, tanto em remates de longe como em jogadas planeadas. No entanto o Santa Cita teve oportunidade de inaugurar o marcador numa grande penalidade, quando faltava cerca de 8m para o fim da 1ª parte, mas, o Nuno Nobre falhou, fazendo com que o resultado acaba-se 0-0 no fim da 1ª parte. Resultado ao Intervalo: Corujas 0 Santa Cita 0.Na segunda parte houve mais equilíbrio, com várias oportunidades de parte a parte, mas o primeiro golo da partida só surgiu quando faltavam cerca de 9m para o fim da 2ª parte, o marcador foi o Tiago Barreiro, numa jogada individual, vindo do seu lado direito para o meio e ai faz uma excelente stickada para o seu golo e da sua equipa.

(Borda d'Água esteve quase intransponível)

No entanto a equipa do Corujas nunca baixou os braços e ao minuto 6 do fim da partida consegue o seu golo e o empate da partida (num autêntico chouriço, como se diz na gíria do hóquei em patins, ou seja, existe um remate de longe e é desviado dentro da área pelo nº 7 do Corujas). A partir daqui o Santa Cita ainda tentou dar a volta, mas faltou-lhe alguma frieza no momento final de cada jogada.O Santa Cita contudo consegue ganhar um ponto ao segundo classificado (Stella Maris, que vai a Santa Cita no próximo Sábado às 18 horas). Resultado Final: Corujas 1 Santa Cita 1
O A.C.R.Santa Cita alinhou de inicio com: João (G.R.), Pedro Nunes, Nuno Nobre, Zig, Tiago Pereira. Jogando ainda Tiago Barreiro (1), Rui Oliveira, Rui Nunes. Não jogaram Dias e Hélder Marques (G.R.)

Crónica de Nunão
Foto: Blog GC "Os Corujas"

terça-feira, 20 de Janeiro de 2009

NOVA DERROTA

O GDCascais-UniãoFE começou como todas as partidas que presenciamos contra as equipas do cimo da tabela classificativa, ou seja, o jogo a desenrolar-se mais no meio campo do Cascais e estes com uma excelente organização defensiva, a contrariarem o jogo unionista e a partirem rapidamente para o contra-ataque, sempre com bastante perigo, com o Guilherme Noronha a ir resolvendo os casos mais “bicudos”.
Aos 22 minutos, numa jogada muito confusa dentro da área unionista, após um remate de Mário Teixeira o Zé Miguel Boavida foi infeliz, “apanha” mal a bola no stick e acaba por a introduzir na própria baliza. Foi uma jogada da qual não nos apercebemos, mas que o próprio nos descreveu.
Dois minutos volvidos novo golo da equipa da casa por Paulo Pereira, desta vez com o “famoso” contra-ataque a funcionar na perfeição.
Atingia-se assim o intervalo com o resultado de dois a zero para a equipa da casa.
No segundo tempo a equipa do Entroncamento entra a jogar mais rápido, com trocas de bola mais eficazes, e aos 7 minutos, curiosamente também num contra-ataque, o Bruno Carvalho não desiste de uma bola que parecia fora do seu alcance, recupera-a, contorna um adversário e na cara do guarda-redes faz uma simulação que literalmente “deita” o guarda-redes adversário, colocando-lhe de seguida a bola por cima fazendo um grande golo, a merecer elogios até pelos adeptos da equipa da linha.
O jogo estava relançado, pensou-se que seria o início da recuperação da equipa forasteira, mas volvidos mais dois minutos novamente o contra-ataque a fazer estragos e Bruno Ribeiro a obter o terceiro golo do Dramático de Cascais.
A partir daqui e até final, assistiu-se então a uma excelente circulação de bola do Cascais, a gerir o resultado, com o União a ser incapaz de contrariar esta acção da equipa da casa.
Resultado final de três bolas a uma.
Realce ainda para os adeptos que acompanharam a equipa, que apesar de serem em menor número que os do adversário, foram suficientes para se conseguirem fazer notar no apoio insistente aos atletas do UFE.
O União começou com Guilherme Noronha (GR), Daniel Noronha, Pedro Sousa, Pedro Brazete e Mendes. Jogaram ainda Bruno Carvalho (cap.), Rui Alves e Zé Miguel. Suplentes não utilizados, Káka (GR) e Francisco Maia.
Treinador: António Vicente.
Massagista: Jorge Flores.
Delegado ao cronómetro: Camarinhas.
Delegado: Massa

Crónica: Luís Brizida

domingo, 18 de Janeiro de 2009

CORUJAS TRAVA SANTA CITA

O SC Tomar saiu derrotado por 4-2 na deslocação a Turquel e caiu para a 3ª posição da tabela classificativa com 27 pontos, menos 2 que o líder Riba D’ave e 1 que o HC Turquel. Em Ourém a equipa de Manel Domingues continua na senda dos empates e desta feita foi o AC. da Feira a vir pontuar ao Municipal do Pinheiro, 1-1 foi o resultado final e a equipa Ouriense mantém a 11ª posição agora com 17 pontos.
A sul o União viajou até Cascais e saiu derrotado por 3-1, com o golo Unionista a ser apontado por Bruno Carvalho. Com este resultado a equipa de António Vicente caiu para a 12ª posição com 14 pontos os mesmos Nafarros e Vasco da Gama, este ultimo já na zona de despromoção.
Na 3ª divisão série B a SFG Pais foi vencer a Oliveira do Hospital por 3-1 e consolidou a 5ª posição com 21 pontos. Na série C, os Tigres ainda assustaram o União Micaelense quando aos 5 minutos da 2ª parte venciam por 4-2, mas os homens de São Miguel, viriam a dar a volta ao marcador acabando por vencer por 7-4. Por fim o Santa Cita não foi além de um empate a uma bola frente aos Corujas e viu o BIR isolar-se na classificação, aproveitando também a derrota do C Stella Maris em casa frente ao vizinho HC Lourinhã. Com este empate a equipa de Coruche caiu para a penúltima posição com 13 pontos, estando como é sabido a lanterna vermelha entregue aos Tigres que ainda não pontuaram na presente época.

Em rota para El Ferrol - Espanha na posição 4152N - 00953W

sábado, 17 de Janeiro de 2009

NOTA DA REDAÇÃO

Quando este post for publicado, já terei certamente saído a barra de Lisboa, rumo a El Ferrol em Espanha, onde irei iniciar a minha missão como Staff Chief Radio Supervisor da SNMG1 (Standing Nato Maritime Group 1), que terá o seu “terminus” dia 23 de Janeiro de 2010. Assim sendo não sei, qual a minha disponibilidade para manter o Cartão Azul com a actualização que os visitantes merecem. Nos últimos tempos equacionei por várias vezes acabar com o Blog, mas acho que os visitantes que fizeram deste espaço aquilo que ele é, e que foram responsáveis pela projecção que o mesmo tem, e que fazem deste meu hobby, o seu ponto de passagem diário, não merecem, e aqueles que enviam comentários a denegrir o Cartão Azul, a ameaçar-me, e a responsabilizarem-me por situações que nada tenho a ver, ou até a afirmarem que este espaço foi criado para denegrir a imagem de um determinado clube Ribatejano, não vão conseguir (no meio da sua anónima cobardia) os seus intentos, e fazer com que eu acabe com o Blog. Assim sendo dentro das minhas possibilidades, e da disponibilidade de acesso ao satélite, vou tentar manter o Cartão Azul actualizado, até pelo facto de me manter fiel a quem me é fiel, e para poder em Janeiro de 2010, regressar de novo, não em velocidade de cruzeiro, mas sim em alta velocidade, com toda a informação sobre a nossa modalidade em geral, e Ribatejana em particular, assim “a arte e o engenho” me ajudem.

Atenciosamente
Francisco Gavancho

sexta-feira, 16 de Janeiro de 2009

LIDERANÇA PASSA POR TURQUEL

Amanhã pelas 2100 horas, quando a dupla de arbitragem der inicio ao jogo em Turquel, a equipa do SC Tomar vai ter mais um teste, para provar que a posição que ocupa, ou seja líder, é para manter e provar que é um sério candidato á subida, por seu lado a equipa da casa, tudo fará par vencer e ultrapassar a equipa de Nuno Lopes na tabela classificativa. Pode ler a antevisão do encontro aqui, num trabalho do site oficial do HC Turquel. Em Ourém a J. Ouriense recebe o Académico da Feira que tem os mesmos pontos da equipa de Manel Domingues, num jogo em que se espera que a equipa Ouriense regresse ás vitórias.
Na zona sul, o União desloca-se até Cascais, para defrontar o actual 3º classificado, num jogo que se prevê de elevada dificuldade, numa altura em que a derrota poderá significar a aproximação á zona de despromoção.
Na 3ª divisão série B, a SFG Pais viaja até Oliveira do Hospital, para um encontro difícil, mas onde a equipa de Hélder Santos irá tentar provar a sua superioridade em relação á equipa anfitriã. Na série C, duelo Ribatejano entre Corujas e Santa Cita, onde ambas as equipas irão tentar os 3 pontos, se por lado da equipa de Coruche uma vitória é sinónimo do regresso ás melhoras exibições da época, por parte do Santa Cita a vitória mantém a equipa nos lugares cimeiros da tabela. Por fim os Tigres ainda á procura da 1ª vitória no campeonato deslocam-se até São Miguel nos Açores para defrontar o União Micaelense, num jogo que terá transmissão directa via internet a partir das 1630 horas Continentais no site do Clube União Micaelense.

quinta-feira, 15 de Janeiro de 2009

NOS BASTIDORES DO CARTÃO AZUL

A menos de 48 horas do inicio da missão, que irá certamente mexer com o Blog no que concerne aos “timings” de actualização, publicação/divulgação de noticias o Cartão Azul recupera a entrevista concedida por Francisco Gavancho (Administrador do Blog) ao Blog MSJ7 (entretanto extinto), no dia 28 de Outubro de 2007. Actualmente revejo-me na esmagadora maioria das respostas, tendo no entanto alterado a minha opinião em relação a uma ou outra.

Bom dia Francisco Antes de mais, e achando eu justo e compensatório o trabalho que tens feito na divulgação do Hóquei regional, desafio-te a colocares-te no lado oposto e seres tu a dar uma entrevista para o MSJ7.

MSJ7 – Queria começar por te perguntar como surgiu esta ideia de perderes grande parte do teu tempo por um projecto todo ele elaborado pela tua carolice e paixão por esta modalidade?
FG – Em primeiro lugar obrigado pela oportunidade, quanto á ideia começou a ter os primeiros “alinhavos”, na altura em que estava a bordo da Fragata Vasco da Gama, longe do Entroncamento e onde só conseguia saber alguma coisa do hóquei do Ribatejo através do teu blog, e então no meu tempo livre fui começando a fazer um esboço do que viria a ser mais tarde o Cartão Azul. Depois de ter desembarcado e restituído á família o tempo que lhes tinha “roubado” em 3 anos de mar, comecei a documentar-me a falar com pessoas ligadas á modalidade e no dia 01 de Março dei inicio ao trabalho, sempre muito apoiado pelo meu filho que me foi dando umas digas na elaboração/configuração do mesmo.
MSJ7 – Sabendo eu que és um apaixonado pelo Hóquei, quais as convicções que te levam, passado quase um ano, a levar esta iniciativa para a frente, mesmo sujeito a alguma opiniões contraditórias ou mesmo algumas ofensas a nível pessoal a que um administrador de um espaço destes está sujeito?
FG – Sabes Mário, o que me tem movido a continuar com este “hobby” é a vontade de divulgar a modalidade que eu elegi como favorita, sem nunca a ter praticado, e que se não forem os Cartões Azuis, os MSJ7, Mundook, Mundo do Hóquei, União Micaelense entre outros a divulgar, acaba por cair no esquecimento e já que a comunicação social nacional e regional/local não acompanha ou pouco liga, e desculpa o termo temos que ser nós “carolas” a assumir esse papel. Quanto ás opiniões contraditórias, são sempre bem vindas e se forem criticas construtivas ainda mais, quanto as ofensas pessoais só vem fazer com que a dedicação seja maior.
MSJ7 – Sabido que és um adepto honroso do União do Entroncamento, como vês esta travessia de resultados e formação que se abateu no clube nestes últimos anos?
FG – Eu cresci na rua paralela ao União, lembro-me de ver jogos no antigo ringue em cimento, que depois foi aumentado, apesar de nunca ter praticado sempre vi os jogos e frequentei as instalações para jogar futebol salão. Quanto a esta fase menos boa do clube a nível de formação, pois quer queiramos quer não o União foi e é e estou convencido que voltará a ser um ícone na modalidade em geral e na formação em particular. Mas na minha opinião enquanto adepto e sócio do clube o ponto de viragem e a curva descendente a nível de resultados começa com a saída do Sr. João Maria, que era o principal mentor/dinamizador do clube a nível de formação, e depois ouve dois ou três elementos que vieram a seguir que em vez de pegar no trabalho que estava feito pelo Sr. João, começaram a inventar e neste altura em pleno século XXI, está tudo inventado como tal, estragaram um trabalho que demorou décadas a construir, e que tu enquanto jogador do clube sabes bem que existia, e não é á toa que do União saíram jogadores muito bons, alguns acima da média como o Gonçalo Amaral e o Nuno Cochicho, entre outros, e ainda actualmente tanto como jogadores, como treinadores continuam em posições cimeiras no hóquei ribatejano.
MSJ7 – Conseguimos analisar pelos resultados que o UNIÃO está em franca recuperação de credibilidade, achas que agora sim, está no caminho certo?
FG – Por acaso estive no passado sábado de manhã do Pavilhão e foi com muito agrado que vi muito miúdos penso que alguns bambis outros benjamis a trabalhar com agrado e afinco e aquela imagem fez-me recuar uns onze, doze anos atrás quando o Nuno começou a dar as primeiras “patinadelas”, sob a orientação do José Manuel Ventura, e que o União era referência. Actualmente penso que esses miúdos vão ser o futuro do clube e o Cajé, o Saboga, o Rui Alves e as outras pessoas que trabalham com eles, irão de certeza colher o que estão agora a semear.
MSJ7 – Uma opinião sobre este novo presidente do clube?
FG – Penso que o Sr. Vítor Frutuoso, além de estar ligado á vertente desportiva é uma pessoa com princípios e dinamismo para trazer de novo o União ao lugar que é seu por direito.
MSJ7 - Como vês a formação e o hóquei em geral a nível regional?
FG – A nível regional, acho que existem dois clubes que estão a trabalhar a “todo o vapor” que é o caso do HC Santarém e do SC Tomar, e os restantes continuam também a desenvolver um bom trabalho, e fruto disso são as chamadas aos trabalhos das selecções nacionais, do David Vieira e do Filipe Almeida, e resultados como os de 2005 e 2006 no Inter-regiões em que se alcançou um quinto e quarto lugar. Depois acho que temos óptimos técnicos a trabalhar no distrito, o que falta se calhar é a abundância de atletas como acontece em Lisboa no Porto e em mais duas ou três localidades do país, e neste caso quantidade é sinónimo de qualidade, pois é mais fácil em 30 ou 40 escolher 10, do que por vezes ter 10 para escolher outros tantos.
MSJ7 – E a nível Nacional?
FG – Continua a haver aqueles clubes que são referência a nível de formação, tipo um Paço de Arcos, FC Porto, OC Barcelos, que são candidatos crónicos ás finais, e depois a espaços lá vão aparecendo uns out-siders como foi o caso do FC Oliveira do Hospital, o Parede FC este ano em juvenis. Ainda por Lisboa e pelo que tenho acompanhado acho que tanto o Sporting como o Benfica estão a fazer um trabalho muito bom na formação, de que já resultaram títulos nacionais.
MSJ7 – Sendo tu um adepto atento do hóquei a nível regional, espectador atento de alguns jogos, o que achas e que clubes pensam estar a trabalhar melhor?
FG – É difícil responder a essa pergunta, porque acho que todos eles dão o seu melhor em prol da modalidade, e depois é difícil agradar a “Gregos e Troianos”, senão vê o caso do Tomar em seniores, que apesar de ser a melhor equipa ribatejana (na minha opinião, claro) ser um dos ícones da modalidade a nível nacional, e que tem um boa equipa, muito bem orientada, se questionares os adeptos do clube uns são a favor outros são contra, portanto é sempre difícil dizer quem está melhor. Não posso deixar passar a oportunidade para saudar o Gualdim Pais nesta sua nova faceta que é o nacional de seniores, e estou convencido que após este ano de “aprendizagem”, vamos ouvir falar muito daquela equipa. Quanto ás outras aproveito para desejar a todas um excelente campeonato e que no final da época tenham conseguido atingir os objectivos a que se propuseram.

MSJ7 – Mudando de assunto, o Mar é para ti o céu de muitos, Descreve-nos um pouco da vida marítima que um homem como tu tem, passando horas e horas dentro de um barco, longe da família e dos amigos.
FG – Sabes Mário, o mar é a minha paixão e quando consigo conciliar o prazer de trabalhar em comunicações com o prazer de navegar é sem dúvida uma realização tanto pessoal como profissional, é claro que isto tem o reverso da medalha que é longos períodos ausente, longe da família, longe dos amigos mas a família em particular como elo mais forte, compreende que a minha vida passa por isso e tem noção do quanto me realizo profissionalmente. Actualmente estou numa fase em que desembarquei á cerca de um ano, e terei apenas uma nova hipótese de voltar ao mar, que está neste momento em cima da mesa e a ser estudada por quem de direito, e como tal estou naquela fase que se for eu o eleito, terei todo o orgulho em voltar a servir o meu país em mais esta missão, se não for continuarei a servir o meu país da mesma forma mas sem a componente marítima associada, e neste caso continuarei a servir os amantes da modalidade através do Cartão Azul. Em relação a passar horas, dias, semanas no mar ainda o ano passado em Junho estivemos 23 dias seguidos no mar, vai-se passando com “tranquilidade”, alternando as horas de serviço, com outras de lazer, onde se vai pondo a leitura em dia, ouvindo umas musicas, e acabamos por estar em casa pois somos uma família e o objectivo é comum, atracar em segurança em Lisboa e regressar aos entes queridos.
MSJ7 – Francisco, antes de mais o meu obrigado por aceitares esta conversa e muitas felicidades e continuação de um trabalho sério que estás a realizar com o Cartão Azul.Para terminar, uma mensagem aos miúdos que começam agora a sua vida desportiva na nossa modalidade.
FG – Que tenham objectivos, que trabalhem sempre para serem os melhores, e sejam disciplinados e tenham regras, pois ter habilidade só não chega, é preciso disciplina e se conseguirem aliar a vocação para a modalidade, com o trabalho e a vontade de vencer, tentando absorver ao máximo os ensinamentos dos treinadores, tem tudo para singrar.
MSJ7 – Obrigado e até uma próxima. Abraço
FG - Obrigado eu Mário pela entrevista e felicidades para o teu MSJ7 e para a tua vida particular e desportiva.

UNIÃO - FABRIL

No próximo sábado dia 17, pelas 1630 horas, o Pavilhão Albano Mateus no Entroncamento irá ser palco de um jogo de veteranos entre o União FE e o GD Fabril. Será o reencontro de velhos amigos que irão aproveitar a sua modalidade de eleição para uma tarde de convivo.

quarta-feira, 14 de Janeiro de 2009

30 ANOS DEPOIS

O GD Fabril ao vencer no passado fim de semana no ringue do Vasco da Gama AC de Sines, por um expressivo 8-2, sagrou-se virtual campeão distrital da AP Setúbal, quando ainda faltam 3 jornadas para o “terminus da prova”. Com este apuramento para o Nacional da categoria, o popular clube do Barreiro atinge um feito que já não conseguia á 30 anos. Sob o comando técnico de Carlos Soares, são estes os novos campeões: Filipa Antunes (G.Redes), João Soares, David Soares, Guilherme Remédios e Tiago Gomes (cap.) e ainda Diogo Evangelista (G.Redes), André Bento e David Guerrerinho.

Fonte: Rostos.pt

NACIONAL DE INFANTIS E INICIADOS

A APR será representada por duas equipas nos Nacionais de Infantis e Iniciados na presente época, segundo a grelha de apuramento apresentada pela FPP.

Em Infantis, SC Tomar e ACR Santa Cita serão em principio os representantes Ribatejanos no Nacional.

Em Iniciados e num campeonato distrital marcado por resultados fora do comum como por exemplo 23-1, e 35-1, SC Tomar e HC Santarém serão os representantes da APR.

Fonte: FPP

terça-feira, 13 de Janeiro de 2009

S. ESTEVES, PADROEIRO DO SC TOMAR

O SC Tomar venceu o Infante de Sagres por 5-3, em jogo que contou para a 13.ª jornada do Nacional da 2.ª Divisão, zona Norte.
Vitória justa para os jogadores tomarenses, que na hora da verdade não desperdiçaram a oportunidade de facturar, perante uma formação jovem e muito ambiciosa, que veio até Tomar mostrar o porquê de serem uma das surpresas neste campeonato.
O Sp. Tomar entrou no jogo disposta a resolver cedo o resultado, pressionando o último reduto adversário, tentando assim criar condições para inaugurar o marcador. A equipa Portuense a defender com garra, procurava em contra ataque surpreender a defesa leonina. A primeira metade deste 1.º período assistiu-se a um jogo rápido com as duas formações a andarem no limite, criando assim situações para golo. E neste aspecto o Sp. Tomar, foi o mais perdulário com Gonçalo em noite “não” a falhar na cara do guardião nortenho 3 situações de golo eminente. Como diz o ditado, quem não marca, sofre, e foi o que aconteceu aos Leões, que permitiram ao Infante de Sagres inaugurar o marcador numa jogada muito consentida pela defensiva leonina, estavam decorridos 17 minutos de jogo. O Sp. Tomar, não se atemorizou, e 3 minutos depois, Esteves num remate frontal restabelecia a igualdade, mas mais uma vez o ultimo reduto leonino a dar espaços comprometedores, permitiu que a equipa do Porto fizesse o 2.º golo a um minuto do intervalo.
A equipa de Nuno Lopes teve uma entrada de leão com Miguel Mor a facturar logo no 1.º minuto do segundo tempo num golo cheio de oportunismo, e criando situações de golo que foram sendo desperdiçadas pelos atletas leoninos.

Mas mais uma vez, numa situação de bola controlada, e quando se esperava que a qualquer momento o Sp. Tomar se adiantasse no marcador, seria o CI Sagres a marcar o 3.º golo numa jogada em que a defensiva leonina ficou mal na fotografia, eram decorridos 7 minutos do encontro. A correr contra o tempo e o marcador, o Sp. Tomar intensificou o ataque, assistindo-se a um jogo aberto e jogado a muita velocidade por parte dos dois conjuntos. Os espectadores teriam que esperar para os últimos 5 minutos do jogo para assistir à reviravolta Leonina, com Esteves a 5 minutos do fim empatar a partida num golo onde a sorte acompanhou o avançado tomarense. Com o pé no acelerador, a formação de Nuno Lopes, foi criando brechas na defesa nortenha e seria num contra ataque que os Leões se adiantavam pela 1.ª vez no marcador através de Gonçalo a dois minutos do fim do encontro, num remate colocado, e que punha o Pavilhão ao rubro. Esteves, no último minuto faria o golo que ditava o resultado final deste encontro, numa altura em que a formação do Porto, já não respondia de forma eficaz à avalanche atacante da formação Sportinguista.
Na retina fica a excelente exibição de Esteves, que com 3 golos foi a figura do encontro, assim como Ivo Silva o jovem atleta Tomarense importantíssimo nos movimentos atacantes no final do jogo, provocando desequilíbrios que foram a chave para o sucesso Leonino.O SC Tomar fez alinhar de início: Ivo Ribeiro (GR); Orlando Fernandes, Gonçalo Santos (1), David Gonçalves (3), Ivo Silva; jogaram ainda; Pedro Silva, Miguel Mor (1); Não jogaram João Capitolino, Carlos Martins e Carlos Costa (GR).

Crónica: Carlos Emídio Martins
Foto: Centro Desportivo - Jornal "Cidade de Tomar"

segunda-feira, 12 de Janeiro de 2009

DE VITÓRIA EM VITÓRIA

Vitória em vitória, lá vai a A.C.R.Santa Cita em busca do seu objectivo. Numa 1ª parte em que só deu Santa Cita, o jogo começou com uma bomba do Pedro Nunes aos 23m47s da 1ª parte, passados 10 minutos, aos 13m36s veio o segundo golo para a Santa Cita, o seu autor foi Nuno Nobre. Aos 9m16s o Pedro Nunes faz o terceiro golo, no minuto 6 e 57 segundos novamente Nuno Nobre marca. A Santa Cita continua a jogar a seu belo prazer e aos 3m30s é a vez de Rui Oliveira fazer o seu golo e o quinto da sua equipa. Aos 2m29s marca o Zig e faz o seis a zero. A 42 segundos do final da 1ª parte a equipa do São Roque marca o seu primeiro golo, pelo seu jogador nº 6, levando o resultado a registar no final da 1ª parte, o seguinte: A.C.R.Santa Cita 6 São Roque 1

(Rui Oliveira - autor de 2 golos)

A segunda parte foi um jogo mais calmo, por parte da equipa da Santa Cita, o que veio fazer com que a equipa de São Roque, podesse aparecer mais em jogo, e recorrendo também a remates de longe, mas o G.R.( João ) da Santa Cita, esteve muito bem. O primeiro golo da 2ª parte só surgiu a 5m00s do fim, através do Rui Nunes. A 3m48s do final da 2ª parte, o Rui Oliveira faz o seu segundo golo na partida e o oitavo golo da sua equipa. Nos últimos segundos, mais propriamente, a 37s do fim do jogo é marcada uma falta contra a equipa da Santa Cita, em que o São Roque aproveita para marcar o seu segundo golo. Assim o resultado final foi: A.C.R.Santa Cita 8 São Roque 2

A A.C.R.Santa Cita fez alinhar de inicio: João(G.R.), Pedro Nunes(2), Nuno Nobre(2), Tiago Pereira, Zig(1), jogando ainda Rui Oliveira(Cap.) (2), Tiago Barreiro, Rui Nunes(1) e André( um Juvenil ). Não jogou Hélder Marques (G.R.).

Crónica de Nunão

domingo, 11 de Janeiro de 2009

SC TOMAR RECUPERA A LIDERANÇA

O SC Tomar assimiu a liderança da zona norte da 2ª Divisão, ao vencer ontem o CI Sagres por 5-3. Com esta vitória a equipa de Nuno Lopes destronou o HC Turquel que saiu derrotado na visita a Espinho. O Riba d'Ave que venceu a J. Ouriense por 4-1 encontra-se em 2º lugar a um ponto da equipa Leonina, mas com um jogo a menos. Quanto á equipa Ouriense com esta derrota caiu para a 11ª posição com 16 pontos, estando apenas a um ponto da zona de descida.
Na zona sul, a equipa do União foi derrotada pelo lider AE Física por 2-1, tendo inclusive estado em vantagem até perto do final da 1ª parte. O empate teria sido de elementar justiça, pois nenhuma das equipas merecia sair derrotada. A jovem equipa de arbitragem que viajou de Setúbal, teve um trabalho aceitável e sem influencia no resultado, ficando apenas na retina dos que presenciaram o jogo, a forma impune como o capitão da equipa forasteira "passeou" no jogo cometendo faltas, umas atrás da outras, cortando jogadas perigosas, e vendo apenas o cartão amarelo a poucos segundos do final da partida, ao passo que outros atletas á primeira falta eram logo contemplados com o cartão. A equipa de António Vicente ocupa a 11ª posição com 14 pontos, 3 acima da linha de água.
Na 3ª divisão, série B a SFG Pais recebeu e venceu o CF Perosinho por 8-6, e subiu á 5ª posição da geral, por troca com a ACR Pessegueiro do Vouga que saiu derrotado na visita a Cucujães. Na série C, a ACR Santa Cita recebeu o São Roque e não deixou os seus créditos por mãos alheias e "despachou" a equipa Madeirense por um expressivo 8-2, mantendo a 3ª posição com 24 pontos, menos 3 que o BIR 2º classificado mas com menos um jogo. O C Stella Maris que venceu o BIR assumiu a liderança com 28 pontos, revelando-se como principal candidato á vitória da série. Em Almeirim os Tigres perderam pela diferença mínima com os Lobinhos, 5-4 foi o resultado final, e começa-se a notar já na equipa da Capital da Sopa da Pedra o "dedo" de Mário Almeida na condução da equipa. Por fim os Corujas não conseguiram manter as boas exibições com que nos tem habituado esta época e saíram derrotados na deslocação á Lourinhã, 7-4 foi o resultado final, e o aproximar da equipa do Litoral Oesta da equipa das Margens do Sorraia.


sexta-feira, 9 de Janeiro de 2009

UNIÃO RECEBE O LÍDER

A tarde/noite fria (segundo as previsões dos meteorologistas) de amanhã, será palco de mais uma jornada dos nacionais de hóquei em patins, e onde se espera que os jogos aqueçam o muito publico que espalhado por esse país fora os irá presenciar. Na 2ª divisão zona norte o SC Tomar ainda a refazer-se da (inesperada) derrota em Ponte de Lima recebe o Infante de Sagres, num jogo a fazer recordar os bons velhos tempos e onde a equipa de Nuno Lopes não poderá facilitar sob pena de começar a ver fugir os adversários directos. A J. Ouriense depois do empate caseiro frente á AD Sanjoanense, num jogo onde a dupla de arbitragem de Leiria preconizou um dos hinos a como não se deve apitar um jogo de hóquei em patins, desloca-se até casa de um dos candidatos, nada mais nada menos que o Riba D’Ave, que com um jogo a menos apenas se encontra a dois pontos do líder HC Turquel, que nesta ronda tem uma difícil deslocação a Espinho para defrontar a Académica local.
Na zona sul, o União recebe o líder AE Física que comanda com mais dois pontos que o Cascais, próximo adversário da equipa de António Vicente. Espera-se então um União inspirado e que á imagem da época passada consiga uma excelente exibição frente á equipa que viaja de Oeste.
Na 3ª divisão série B, a SFG Pais depois da vitória em Viseu, recebe o CF Perosinho que se encontra em igualdade pontual com a equipa de Hélder Santos, e que tentará certamente desempatar a contenta, até pelo facto de na 1ª volta o jogo ter terminado empatado. Na série C a ACR Santa recebe o São Roque, num jogo onde o favoritismo recai na totalidade sob a equipa de Luís Miguel Cunha, e que poderá trazer dividendos até pelo facto de os dois primeiros jogarem entre si. Os Tigres jogam novamente em casa e desta feita com os Lobinhos, naquele que será o segundo jogo de Mário Almeida á frente da equipa dos Tigres, e onde se espera finalmente a primeira vitória e os respectivos pontos. Por fim os Corujas viajam até á Lourinhã para defrontar o Hóquei Clube local, num jogo onde a garra dos “homens do Sorraia” poderá sinónimo de uma vitória no litoral Oeste.

TV PAREDE FC

O Blog do PAREDE FC tem uma nova TV Parede FC - VIA INTERNET. Com esta inovação todos os adeptos e associados do clube poderão ver os jogos da sua equipa, assim como todos os amantes da modalidade poderão assistir a jogos de hóquei em patins, que irão ser transmitidos e onde estão englobados todos os escalões do Parede FC. De seguida fica a programação da TV Parede FC para este fim-de-semana.

Fonte. Blog Parede FC

quinta-feira, 8 de Janeiro de 2009

VENHA DE LÁ ESSE RECIBO...(VERDE)

Como tenho a vindo a escrever, este ano vamos finalmente entrar no Mundo do (RECIBO) Verde.
E fala-se, fala-se mas os árbitros que são os grandes interessados nada sabem do que se fala.
Alguns também dizem que é o momento de ficar calado e esperar, mas isso é o que temos feito há muitos e longos anos.
Estamos a dias ou a horas de saber que para arbitrar temos que nos colectar, mas ninguém nos pede a opinião.
Estamos a dias ou a horas de saber qual a forma de receber o que nos é devido 2008, mas ninguém nos informa como.
Estamos a dias ou horas de saber, sobre qual colecta que temos que passar o RECIBO VERDE, mas ninguém explica como.
Estamos a dias ou a horas de saber, o que vamos a fazer no futuro, se vamos continuar a ser árbitros ou não, mas a incerteza persiste.
Mas isto é o destino de ser árbitro, saber esperar calado e muito calado que os outros decidam o nosso futuro.
Nesta altura que nos devíamos estar a reunir e a discutir qual seria a melhor solução para nós, o que fazemos, calamo-nos e esperamos que decidam por nós.
Com isto não estou a criticar, quem manda, porque eles estão perante uma situação que lhe impuseram, e estão à procura das soluções, mas outros existem que deveriam de nos manter mais e melhor informados, porque isto diz respeito ao nosso futuro.
Mas o habitual e já tradicional marasmo dos árbitros (porque hoje ainda são, mas amanhã serão ou não), está no seu esplendor.

E nós os árbitros que também somos chefes de família e pessoas que à muito temos tirado aos nossos para dar também à nossa arbitragem, estamos na contingência da deitar pelo cano abaixo de um momento para outro todo o nosso esforço e dedicação que temos dado à Arbitragem ao longo de muitos e muitos anos, isto só porque não nos deixam planear o futuro com alguma antecedência.
Os jogos do ano 2009 já começaram, e como vai ser, para receber vou ter que passar um RECIBO VERDE, e se eu não poder passar?
Além do Mundo Verde, temos à nossa espera um MUNDO NOVO.
Um MUNDO NOVO de estar em campo, de regras e de sinaléticas. No Novo Mundo o árbitro tem que fazer tanta sinalética, que o árbitro para fazê-las todas e para ver se a mesa vê o árbitro a fazê-las, não pode estar a olhar para o que está a passar em pista.
No Mundo Novo existe uma forma nova de estar em pista tanto para os jogadores como para os árbitros e será que já estamos a preparar para essas mudanças.
Ou vai ser como bom portugueses que somos (até já estamos a pagar os nossos impostos direitinhos), que vamos preparar em Agosto de 2009 o MUNO NOVO para Setembro de 2009.
Por isso é urgente que informem como será o futuro (VERDE e o NOVO) para que os árbitros possam ser eles a decidir o seu futuro.

Titulo: Cartão Azul
Artigo extraído do BAHP
Arbitragem de Hóquei em Patins

quarta-feira, 7 de Janeiro de 2009

TREINADOR DE BANCADA

"Lotação Esgotada"

Numa altura em que o hóquei navega em águas agitadas, são as decisões dúbias de alteração de horários, e jogos, são faltas de comparência, é o rectificar de artigos que no entanto foram lesivos para equipas que lhe viram ser sonegados pontos ganhos justamente em campo, é o diferenciamento entre os jovens Continentais e os jovens Insulares no que concerne aos Campeonatos Nacionais, é o novo foco de insatisfação na arbitragem por causa dos recibos verdes, etc, existe porém numa localidade do distrito de Leiria, onde o hóquei é, foi e sempre será visto e apoiado da mesma maneira, tal “aldeia Gaulesa”, a resistir ás investidas dos “Romanos” que dominam a “Gália”.

Estou a falar de Turquel, onde durante a presente época ainda não houve um jogo de seniores que tivesse uma assistência inferior a 500 pessoas (mais do que o clube de futebol da capital de distrito - União de Leiria – Divisão de Honra, tem a assistir aos seus jogos). Independentemente do nome do adversário, e da sua posição na tabela classificativa, os Turquelenses de 15 em 15 dias mobilizam-se e enchem por completo e por vezes “a romper pelas costuras”, o renovado pavilhão do HC Turquel. Não se pense que apenas os seniores tem esta receptividade, os escalões de formação do clube são presenteados com as mesmas bancadas cheias de fervorosos adeptos que incansavelmente puxam pela sua equipa, trazendo á memoria dos forasteiros que afortunadamente visitam o local, as emoções de outras épocas, que se pensavam esquecidas, e que os “arautos da desgraça” tentam fazer passar em relação a modalidade.

Sendo Turquel uma terra que respira hóquei por todos os lados, por onde passaram e de onde saíram jogadores do mais alto nível, esta moldura humana que compõe as bancadas do pavilhão, vem apenas provar que a modalidade se encontra de saúde, e de certeza que por este país fora, nos pavilhões onde se pratica hóquei devem existir muitos mais “TURQUEIS”.

Fotos: Site Oficial HC Turquel

HCS ENTRA EM GRANDE EM 2009

O Hóquei Clube de Santarém tem dez equipas, em todos os escalões, à excepção dos seniores, desde os bambis (5/6 anos) aos juniores (17/18 anos). Fruto de todo um trabalho realizado ao longo dos anos, o HCS vai ter pela primeira vez uma equipa de juniores a participar no campeonato nacional já no princípio deste ano. “Vamos começar o ano em grande, com a participação no campeonato nacional a iniciar no dia 8 de Fevereiro e logo na primeira jornada iremos defrontar um histórico do hóquei em patins nacional, o Hóquei Clube de Sintra”, declarou a O Ribatejo Francisco Mogas, presidente do HCS.“Estamos com uma dimensão que no projecto que delineei só esperava atingir daqui a quatro anos, quando o Hóquei Clube completar os dez anos de vida, mas as coisas têm corrido bem e já conseguimos ter as equipas que planeámos todas a funcionar”, adiantou o responsável do HCS. “Já tivemos 11 equipas, este ano reduzimos para 10 e, provavelmente, iremos reduzir para oito ou nove, à medida que o projecto se consolidar, para depois apostarmos mais na qualidade dos resultados, especialmente nos escalões mais velhos”, refere o fundador do HCS.

Só no hóquei em patins, o HCS conta com 105 praticantes, a que se somam cerca de 25 crianças na patinagem artística. Esta modalidade entrou esta época num novo ciclo com a com a contratação de um novo treinador que substituiu a professora Quina. Este treinador é o responsável pelo espectáculo de teatro e patinagem artística “A Casinha de Chocolate” que está em digressão pelo país e esteve em cena no pavilhão gimnodesportivo em Santarém na semana passada. O espectáculo dirigido pelo treinador do HCS tem uma mãozinha de Filipe La Féria na parte da coreografia e conta no seu elenco com grandes patinadores nacionais e campeões europeus de patinagem artística.“O HCS não escapa à crise e as dificuldades sentem-se na falta de patrocínios e no atraso dos pagamentos dos apoios devidos pela Câmara Municipal de Santarém”, afirma Francisco Mogas. “Se até final de Janeiro não conseguirmos receber as verbas em falta, vamos ter de vender uma das três carrinhas do clube, porque apesar de nenhuma delas estar completamente paga, estamos com muita necessidade de verbas para colmatar as dívidas e as empresas estão com tantas dificuldades que nem põem a hipótese de nos apoiar através do mecenato que lhes daria benefícios fiscais”.

In Jornal “O Ribatejo

terça-feira, 6 de Janeiro de 2009

CUSTOU, MAS FOI MAIS UMA VITÓRIA

Depois de uma boa viagem de avião no dia anterior (02/01/2009), tendo como destino Ponta Delgada, tínhamos à nossa espera pessoas ligadas ao U. Micaelense, que nos levaram para São Miguel (Uma bonita Ilha, aquilo que o tempo deu para poder ver). Posso dizer que a comitiva da A.C.R.Santa Cita foi bem recebida em São Miguel. Posto esta breve introdução, vamos á crónica do jogo de hóquei em patins, realizado no Pavilhão Gimnodesportivo Sidónio Serpa, pelas 15h30m (hora dos Açores) 16h30m (hora do Continente), no dia 03/01/2009:
A A.C.R.Santa Cita começou o jogo a perder, pois aos 23m31s da 1ª parte, um jogador do U.Micaelense remata à entrada do meio ringue do Santa Cita e consegue bater o G.R. (João) que não vê a bola partir, a partir dai só deu Santa Cita na 1ª parte, contudo o G.R. do U. Micaelense (Ricardo) defendeu tudo o que havia para defender, mantendo a sua baliza inviolável e com isso o resultado que chegou ao intervalo foi: U. Micaelense 1 A.C.R. Santa Cita 0. Durante o intervalo, o Treinador da equipa de Santa Cita (Luis Miguel Cunha) aproveita para dar mais incentivos às suas " tropas ". A segunda parte começa com o golo do empate (1-1) aos 24m26s, apontado por Tiago Pereira. Com este golo, a equipa do Santa Cita vai à procura do segundo golo, até que aos 18m52s existe um livre directo a favor do Santa Cita, mas o Tiago Pereira não consegue marcar o seu segundo golo e o segundo da equipa, contudo aos 10m14s e numa jogada bonita entre o Zig e o Tiago Barreiro, este último consegue fazer o 1-2.

(Tiago deu inicio á reviravolta)

A partir daqui o U. Micaelense reagiu e deu algum trabalho ao G.R. (João). Aos 8m27s o Zig é impedido de chegar à bola dentro da área do U. Micaelense e é marcado um penálti a favor do Santa Cita, Nuno Nobre consegue converter, fazendo o 1-3. A seguir o U.Micaelense não baixou os braços e criou algumas oportunidades, mas também exagerou um pouco na dureza em que os seus jogadores faziam as faltas. Pode-se concluir que foi um jogo difícil, mas assim tem outro sabor.
A A.C.R.Santa Cita fez alinhar de início: João (G.R.), Nuno Nobre (1), Pedro Nunes, Zig e Tiago Pereira (1), jogando ainda Tiago Barreiro (1), Rui Oliveira (Cap.), Rui Nunes. Hélder Marques (G.R.) e André não jogaram. U. Micaelense 1 A.C.R.Santa Cita 3 foi o resultado final.

Crónica de Nunão

segunda-feira, 5 de Janeiro de 2009

RESULTADO JUSTO

A equipa do Paço de Arcos começou o jogo assumindo a iniciativa do mesmo, como lhe competia.
Apesar disso, não o fazia com o melhor discernimento, com o União a defender com eficácia e a sair sempre com bastante perigo para o contra-ataque, tendo inclusive perdido as duas melhores oportunidades de golo até ao quarto de hora.
Nesta altura o novo reforço do Paço de Arcos, o veterano Rui Lopes, que entretanto tinha entrado em campo para tentar “arrumar” a equipa, faz a diferença ao conseguir arrastar consigo a equipa Unionista, atrasando a bola para João Rodrigues que com pouca oposição faz o primeiro golo com um remate frontal de meia distância.
No minuto seguinte mais um remate de longe desta vez do próprio Rui Lopes. O guarda-redes unionista defende, mas fica com a bola presa debaixo do corpo. Sem se aperceber disso, roda para procurar a bola e acaba por introduzi-la na própria baliza com a perna.
A cerca de três minutos do final da primeira parte novamente Rui Lopes a fazer a diferença e a finalizar com categoria na cara do Guilherme Noronha, após excelente desmarcação para receber a bola à entrada da área.
Na segunda parte a partida iniciou-se novamente com equilíbrio entre as duas equipas, mas aos onze minutos um erro da equipa forasteira leva à perda de bola na zona do meio campo, imediatamente aproveitada pelo Paço de Arcos para em situação de dois para um fazer o quarto golo, desta feita por Ivo.
Julgou-se que o União poderia sair de Paço de Arcos com uma goleada ainda maior, até porque Rui Lopes volta a entrar em campo, jogador que apesar de algo “pesado” ainda faz a diferença em campo, e de que maneira!

(Os 2 golos de Pedro Brazete não foram suficientes)

Ao invés, a partir daqui e talvez por sentir que já não tinha mais nada a perder, a equipa unionista desinibe-se, toma a iniciativa do jogo, encosta a equipa da casa no seu meio ringue e começa a não dar descanso ao respectivo guarda-redes. Este efectua um punhado de defesas de grande categoria e aguenta o resultado até aos dezoito minutos, altura em que Pedro Brazete faz o primeiro golo forasteiro com mais um remate frontal de fora da área.
Continuava o assédio unionista, mas mais com o coração que com a cabeça, talvez devido ao cansaço dos jogadores forasteiros, já que apenas foram utilizados cinco jogadores de campo. Assim, apenas a dois minutos do final do jogo Brazete consegue novamente desfeitear o guarda-redes da casa com novo remate frontal à entrada da área.
Com o resultado de quatro bolas a duas atingir-se-ia o final duma partida que, em jeito de resumo, se pautou pelo equilíbrio na maioria do tempo, conseguindo vencer a equipa que menos erros cometeu e melhor aproveitou os do adversário, merecendo por isso os três pontos sem qualquer contestação.
A equipa do União começou o jogo com Guilherme Noronha (GR), Pedro Brazete, Daniel Noronha, Pedro Sousa e Rui Alves. Jogou ainda Mendes. Suplentes não utilizados, Káka (GR), Ricardo Camarinhas, Eduardo Fernandes e Bruno Carvalho (cap.).
A comitiva Unionista foi ainda composta por Carvalho, delegado ao cronómetro, Camarinhas, delegado, António Vicente, treinador e Jorge Flores, massagista.

Crónica de Luís Brizida

domingo, 4 de Janeiro de 2009

SC TOMAR DERRAPA NO ALTO MINHO

Foi com o patim esquerdo que o SC Tomar entrou no novo ano. A derrota em Ponte de Lima, 3-1 frente aos Limianos poderá ser indicador de alguma fragilidade da equipa de Nuno Lopes fora de casa onde já conta com 2 empates e 2 derrotas, ou seja 10 pontos perdidos que poderão fazer muita falta nas contas finais. Mesmo com esta derrota a equipa Nabantina mantêm a liderança á consignação pois a vitória do HC Turquel hoje, ou as vitórias do Riba D’Ave nos dois jogos em falta, empurram o SC Tomar para a 3ª posição. A J. Ouriense que vinha de duas vitórias seguidas, não foi além de um empate caseiro, 5-5 frente á AD Sanjoanense, num jogo onde o principal interveniente acabou por ser a dupla de arbitragem de Leiria, que realizou uma exibição inaceitável prejudicando as duas equipas e demonstrando que está na altura de uma reciclagem. A equipa de Manel Domingues ocupa a 8ª posição com 16 pontos.
A sul a equipa do União FE não teve a prenda pelos 80 anos de existência, e acabou derrotada por 4-2 frente ao Paço de Arcos, com o reforço Rui Lopes a marcar dois golos e a provar que apesar da idade e de algum peso a mais ainda faz a diferença. Os golos Unionistas foram apontados por Pedro Brazete, num jogo equilibrado em que a equipa da linha aproveitou os erros adversários, sagrando-se justo vencedor. Com este resultado a equipa de António Vicente ocupa a 11ª posição com 14 pontos.
Na 3ª divisão série B a equipa da SFG Pais viajou até Viseu e venceu o Hóquei local por 9-3, e com esta vitória a equipa de Hélder Santos começou da melhor maneira o novo ano estando na 6ª posição com 15 pontos. Na série C, a mudança de técnico em Almeirim não deu resultados práticos e a equipa de Mário Almeida perdeu em casa frente ao BIR por 5-1, continuando sem conhecer o sabor da vitória. Os Corujas deram replica ao C Stella Maris mas foram impotentes para levar de vencida a equipa de Peniche, tendo saído derrotados por 5-3. A equipa das margens do Sorraia ocupa a 8ª posição com 12 pontos. Por fim a ACR Santa Cita subiu á 3ª posição com 21 pontos fruto da vitória em São Miguel – Açores frente ao União Micaelense por 3-1. A equipa de Luís Miguel Cunha com um calendário favorável na 2ª volta tem todas as hipóteses de tentar a subida de divisão.