sábado, 27 de Fevereiro de 2010

SEXO ANTES DA COMPETIÇÃO

O nosso parceiro THP -Treinador de Hóquei em Patins, publicou um artigo intitulado "Sexo antes da competição", que aborda um tema que tem sido algo de vários abordagens e diferentes pontos de vista, ao longo dos tempos, e assim sendo decidimos publicar o artigo na totalidade.

O que pensar da actividade sexual em vésperas de competição?

Sempre foi hábito, e ainda hoje o é, de aconselhar os atletas a abstinência sexual, enquanto estiverem envolvidos em competições ou em fases de treino muito intenso. Este é daqueles conselhos que aparecem perdidos no tempo e ninguém sabe onde e quando tiveram origem, apenas se sabe que foi assim que aprenderam com os seus antecessores.

Efeitos

O sexo como acto por si só tem poucos ou nenhuns efeitos na performance competitiva. Não são as relações sexuais que prejudicam a performance, mas sim a falta de sono, as noitadas ou, ironicamente, a própria procura de sexo.
Está cientificamente comprovado que o tempo de repouso é essencial a uma boa performance desportiva. Por outro lado e, devido à ausência de certezas científicas, a relação entre a abstinência sexual e o desporto de alta competição, tem sido alvo de discussão.

Mitos

À semelhança dos mitos criados em volta da sexualidade, muitos foram os argumentos utilizados, ao longo dos séculos, a fim de proibir as relações sexuais antes das competições. Para os gregos, sémen era força e vida, devia ser preservado e não desperdiçado.
Mais tarde, na época medieval, um herói devia ser abstinente, permanecer puro para conseguir vitórias; a ausência do prazer sexual despertava uma maior agressividade e, consequentemente, uma melhor performance desportiva. Mais recentemente foram desenvolvidos alguns estudos relativamente à testosterona, hormona potencial do desempenho atlético, resistência e capacidade física. Sabe-se que os níveis da testosterona diminuem temporariamente, após as relações sexuais.

Mas será a actividade sexual assim tão corrosiva do equilíbrio calórico?

Na realidade, a energia despendida não atinge elevados níveis calóricos e o sexo pode ser até uma estratégia anti-stress, um meio de aliviar a pressão característica dos desportos de alta competição. É óbvio que o exagero também pode ser prejudicial dado que as reservas de energia têm limites e a influência positiva que a prática de sexo possa ter, passa a ser negativa.

Abstinência, Sim ou Não?

Estes são alguns dos aspectos físicos desta problemática, sendo também necessário ter em consideração os aspectos psicológicos que variam consoante o atleta e a sua maneira de lidar com a própria sexualidade. Claro que se podem e devem evitar exageros como obrigar à abstinência, pois esta pode ser prejudicial, dado que as reservas de energia têm limites e a influência positiva que a prática de sexo possa ter, passa a ser negativa.
Não se deve punir por lei a prática de um dos actos mais instintivos e naturais, mas também é preciso compreender e respeitar regras e limites. Tal como nos esforçamos por trabalhar em equipa, dividir tarefas, respeitar horários de trabalho, cumprir objectivos, horas de formação, assim como todos assumimos responsabilidades inerentes ao nosso trabalho - o mesmo se espera dos desportistas de alta competição.
A vida sexual faz parte da esfera do privado, da vida pessoal e da gestão que cada um faz dela. Limitar ou proibir será desresponsabilizar os atletas. Apesar da actividade sexual antes da competição dar uma maior confiança ao atleta, vantagem esta que está associada à libertação da dopamina e da testosterona, o treinador terá um papel importante no aconselhamento. No entanto, caberá ao atleta ter o bom senso na gestão do que é a sua vida privada e de que modo ela interfere na sua vida profissional.

3 comentários:

Anónimo disse...

Sexo sempre, antes ou depois...durante o jogo é que não!

Anónimo disse...

não è sexo que diminui o desempenho
desportivo mas sim o tabaco as drogas e o alcool o sexo É SAUDAVEL MAS PRATICADO COM SEGURANÇA

Anónimo disse...

mas afinal o que é o sexo?