sexta-feira, 25 de Março de 2011

FERNANDO VAZ EM ENTREVISTA


Fernando Vaz assumiu, no inicio da temporada o cargo de seleccionador regional da Associação de Patinagem do Ribatejo, saiba o que pensa Fernando Vaz sobre a sua própria selecção, o hóquei em patins do Ribatejo e o próprio Inter-Regiões...
Mundo do Hóquei (MdH): Como seleccionador regional, que dificuldades encontrou ao longo da temporada para preparar a sua equipa?Fernando Vaz (FV): Penso que até agora a maior dificuldade foi a de não ter um sítio fixo para a realização dos treinos, o que nos levou a ter que “andar com a casa às costas”, como se costuma dizer, todas as semanas. Apesar desta dificuldade a preparação da equipa está a correr dentro da normalidade para podermos apresentar o melhor grupo no Inter- Regiões. Aproveito desde já para agradecer a disponibilidade e a ajuda dos clubes, atletas, pais dos atletas e respectivos treinadores e a toda a gente que tem ajudado, para que o Ribatejo seja bem representado no Inter – Regiões.
MdH: Tendo em conta o valor dos seus jogadores, qual o seu objectivo, e o da sua Associação, para este Inter-Regiões?
FV: O principal objectivo é o de representar o hóquei do Ribatejo da melhor forma possível, mostrando o bom trabalho que os clubes desta região têm feito ao longo desta época e das anteriores.
Sabemos que vamos ter pela frente mais onze selecções, todas elas com excelentes atletas, e que vão querer mostrar o melhor que são capazes, mas nós também temos as nossas ambições e vamos procurar atingir os objectivos que foram definidos com todo o grupo de trabalho.


MdH: Para si, a escolha do local da disputa da prova foi o mais acertado? O que pode ganhar a modalidade com um Inter-Regiões naquela região do país?
FV: Só pelo simples facto de se continuar a apostar neste tipo de iniciativas para a divulgação do Hóquei em Patins junto dos nossos jovens, em diferentes pontos do país, é sempre uma escolha acertada. Poderia e deveria de existir mais iniciativas como esta, ou parecidas, para que o Hóquei em Patins voltasse a ser a segunda modalidade mais importante ao nível nacional. Nenhuma outra modalidade se pode gabar de ter tantos títulos conquistados até agora como nós… Merecíamos mais respeito e atenção por parte das pessoas responsáveis por esta modalidade e por este país.
MdH: Qual foi o “feedback” que recebeu, ao longo da temporada, sobre o desenrolar do campeonato regional da Associação de Patinagem do Ribatejo e a prestação das equipas da sua região no Campeonato Nacional?
FV: Infelizmente, só temos quatro clubes com o escalão de iniciados na nossa Associação de Patinagem do Ribatejo. Destes quatro clubes, conseguimos pôr dois deles a disputar os campeonatos nacionais, o que foi positivo. Penso que poderíamos ter posto mais uma equipa nos nacionais, porque ambas as equipas que não alcançaram esse objectivo, têm qualidade para tal, principalmente a equipa do Sporting Clube de Tomar, que dá neste momento quatro atletas à selecção. Ao nível da prestação das equipas nos nacionais, as nossas equipas pagam a factura de não ter um campeonato tão competitivo como outras associações, reflectindo-se depois ao nível do jogo a maior maturidade, experiência e ritmo de jogo das outras equipas. Embora tenha havido um evoluir neste aspecto com a realização de campeonatos regionais com as Associações de Coimbra, Leiria e Ribatejo, continuamos a ter uma diferença muito grande ao nível competitivo com as principais Associações. Necessitávamos de mais clubes com índices de competitividade maior para podermos tornar o nosso campeonato mais competitivo e com isso todos temos a ganhar.

Entrevista extraída do site "Mundo do Hóquei"
Fotos: Carlos Emídio Martins