sábado, 5 de Março de 2011

RECORDAR ANTÓNIO LIVRAMENTO

Se fosse vivo António Livramento teria completado 67 anos no passado dia 28 de Fevereiro.


António José Parreira do Livramento nasceu a 28 de Fevereiro de 1944 em São Mansos e faleceu a 7 de Junho de 1999 em Lisboa. Em 1977 muda-se para o clube do coração, o Sporting, integrando uma equipa de sonho. Conquista tudo o que havia para ganhar, incluindo o título que lhe faltava, a Taça dos Campeões Europeus. Fez 209 jogos com a selecção das quinas, marcando 425 golos. Ruma depois ao Amatori Lodi, de Itália, terminando a carreira no Sporting, em 1980. Depois de abandonar os rinques, inicia o percurso de treinador novamente pleno de êxito, levando em 1981 o Sporting à vitória na Taça das Taças. No ano seguinte conquista o Campeonato Nacional. Em 1984 conduz o «seu» Sporting a mais dois troféus para as vitrinas de Alvalade (Taça Cers e Taça de Portugal), e ruma de novo a Itália para treinar o Bassano, onde jogam Luís Nunes e Fanã. Volta a Alvalade, qual pronto-socorro para reanimar uma equipa moribunda, levando-a ao segundo lugar do Campeonato. Com o rigor, disciplina e a capacidade de motivar os jogadores implanta um jogo agressivo, ao bom estilo italiano, de procura constante da bola, aliada ao tecnicismo português que torna as suas equipas infalíveis. 


O seu maior vício era o tabaco, a ponto de, nos estágios da Selecção, dividir o quarto com o massagista para não fumar. Soma mais três títulos, dois Europeus pela selecção, e um Nacional pelos «leões», e já na década de noventa, em 1993, é Campeão Mundial em Itália, 31 anos depois do último troféu conquistado fora de casa. Não pára por aí, e como seleccionador sagra-se novamente Campeão da Europa no ano seguinte. Em 1998 é convidado para treinar o FC Porto e na mesma temporada vence o Campeonato, mas perde por penaltis a final da Liga dos Campeões. A 5 de Junho de 1999, o destino coloca-o perante o desafio final, acabando por morrer repentinamente com apenas 55 anos, vítima de uma trombose. Cristiano Pereira, colega de selecção e seu substituto no lugar de treinador do FC Porto, define o campeão na hora da despedida final: \"Ele era o artista\". Palmarés Início de Carreira no Sporting: 1977 Títulos conquistados ao serviço do Sporting: Como jogador: 1 Taça dos Campeões Europeus (1977); 1 Campeonato Nacional (1977); 1 Taça de Portugal (1977) Como treinador: 2 Campeonatos Nacionais (1982 e 1988); 1 Taça das Taças (1981); 1 Taça CERS (1984); Taça de Portugal (1984).

Texto: Site "Portal do Sporting"

2 comentários:

Anónimo disse...

Nada tem a ver com esta noticia, mas ontem á noite ouvi dizer da boca de um árbitro de 1ª divisão que se a Federação continuar a recusar-se a pagar aos árbitros que no próximo fim de semana os árbitros não vão fazer os jogos onde a mesma seja organizadora. Esta não paga aos árbitros desde Dezembro mas os mesmos já lhe passaram os recibos verdes incluindo o do mês de fevereiro, justificando assim despesas que ainda não pagaram. Disse ainda o mesmo árbitro que a Federação se escuda no pressuposto que o IDP ainda não lhes disponibilizou verbas, mas disse o mesmo, que a federação está enganada ao informar isso de uma forma maliciosa, pois quem paga as taxas de arbitragem são os clubes e esses se as não pagarem no prazo de trinta dias a mesma federação ameaça logo os devedores, afirmou ainda o referido juiz de jogo que a grande culpa disto tudo são os próprios árbitros, pois andam desunidos, mas parece que agora a união está a tomar força e que pelo menos os de primeira, internacionais e muitos do quadro inferior, que são aqueles que devem ser os nomeados para a taça de portugal não irão comparecer aos jogos, embora confirmem os mesmos junto do conselho de arbitragem, podem castigar um isoladamente, mas castigarem todos não o vão fazer de certeza, é que quem não está a cumprir o regulamentado é a federação, disse. As despesas com jogos por parte dos árbitros são imensas, combustiveis, portagens, refeições, desgastes de viaturas e outras, não é suportável se as mesmas não começarem a ser pagas como está regulamentado, afirmou e disse o mesmo e referido árbitro. Deixou ainda cair uma informação que achei ridicula, que a federação paga aos árbitros o km a 25 centimos, eu proprio o interroguei se tinha ouvido bem, ele reafirmou que era a 0,25 o km. Ridiculo mesmo, quando se pretende cativar novos árbitros e uma pessoa ouvir isto, vale mesmo apena dizer que estes tipos além de, alguns, serem burros, a grande maioria serem otários no sentido em terem que suportar uma coisa destas.

Sr. Gestor do Cartão Azul, desculpe utilizar este seu espaço, mas como vejo ser um local interessante e de se falar de hóquei, aqui deixo esta escuta que me parece partilhante por parte de todos nós.

Mário Pereira disse...

Muito interessante recordar aqui no seu "blog" o grande Livramento.
Ainda me lembro de o ver jogar naquela grande equipa do Benfica constituida da seguinte maneira.
Ramalhete, Casimiro, Garrancho, Livramento e Jorge Vicente. Seguiu depois para o Sporting onde também jogou ao lado de grande jogadores, tais como: Sobrinho, Chana e Rendeiro. Penso que na sua passagem para o Sporting foi também acompanhado por Ramalhete e Garrancho.


Nota: De um também ex. mar. de muitas viagens na NATO nos anos 70 a bordo da velha "Mag. Corrêa".

Felicidades para o seu "Cartão Azul".