segunda-feira, 4 de Abril de 2011

SANTA CITA "QB" PARA GARANTIR A SUBIDA

Numa tarde primaveril, e com o Pavilhão bem composto por adeptos entusiastas e crentes na subida de divisão da sua equipa, sob a arbitragem de António Peça de Leiria a ACR Santa Cita alinhou com João Martins (gr), David Vieira, Tiago Pereira, Rui Oliveira (c) e Zig. Luís Miguel Cunha tenha como opções, Renato Godinho e Joel (guarda redes), Tiago Barreiro, Nuno Nobre, André Conde.


A equipa de Santa Cita a necessitar apenas de um ponto para carimbar a subida de divisão, entrou a pressionar frente a uma  equipa que não causou grandes embaraços, tendo no seu nº 7 o jogador mais evoluído tecnicamente, e assim sendo o jogo acabou praticamente por se resumir a três factores, os golos, os constantes protestos do capitão do Arazede, e os erros do arbitro, nomeadamente na componente técnica. Mas de regresso ao jogo e com cerca de 3' o jogador nº 6 do Arazede toca por trás com o setique no jogador adversário, e o arbitro exagera no ajuizar do lance e considera enganchamento, mostrando o cartão azul e assinalando o respectivo livre directo que Rui Oliveira aproveitou para fazer o 1-0 e dar inicio aos festejos. O golo despertou a equipa forasteira que durante algum tempo foi a equipa com mais posse de  bola e a criar oportunidades como foi o caso de uma excelente jogada aos 5' que João Martins defendeu com categoria. Continuou a equipa do Arazede com jogadas organizadas a que o Santa Cita respondia com as já celebres jogadas individuais e seticadas de meia distância. Seria preciso esperar até aos 11' para a equipa da casa assentar o seu jogo, mas seria novamente o Arazede perto dos 14' minutos a dispor novamente de uma boa oportunidade, a que João Martins mais uma vez se opôs com classe. Com 17' minutos jogados e no seguimento de uma jogada individual Zig a passe de Nuno Nobre amplia o marcador para 2-0. O jogo ia decorrendo já com o santa Cita na "mó de cima" mas uma falta cometida sobre o nº 7 dentro da área da equipa da casa, daria lugar à marcação de um penalti que o nº 9 atira para defesa de João Martins, que de seguida defende a recarga do mesmo jogador. Com 4' minutos a faltar para o intervalo e num passe Tiago Barreiro do lado esquerdo do ataque Rui Oliveira bisa e faz o 3-0, para passado cerca de um minuto e meio, numa jogada a papel químico da anterior e com os mesmos intervenientes Rui Oliveira fazer o 4-0. O intervalo não chegaria sem que Tiago Barreiro apontasse o 5-0 a passe de Nuno Nobre.
 
Intervalo: ACR Santa Cita 5  -  AF Arazede 0  (Faltas: 5 - 5)


A 2ª parte começa praticamente com o 6-0 da autoria de David Vieira, e o jogo estava ganho, a subida garantida e a equipa de Arazede sabia disso e o seu hóquei não "incomodava" a equipa da casa. Á passagem do 5º minuto Tiago Pereira vê o cartão azul por jogo perigoso e o nº 6 chamado a marcar o livre directo, faz  um golo de belo efeito, fazendo uma picadinha sobre o guarda-redes. Luís Miguel Cunha aproveita e coloca na baliza o jovem Renato Godinho, e com o pavilhão ao rubro a puxar pela sua equipa a 2ª parte viria a resumir-se ao 7-1 por David Vieira, 8-1 por por Tiago Barreiro num golo de excelente recorte técnico e por fim numa jogada individual seria Nuno Nobre a estabelecer a marca final 9-1. De salientar ainda a entrado do guarda redes juvenil Joel, que com pouco tempo em campo foi chamado a defender um penalti (e fê-lo com classe) na sequência de uma falta de David Vieira dentro da área. O jogo chegava ao fim e começa a festa da subida, e agora faltam 3 pontos para poderem sagra-se vencedores de série e tentar a conquista do titulo de campeão Nacional da 3ª divisão.

Resultado Final: ACR Santa Cita 9  -  AF Arazede 1  (Faltas: 8 - 6)

Sinal mais: Para o publico presente, incansável no apoio á sua equipa e para os jovens Renato e Joel, que disseram a Luís Miguel Cunha que pode contar com eles, também João Martins esteve em plano de destaque. Para o jogador nº 6 do Arazede pela forma soberba como marcou o livre directo que daria o único golo da sua equipa.

Sinal menos: Para alguns períodos da equipa de Santa Cita que abusou de lances individuais e seticadas de longe, e para o capitão da equipa da AF Arazede, que pura e simplesmente se abstraiu da partida em prol de "refilar" com o arbitro por tudo e por nada, sendo até de estranhar como conseguiu passar impune a um ou mais cartões, sendo também de estranhar com se consegue entregar a braçadeira de capitão a um atleta com atitudes daquelas.

O arbitro da partida que viajou de Leiria, esteve em plano negativo, nomeadamente na componente técnica, com decisões que não constam nos manuais, disciplinarmente mal, ao ser condescendente com atitude atrás referida do capitão forasteiro, e outras durante a partida.

5 comentários:

Anónimo disse...

Sr. Gavancho, o árbitro da partida pura e simplesmente não tem "peito" para apitar! Não tem autoridade, deixa chamarem-lhe tudo menos pai (a um palmo da cara dele), e pior, até deixa passar em claro uma situação em que a equipa visitante esteve com 6 jogadores em campo por mias de 10 segundos nas suas "barbas"! E de lamentar a falta de educação para não lhe chamar outro coisa daquele que passeava a camisola 9 do Arazede, ao rematar a bola deliberadamente direito à bancada, não fosse a rede e podia ter sido bastante grave.
Como esteve presente calculo que seja da minha opinião!

Paulo Rodrigues disse...

Sr. Gavancho, uma crónica como já nos habituou, simples, objectiva e em linguagem de gente simples. Obrigado, apesar de não ter estado presente, sinto que vi o jogo do inicio ao fim.

PS: Não compreendo como existe alguém capaz de denegrir o seu trabalho em prol do hóquei, ou se calhar até percebo, é falta de protagonismo dessas pessoas.

Anónimo disse...

Esse artista que sabe as regras á PÁSADA não deve de saber quando o jogo está interrompido podem estar os 20 jogadores em pista "Artigo 16 alinea 6.1

Anónimo disse...

Parabéns Santa Cita.

Um Unionista

Anónimo disse...

Mas essa "interrupção" durou mais de 10 segundos depois de tudo estar pronto para jogar, quer dizer, quase tudo, pois tinham lá os 6 e não pareciam querer ficar só com 5. Pois o tal "Capitão" teimava em querer ser a figura central do jogo!