segunda-feira, 7 de Novembro de 2011

EMPATE ACABA POR SE ACEITAR...!!!

Pavilhão Albano Mateus bem composto para ver a estreia da equipa do União FE no Nacional da 3ª Divisão Centro versão 2011/2012.


Com Teófilo Casimiro do Ribatejo como arbitro da partida as equipas apresentaram-se da seguinte forma:
União FE: Tiago Velez (gr), Bruno Carvalho (c), Bruno Pereira, Pedro Brazete e Marco Bento
Suplentes: Luís "Melão" Santos (gr), PR, Filipe Brizida, João Mendes e João Capitolino
Treinador: Barros Simões

A.Alcobacense CD: Luís Mateus (gr), Jorge Nunes, Duarte Delgado, Diogo Verde e David "Esteves" Gonçalves
Suplentes: João Monteiro (gr), Sérgio Afonso (c), Pedro Baptista e Cristóvão Carreira
Treinador: Sérgio Nunes

O União assumiu logo de inicio o comando da partida perante um adversário que com o decorrer dos minutos foi mostrando a sua qualidade, e assim sendo foi aos poucos equilibrando a partida que estava a ser disputada num bom ritmo. Seria Marco Bento com 17'26'' para disputar que inaugurava o marcador concluindo uma jogada de contra ataque da equipa alvi-negra. O Alcobacense não acusou o golo e continuou a jogar em velocidade, com a privilegiar a troca de bolas entre os seus atletas e a causar alguns calafrios à defesa Unionista, mas Tiago Velez numa tarde/noite inspiradissima ia negando qualquer intento aos adversários. Estávamos sensivelmente a meio da 1ª parte quando Esteves comete falta sobre Marco Bento e vê cartão azul. O mesmo Marco Bento chamado á marcação do livre directo não desperdiça e faz o 2º golo da sua conta. Até ao final da 1ª parte e ainda com cerca de 13' para o final, o jogo não mudou e ambas as equipas "encaixadas" uma na outra iam criando lances de perigo, e se os amarelos de Alcobaça não desperdiçam as oportunidades para de longe alvejar a baliza Unionista, ao que alternavam com boas jogadas colectivas, o União era menos incisivo e por vezes abusava um pouco do individualismo de alguns dos seus jogadores. O intervalo chegava sem que o marcador se alterasse e a equipa de Barros Simões ia para o descanso com uma vantagem  de dois golos:


Intervalo: União FE 2  -  A Alcobacense CD 0  (Faltas: 4 - 6)

A 2ª parte começa com a equipa visitante a tentar "patinar" atrás do prejuízo e com 21'13'' para jogar João Capitolino faz falta sobre Diogo Verde e vê cartão azul, Duarte Delgada chamado à marcação permite a defesa de Tiago Velez. Jogava o Alcobacense em power-play e as constantes trocas de bola a toda a largura do rinque iam abrindo espaços na defesa Unionista e foi num desses lances que Diogo Verde marcou e reduziu para 2-1. O União já com os 5 elementos em pista, carregou sobre o adversário e num lance dentro da área da equipa de Alcobaça, Marco Bento sofre falta e Teofilio Casimiro não tem duvidas em apontar a marca de grande penalidade. Chamado à conversão PR faz golo e coloca de novo o União com dois golos de vantagem (3-1). O Alcobacense reagiu e Tiago Velez continua a por termo a todas as tentativas adversárias, fossem seticadas de meia distância, fossem jogadas de entendimento. Seria Esteves numa jogada de insistência a marcar 3-2 faltavam cerca de 15' para o final. O União começava a perder o controlo da partida e jogava apenas em dois terços da pista, abdicando praticamente do ultimo terço. Faltavam cerca de 9' para o final quando a equipa da casa atinge a 10ª falta, mas Esteves chamado a marcar o respectivo livre directo não consegue concretizar. A jogar com apenas um golo de vantagem o União vê a equipa adversária atingir a 10ª falta a 6'36'' para o final. Oportunidade soberana para Marco Bento voltar a colocar dois golos de diferença no placard, só que desta feita Luís Mateus não permitiu tal ensejo, e como quem não marca arrisca-se a sofrer na jogada seguinte Tiago Velez comete falta dentro da sua área e o arbitro da partida aponta para a marca de grande penalidade. Esteves chamado à conversão não desperdiça e empata a partida 3-3 a 6'21'' para o final. O nervosismo e falta de imaginação dos atletas do União que já era algo notória, aumentou e o Alcobacense aproveitou para passar para a frente do marcador, novamente Esteves agora numa jogada individual, dá a cambalhota ao resultado (3-4) e diga-se que coloca alguma verdade no resultado, pois a equipa da Capital da Maça estava na "mó de cima" desde o inicio da 2ª parte. Não baixou os braços e União e o golo sofrido teve o dom de acalmar e a bola voltou a circular entre os jogadores e o ultimo terço do rinque voltou a ser privilegiado e dessa alteração de postura viria a ser coroada com um golo de João Capitolino que emendou à boca da baliza para o 4-4. Com 2 minutos para jogar ambas as equipas ainda procuraram o golo da vitória, mas tal não viria a acontecer e o empate final a 4 bolas acaba por se aceitar, no entanto se a vitória tem sorrido aos Alcobacenses não se poderia considerar nenhuma surpresa. Para o União o resultado acabou por ser o mal menor, até pelo facto de ter tido pela frente um dos candidatos á subida, mas não são nos jogos entre candidatos que se hipotecam os objectivos, é sim nos jogos contra adversários de menor valia.


Final: União FE 4  -  A Alcobacense CD 4

Sinal mais: Tiago Velez com uma exibição de elevada categoria, a fazer lembrar o Tiago dos tempos de Juvenil, Júnior e para Marco Bento que continua a ter jogadas do mais fino recorte técnico. A reacção dos jogadores do União quando ficaram em desvantagem no marcador. No Alcobacense Esteves pelos três golos obtidos essenciais para a reviravolta da sua equipa e para Duarte Delgado um jogador de enorme classe e o "maestro" da equipa.

Sinal menos: Barros Simões na minha opinião, acabou por fazer uma má leitura da partida, pois quando a sua equipa vencia por dois golos de diferença, a mesma jogava, e como foi dito anteriormente apenas em dois terços da pista, deixando o ultimo terço, aquele onde se faz golos desguarnecido e completamente dominado pelo adversário.

O arbitro da partida acabou por estar num plano regular, num jogo rápido onde por vezes essa mesma velocidade leva a cometar erros de analise, daí que seria de equacionar que os jogos tivessem dois árbitros, e por exemplo em vez de dois árbitros e um assistente nos jogos da 2ª divisão, porque não dois na 2ª divisão e dois na 3ª divisão. Na minha opinião e ainda relativo à actuação de Teófilo Casimiro, existe na 1ª parte com cerca de 16'' para jogar uma falta do guarda-redes do Alcobaça sobre Bruno Carvalho merecedora de cartão azul, que passou em branco.

Uma palavra de destaque para a claque "Batalhão Ultra" que regressou em força para apoiar os seus jogadores

Fotos de telemóvel: Francisco Gavancho

1 comentário:

Torcida Negra disse...

Foi um bom jogo de hóquei qualquer das equipas poderia sair vencedora. Esteve bem e bem mesmo Tiago Velez, mas só ente os poste. A sua saída poderia ser merecida de cartão azul.... na 2º parte ao ir de encontro ao jogador do alcobacense,que deu origem a GP. Também no decorrer da 2ºP e com o jogo a decorrer o sr. arbitro assinalou duas (2) vezes a mesma falta, mas a mesa de jogo não fez absolutamente nada,apesar de alguns protestos do publico, mesmo assim. Ufe 6 -- Alc.(8) nada se fez. A mesa esteve um pouco aquém da informação ao publico. Nos últimos cinco minutos poderiam UFE ter segurado o jogo se não falhasse tantos passos sem pensar. PARABENS U.F.E. CCCHHHÍÍÍTTÁÁÁ....