segunda-feira, 31 de Outubro de 2011

RESISTÊNCIA DUROU ATÉ AO 2-2...!!!

Um enorme caudal ofensivo, muita velocidade, e uma intensidade de jogo elevada são, para já, as máximas do hóquei em patins do FC Porto de Tó Neves.


Assente numa pressão muito alta, logo junto à baliza adversária, o jogo do FC Porto chega a ser asfixiante, tal a quantidade de investidas sobre a equipa contrária. Para já, ainda em início de temporada - este foi o terceiro jogo oficial dos dragões - , a máquina não está totalmente calibrada, pelo que muitas vezes a defesa é apanhada de surpresa, sendo que em algumas a defesa se reduz a... Edo Bosch ou Nélson Filipe.


Nestas duas primeiras jornadas, disputadas em casa e frente a equipas que subiram à I Divisão, este novo modelo resultou em vitórias tranquilas, a de ontem frente aos Tigres de Almeirim (9-3) mais expressiva do que a da semana passada frente ao Paço de Arcos (6-3).

Apoiados ruidosamente por cerca de 30 adeptos - estiveram 1272 espectadores no Dragão Caixa -, os Tigres de Almeirim ainda conseguiram duas situações de igualdade, ambas concretizadas por Diogo Lã.


O empate a dois, que se manteve durante alguns minutos, era um resultado injusto para a produção do FC Porto, que tinha pela frente um guarda-redes inspirado e que terminou o jogo com... 47 defesas. Os guardiões da casa, juntos, fizeram 21.

Mas tantas bolas lá foram que, ainda na primeira parte, a muralha ruiu. Com toda a naturalidade, tal como foi natural e justa a forma como o resultado se avolumou. Conseguindo uma maior coesão defensiva, esta nova fórmula dos dragões promete ser um caso sério.


Declarações
Tó Neves Treinador do FC Porto:
"O modelo de jogo que queremos"

"Já alongamos mais o tempo, embora cometendo erros que não tinham acontecido na semana passada", começou por dizer o técnico do FC Porto, explicando que "o processo de treino é isso mesmo: treinar, experimentar, corrigir e melhorar". "No início fizemos uma pressão muito alta, cometemos alguns erros que nos custaram golos, mas sabemos que é este modelo de jogo que queremos levar por diante", concluiu Tó Neves.


Nélson Lourenço Treinador dos Tigres:
"Discutimos o jogo até ao 2-2"

"Temos que acreditar sempre, mas também sabemos do real valor da equipa que estava do outro lado e que tem objectivos completamente diferentes dos nossos", disse Nélson Lourenço. "Discutimos o jogo até ao 2-2, mas com a intensidade do FC Porto tivemos três momentos menos bons, sendo que um deles foi perto do final da primeira parte, quando íamos tentar levar a igualdade para o intervalo".

In Jornal "O Jogo"
Foto: 100porcento Dragão e Fotos da Curva
Titulo: Cartão Azul

domingo, 30 de Outubro de 2011

TERMINAR COM O CORAÇÃO NAS MÃOS

Um pavilhão algo despido esperava a equipa de Santa Cita neste seu regresso à 2ª Divisão. Teófilo Casimiro do Ribatejo e Luís Correia de Leiria foram os árbitros da partida, tendo como auxiliar Ana Pereira do Ribatejo.


Luís Miguel Cunha apresentou João Martins (gr), João Filipe, David Vieira, Tiago Barreiro e Nuno Nobre como 5 inicial, tendo ao seu dispor no banco Renato Godinho (gr), Zig, Rui Alves, Tiago Pereira e Rui Oliveira (c).

Começou melhor a equipa do CACO a trocar bem a bola e a empurrar a equipa da casa para junto da sua área. Numa das primeiras jogadas de ataque do Santa Cita, Tiago Barreiro é derrubado na área e o arbitro assinala grande penalidade, que Nuno Nobre desperdiça estavam decorridos cerca de 5 minutos de jogo. A equipa de Campo de Ourique continua com sinal mais e com 17'31'' para jogar numa jogada de envolvência remata ao poste da baliza de João Martins, demoraria apenas mais 3 minutos para o marcador funcionar numa jogada em que David Vieira pressionado perdeu a bola e o capitão visitante aproveitou para na "cara" do guarda-redes fazer o golo.

Luís Miguel Cunha troca Tiago Barreiro por Rui Alves e João Filipe por Tiago Pereira e a equipa ficou mais "solta" e mais acutilante, deixando mais espaço para a terrível meia distância de Nuno Nobre, que viria a dar resultado com dois golos de seticadas de longe com 10'15''para jogar (1-1), 09'42'' (2-1). Bastaram mais 40'' para na melhor jogada da primeira parte Tiago Pereira emendar à boca da baliza depois de passe de Nuno Nobre. Até ao final da 1ª parte mais um lance ou outro de "frison" junto de ambas as balizas, mas sem resultado práticos.

Intervalo: ACR Santa Cita 3 - CACO 1  (Faltas: 5-5) 

A 2ª parte revelou um jogo mais aberto, com ambas as equipas a procurar o golo, e com a equipa da casa a revelar-se mais perdulária que o opositor, os minutos iam passando e o marcador teimava em não se alterar. Com 13'40'' o jogador nº 4 do CACO um dos mais inconformados, setica descaído para a esquerda com a bola a bater no ângulo e a dar a sensação de golo, golo esse que viria a aparecer por intermédio do capitão com 12'22'' para jogar. Com 3-2 no placard e com a equipa da casa a falhar as oportunidades que criava, pairava no ar a ideia que mais lance menos lance o empate chegaria. Com cerca de 10' para jogar Nuno Nobre vê cartão azul e na marcação do respectivo livre directo o jogador de Campo de Ourique permite a defesa de João Martins, mas a jogar em power-play o CACO viria a conseguir o empate numa jogada de contra ataque, 3-3 com 08'43'' para jogar, e com ambas as equipas à beira da 10ª falta.

Seria o Santa Cita a atingir primeiro a 10ª falta com 3'21'' para jogar, mas o jogador forasteiro chamado á marcação do livre directo não consegue levar a melhor sobre João Martins, que já ia com um punhado de boas defesas mantendo o empate. O tempo esgotava-se e o publico adepto da equipa da casa iam disfarçando o nervosismo, criticando a actuação da dupla de arbitragem sempre que esta apontava faltas contra a sua equipa. Num lance de puro contra ataque Rui Alves a seticar nas "orelhas" da bola junto ao poste direito da baliza adversária e a fazer o 4-3 estávamos a entrar no ultimo minuto. O jogo não chegaria ao final sem que o CACO atingisse a 10ª falta, mas Rui Alves foi incapaz de vencer a oposição do guarda-redes e foi o "canto do cisne", pois passados cerca de 30'' o jogo chegava ao fim com a vitória do Santa Cita e os 3 primeiros pontos.


Final: ACR Santa Cita 4 - CACO 3  (Faltas: 10-11)

A vitória acaba por assentar bem ao Santa Cita, fruto do maior numero de oportunidades que criou, no entanto pelo que jogou a equipa do CACO, com boas trocas de bola, jogadores de bom recorte técnico e pressão a toda a largura do rinque, o empate não teria escandalizado ninguém que se deslocou ao Pavilhão na tarde de sábado.

Sinal mais: João Martins foi o "garante" da vitória da equipa da casa, a que se junta Nobre, que apesar de "abusar" das seticadas de longe, vai conseguindo marcar em algumas tentativas, e ontem teve o condão de em duas delas quase seguidas virar o marcador a seu favor. Para a equipa do CACO que apesar das duas derrotas mostrou ser um equipa bem orientada e composta por bons executantes, e irá certamente fazer um bom campeonato.

Sinal menos: Tiago Barreiro algo apático e desenquadrado do sistema da equipa, o que motivou enquanto esteve em rinque a fase menos boa da equipa da casa, no enquanto terá sido uma tarde/noite menos boa, pois tem qualidade para fazer muito melhor.

A dupla de arbitragem esteve em bom plano, com decisões acertadas, e a acompanhar de perto os lances, a contestação que foi alvo no final da partida por parte dos adeptos da casa, com o foi dito anteriormente fica a dever-se ao nervosismo que os invadia.

Para finalizar, referência à claque 6º elemento, algo desfalcada nesta época e a abusar do bombo, em detrimento dos cânticos que apresentavam na passada época.

Fotos de telemóvel: Francisco Gavancho

SC TOMAR E SANTA CITA SOMARAM OS 3 PONTOS

As equipas do Concelho de Tomar levaram de vencida os jogos de ontem e se a ACR Santa Cita somou os primeiros pontos o SC Tomar soma 2 vitórias em 2 jogos e lidera.


O SC Tomar não deixou os créditos por mãos alheias e venceu a Académica de Coimbra por 5-3, com Ivo Silva a fazer hattrick. Com esta vitória a equipa de Nuno Lopes lidera a par de HC Turquel, Sporting CP e HC Sintra todos com 6 pontos. Não se pense que foi fácil a vitória da equipa verde e branca perante os Estudantes, apesar de Tiago Monteiro ter inaugurado o marcador logo aos 2 minutos. A equipa de Coimbra foi sempre um adversário incomodo e a dar boa réplica. Na próxima jornada o SC Tomar recebe o HC Sintra num jogo de lideres, e onde a equipa Nabantina terá de estar ao seu melhor nível, para levar de vencida a equipa de Sintra que como foi dito anteriormente é um dos lideres.


Em Santa Cita e com um Pavilhão algo "despido" comparado com as assistências que nos habituamos a ver naquele local, a equipa de Luís Miguel Cunha que vinha de uma derrota na Parede, recebia o CACO que também tinha sido derrotado em casa frente ao BIR. Melhor a equipa de Lisboa nos primeiros minutos e seria o capitão da equipa forasteira a inaugurar o marcador. Nuno Nobre no espaço de um minuto dava a volta ao marcador 2-1, com duas "bombas" de meia distância. Na melhor jogada da 1ª parte Tiago Pereira levava a sua equipa a vencer por 3-1 para o descanso. A 2ª parte foi o festival do "desperdício" e o CACO foi mais eficaz no meia de tantas perdidas e empatou a 3 golos. Seria Rui Alves a marcar o golo da vitória (4-3) a 1' 08'' do final. Vitória da equipa que mais aproveitou, no entanto um empate não seria escandaloso, e talvez se ajustasse mais ao que se passou em rinque. Na próxima jornada a equipa de Santa Cita desloca-se até Oeiras.

Fotos: Jornal "O Templário" e Francisco Gavancho

sábado, 29 de Outubro de 2011

AND THE WINNER IS (AGAIN) SPAIN...!!!

A Selecção Nacional de Hóquei em Patins feminino terminou o Campeonato da Europa na segunda posição depois de, na última jornada, ter perdido com a Espanha por 4-2, numa partida disputada no Pavilhão do Cronenberg, Alemanha. Portugal igualou o segundo lugar alcançado em Mira, em 2005, superando, assim, o terceiro e quarto postos das duas últimas edições.


O jogo foi equilibrado na primeira parte, com Marlene Sousa a empatar pouco antes do intervalo, depois de Natasha Lee ter inaugurado o marcador. Depois, no segundo tempo, as portuguesas souberam suster o ímpeto das espanholas, até que  se colocaram à frente do marcador, com golos de Ana Casarramona,  Berta Torrida e Maria Diez.

A Selecção Nacional esteve perto de reduzir, por intermédio de Vânia Ribeiro, que desperdiçou um livro directo. Mais eficaz, Marlene Sousa - melhora marcadora nacional, com seis golos, mais um do que Vânia Ribeiro – voltou a concretizar um golo, e, até ao fim, Portugal, apesar de lutador, não evitou o desaire.

O conjunto orientado tecnicamente por Ernesto Sebastião garantiu, assim, o segundo lugar, com sete pontos, menos cinco do que a Espanha, e em igualdade pontual com a Alemanha, em desvantagem na diferença de golos marcados e sofridos. No último jogo do Europeu, as germânicas venceram a França por 5-2.
Portugal entrou na partida com Adriana Leote, Vânia Ribeiro, Rita Paulo, Marlene Sousa e Inês Vieira. Jogou ainda: Andrea Afonso. Para esta medalha de prata, contribuíram, também, Sofia Cabrita, Ana Coelho, Tânia Freire e Nídia Vale, numa comitiva liderada por Vítor Grilo. 
 

«A Selecção Nacional é vice-campeã com todo o mérito. No final, falei com o seleccionador espanhol, que destacou a alma humana de Portugal. Em dois jogos, estivemos a perder, mas conseguimos, depois, empatar e vencer. Há mérito e dedicação no trabalho que desenvolvemos. Entrámos bem na primeira parte, ao contrário do que a Espanha estava à espera, mas sofremos um golo, na sequência de um livre directo que deixou dúvidas. A bola bateu no poste, foi afastada e o árbitro considerou que entrou. No segundo tempo, a nossa guarda-redes foi mal batida em dois lances e se a Vânia Ribeiro tivesse marcado o livre directo, o resultado podia ter sido diferente, perante um adversário mais experiente. As jogadoras estão um pouco tristes, porque querem sempre mais. Contudo, cumprimos a nossa missão, estamos a evoluir física e tacticamente e, no Mundial do próximo ano, vamos ser melhores», afirmou, no final, Ernesto Sebastião, seleccionador nacional, em declarações ao «site» da Federação de Patinagem de Portugal.  

Informação: Pedro Santos, assessor de Imprensa da FPP
Fotos: Rollhockey-damen
Titulo: Cartão Azul

FOTOS ANTIGAS OU CURIOSAS

No passado sábado depois de publicar umas fotos antigas da ACR Santa Cita recebemos o seguinte comentário «Gostava de de ver duas fotos antigas, o Sp.Tomar campeão nacional da II divisão na época de 99/00 e a do Santa Cita na ultima e única presença na I divisão. Sr. Gavancho se encontrasse essas fotos e agradecia a publicação das mesmas aqui no seu blog Cartão Azul.»



Não sabendo se alguma das fotos corresponde ao pedido, mas com a preciosa colaboração de Marco Valério Pedro, publicamos duas fotos, sendo a primeira uma das hipóteses da equipa que subiu à 1ª Divisão.

Fotos: Marco Valério Pedro

sexta-feira, 28 de Outubro de 2011

TIGRES FORA, SC TOMAR E SANTA CITA EM CASA

O ultimo fim de semana de Outubro traz de novo as emoções do hóquei em patins, aos pavilhões espalhados por este país à beira mar plantado.


As equipas Ribatejanas à excepção dos Tigres que se deslocam à Cidade Invicta e do União FE que adiou a estreia na 3ª Divisão ficam por território Ribatejano. Mas começando pela 1ª Divisão, os Tigres depois da estreia frente ao sue publico com um empate (2-2) frente ao Candelária SC, deslocam-se no próximo Domingo até ao Dragão Caixa para defrontar o ena-campeão FC Porto. Num jogo que se antevê de elevado grau de dificuldade e não podendo contar com o capitão Carlitos, a equipa de Nelson Lourenço terá que jogar nos limites e com a máxima concentração para poder aspirar a uma "gracinha" no Porto. Recorde-se que estas duas equipas já se encontraram no inicio da época dia 18 de Setembro, num jogo de solidariedade para o jovem Fábio, tendo os azuis e brancos do Porto triunfado por 5-0. O jogo será dirigido por Paulo Santos e Porfírio Fernandes do Porto.


Na 2ª Divisão, depois da confortável vitória em Nafarros por uns conclusivos 8-0, a equipa do SC Tomar recebe no Jácome Ratton a AA Coimbra que regressou esta época à 2ª Divisão, mas que na estreia em casa frente ao seu publico foi goleada pelo HC Turquel por 3-10. Será portanto um jogo onde a equipa de Nuno Lopes parte como favorita e onde o técnico poderá aproveitar, caso o jogo corra como previsto, rodar todos os seus jogadores ensaiando jogadas e automatismos para outros desafios mais complicados. A partida será dirigida por Armando Henriques e Pedro Sousa de Leiria.


A ACR Santa Cita depois da derrota por 7-2 na Parede recebe no seu recinto o CACO e espera-se que a equipa de Luís Miguel Cunha obtenha os seus primeiros pontos frente a uma equipa que vem de uma derrota caseira (2-6) frente ao BIR. A equipa de Santa Cita que no passado fim-de-semana deu muito boa conta de si na primeira parte, claudicando depois na segunda, tem assim a oportunidade a jogar perante o seu publico de aliar uma boa exibição a um resultado favorável. O jogo terá como árbitros Teófilo Casimiro do Ribatejo e Luís Correia de Leiria.


A 3ª Divisão Zona Centro tem amanhã o seu inicio, mas a equipa do União FE alterou o jogo frente ao C.U. Micaelense na bonita Ilha de São Miguel para dia 18 de Fevereiro de 2012.

Fotos: Jornal "Almeirinense", Jornal "O Templário", Ana Palricas e União FE

quinta-feira, 27 de Outubro de 2011

HC TURQUEL vs SC TOMAR EM FOTOS

Como já aqui foi referido a equipa do HC Turquel lidera o Regional de Juniores, tendo vencido no passado Domingo, o campeão em titulo SC Tomar por 6-3.








 
Depois da crónica publicada no Cartão Azul tendo por base a publicação da Plurisports, é agora vez de publicar as fotos do jogo, num trabalho do nosso colaborador Luís Soares.

quarta-feira, 26 de Outubro de 2011

ÁGUIAS COM ARGUMENTOS PARA O NACIONAL

Num jogo entre duas formações que lutam por um lugar no Nacional da categoria, a equipa da AP Leiria foi mais inteligente na forma como abordou este encontro saindo após esta jornada com os seus objectivos reforçados, vencendo por números concludentes um dos seus mais directos adversários.

 
Jogo com sinal mais para a formação da casa nos primeiros minutos, mas seria o “Águias” a inaugurar o marcador aos 3 minutos de jogo. O Santa Cita acusou o toque, iniciando aí uma série de erros que a formação orientada por Jaime Santos, soube explorar. Com o jogo aberto acabaria por ser a formação da Memória-Leiria a saber aproveitar da melhor forma os erros defensivos da equipa da casa, chegando ao intervalo a vencer por 5-0. No segundo período e embora o Santa Cita conseguisse estar um pouco melhor, foi o Águias que foi dilatando o marcador a seu favor, aproveitando os buracos que a equipa de Santa Cita criava. Resultado final que espelha a diferença na postura e entrega dos dois conjuntos neste encontro, e mostrou que o Águias tem argumentos para estar no Nacional de Juvenis.

Final: ACR Santa Cita 3  -  CRC "Os Águias" 9

Titulo: Cartão Azul

terça-feira, 25 de Outubro de 2011

WUPPERTAL 2011 AOS OLHOS DE RAFAEL OLIVEIRA

De 25 a 29 de Outubro decorre em Wuppertal o Europeu de Hóquei Feminino. A nossa selecção chegou ontem à Alemanha, levando na bagagem as aspirações à conquista do ceptro. Ernesto Sebastião, seleccionador nacional realizou um estágio de 3 semanas e vários jogos de preparação e com um grupo de atletas que alterna a juventude com a experiência preparando assim as nossas “guerreiras” para atacar o lugar mais alto do pódio. A nossa Selecção estreia-se amanhã frente à Suíça e acaba a participação no dia 29 frente à Espanha, pelo caminho joga com a Alemanha (27) e coma a França (28). Num Europeu apenas com 5 Selecções, fomos tentar saber quais as reais possibilidades das Jovens Lusas numa conversa com Rafael Oliveira, ex-Seleccionador Nacional Feminino. 
CA – Bom dia Rafa, que Selecção Nacional vamos ter na Alemanha? 
RO – Bom dia também para ti Francisco e para os internautas visitantes do Cartão Azul, quanto à participação da nossa selecção sénior feminina no Euro 2011, espera-se o mesmo que se espera de qualquer selecção portuguesa de hóquei em patins, que seja igual a si própria, que seja digna representante de Portugal e que dê o seu melhor para chegar o mais longe possível, claro que tratando-se de Portugal, queremos sempre no mínimo, um lugar no pódio, podendo aspirar a mais em função dos momentos e do que os outros Países possam também fazer, até porque no feminino, existem selecções que tal como Portugal, têm legitimidade para querer vencer e diria até mais legitimidade, porque há anos a esta parte, que a Espanha domina, porque investe em tempo e em meios de trabalho, em quantidades que normalmente ultrapassam largamente o que nos é proporcionado a nós, mas também a França e Alemanha, têm tido investimentos muito sérios na suas selecções, não sendo estranho por isso, nos últimos anos apresentarem-se tanto ou mais fortes do que as nossas selecções femininas, fruto desse mesmo esforço. Mas uma coisa é certa, nós temos o nosso valor e temos atletas que podem perfeitamente fazer diferenças e por isso é legítimo esperar um pódio e em função do que decorrer na própria prova, quem sabe poder discutir a vitória final, que no fundo é sempre o que esperamos e ambicionamos, mas como disse, o equilíbrio de forças é muito grande e um jogo pode ditar tudo a ganhar ou a perder, mas acredito nas nossas atletas e sei que vão fazer tudo o que são capazes para dignificar o nosso país e tentar uma surpresa, pois repito, Espanha, França e a Alemanha a jogar em casa, são muito fortes e muito experientes, conseguir um pódio é muito bom, ser segundo ou primeiro, seria um feito digno de grande realce, diria extraordinário, vamos acreditar, eu acredito nas nossas jogadoras e obviamente em todos os que compõem este grupo, pois todos têm um papel importante e nunca ninguém ganha nada sozinho, tudo o que se conseguir seja bom ou mau é sempre fruto de um trabalho de todos, desde o líder de comitiva ao enfermeiro, mecânico, etc, tudo e todos contam. 
 
 
CA – Conheces bem as atletas que irão disputar a prova, o que achas desta selecção, e quais as certezas e as revelações que podem acontecer em Wuppertall no seio do grupo Luso
RO – De todas estas atletas, só não trabalhei directamente com a Nídia Vale, a Sofia Cabrita e a Rita Paulo, embora as conheça bem das observações que fiz enquanto seleccionador e do que vou vendo como observador atento e fã que sou do hóquei feminino, sendo elas de certeza boas opções, porque senão, não estavam no grupo. A Adriana Leote, Catarina Coelho, Inês Vieira e a Marlene Sousa, fui eu que as levei pela 1ª vez às selecções e em boa hora, pois têm-se vindo a revelar atletas de eleição, tal como outras que entretanto também terão a sua oportunidade para confirmarem o seu valor na selecção, pois felizmente existem mais atletas que poderiam aqui estar, o que só favorece a luta por estarem muito bem e sobretudo estarem no grupo de eleitas, a Tânia Freire (Pulga), a Andrea Afonso e a Vânia Ribeiro, também atletas com quem trabalhei e também atletas fabulosas. Eu diria que a Vânia Ribeiro, para mim, uma das melhores jogadoras do Mundo, pode ser o peso que faz pender a balança, estando forte fisicamente e mentalmente, enche um campo, jogando e fazendo jogar, mas todas são muito importantes e todas podem marcar momentos importantes, até porque se o Ernesto as chamou é porque entende que são estas as melhores e as que podem neste momento ajudar Portugal a atingir os seus objectivos, embora outras também o pudessem fazer, mas também é esta a missão por vezes ingrata do seleccionador, que só pode levar 10 e ninguém como ele, quererá mais conseguir um grande resultado, portanto independentemente do que eu conheço de cada jogadora e do que cada uma pode fazer, o importante é que elas consigam superar-se e com inteligência e coragem e muita raça, que todas têm, possam servir a selecção e sentirem-se no fim dignificadas e conscientes que fizeram tudo o que estava ao seu alcance, isso é o importante, pois desde as mais novas, às mais experientes, todas têm a sua missão a cumprir e com certeza vão cumpri-la, há que confiar no valor de todas, no fim poderão ser as melhores da Europa, pois foram elas as escolhidas e bem, para atingir esse ponto alto das suas carreiras e da vida do País. 
 
 
CA – O Seleccionador Nacional optou por um estágio de 3 semanas e jogos contra equipas de Juvenis de vários clubes, nomeadamente UD Oliveirense, HA Cambra, FC Bom Sucesso, na tua opinião é a preparação correcta para encarar uma prova desta dimensão, ou é a preparação que se consegue fazer, tendo em conta as limitações académicas/profissionais das atletas? 
RO – Ultimamente a FPP tem disponibilizado condições para 3 semanas, portanto o seleccionador normalmente tem de trabalhar com o que lhe é oferecido e dentro desse espaço, tentar fazer o melhor possível e isso com certeza que fez, infelizmente 3 semanas têm-se revelado pouco, comparativamente a outras selecções, como aquelas que considero favoritas, que raramente dispõem de menos de 6 semanas e isso é o mínimo, pois chegam a ter estágios de 2 e 3 meses, mas é o que dispomos, as despesas são muitas e não tem sido possível a Federação dispor de mais, mas também verdade seja dita e faço questão de o afirmar, que sejam 3 ou 2 ou 4 semanas, as condições de espaço para trabalhar e meios à disposição, bem como alojamento e alimentação, são pontos em que nada há a dizer, pois nisso as selecções podem ter pouco comparado aos outros mas o que têm é bom, mas tudo isto pode ser relativo, pois em 2008, fomos vice campeões do Mundo no Japão, com 2 semanas de estágio e em 2009 em sub 19 fomos vice campeões europeus com uma selecção com média de idades de 16 anos e só com 7 dias de estágio, contra 7 semanas da Espanha que nos derrotou na final, mas a realidade é que na hora da verdade, fez toda a diferença 2 semanas contra 2 meses e meio da Espanha, no Mundial e os 7 dias contra 7 semanas no Euro sub 19, pois os automatismos criados, o aperfeiçoar e limar arestas, assentar e concretizar ideias e a consolidação do trabalho físico, fazem toda a diferença quando se está no limite. Quanto à preparação em si e o tempo que duram, normalmente e enquanto as atletas são estudantes e porque são requisitadas, não são oferecidos problemas de maior, embora algumas escolas e ou universidades, por intermédio de alguns professores obtusos, ainda não perceberam a importância da requisição publica, o facto dos e das atletas serem atletas com estatuto de alta competição, o que isso representa para eles próprios e para o País e então criam problemas, muitas vezes só mesmo para complicar, mas os problemas são maiores, quando as atletas já trabalham e aí o comportamento das empresas, salvo rara excepção é lamentável e nisso o estado e a secretaria do desporto, pecam por omissão e ao não intervir, impossibilita muitas vezes que atletas possam não representar o país, com os prejuízos que isso representa para elas e fundamentalmente para as selecções que podem ser privadas de utilizar atletas que podem ser fundamentais, já houve casos de atletas, que foram despedidas em pleno estágio, outras foram ameaçadas de despedimento se tivessem 3 ou 4 semanas sem ir trabalhar, mesmo querendo gozar as férias nesse período, atletas que não puderam participar, porque não as deixavam fazer estágios finais em datas diferentes, enfim situações tristes e criticáveis a que as autoridades deviam dar outra atenção e exigir que se cumprissem as leis. Quanto às escolhas dos adversários para jogar durante os estágios, essa escolha é do seleccionador e é normal que opte por equipas juvenis, pois os juvenis masculinos já apresentam uma força física e velocidade superiores às mulheres, criando um elemento necessário para que hajam necessidades delas em se aplicarem mais, mas ao mesmo tempo terem possibilidades de discutir os resultados, como fizeram e bem, pois criar níveis de confiança e criar obstáculos que sejam possíveis de ultrapassar, é um factor muito importante e decisivo, mas lá está, o seleccionador avalia e depois é uma questão de bitola e de exigência e da própria realidade da equipa que dispõe, eu fiz alguns jogos com juvenis, mas também com juniores e tivemos sempre excelentes prestações, atingido objectivos de espírito de sacrifício e dando prioridade a aspectos mais defensivos e foram sempre bons testes, portanto, parece.me a mim embora de longe, que o Ernesto foi prudente por um lado, mas também se preocupou em dar-lhes o que elas precisavam em termos de desafio, até porque as equipas de juvenis com que jogaram eram boas equipas, portanto acho correcta a escolha, se é que tenho de achar alguma coisa
 
 
CA – Existe algum motivo especifico para que os jogos de treino sejam com equipas do escalão de Juvenis? 
RO – Acabei por responder a esta pergunta, no ponto anterior, reforçando, que o seleccionador tem de ser objectivo e realista na escolha das equipas e que sejam juvenis ou juniores, depende muito do valor dessas equipas, do valor da nossa selecção e dos objectivos a atingir, pois mais que o resultado desses jogos, importa mais atingir objectivos previamente delineados e repito, parecem-me ter sido acertadas as escolhas. 
 
 
CA – Fixando-nos agora em Wuppertal, e conhecendo tu as selecções em competição, o que podes dizer de cada uma delas, e quais as suas possibilidades? 
RO – A Suíça à partida será a equipa mais fraca, embora e porque jogue com Portugal no 1º jogo e porque existe sempre algum nervosismo nessa estreia, é tradição criar algumas dificuldades, porque também para elas é a estreia e jogar contra Portugal é sempre motivante e darão tudo o que têm e o que não têm, mas naturalmente e com maior ou menor dificuldade, Portugal vencerá, espero que com facilidade, até para evitar desgaste físico, a Alemanha pelo que têm investido nesta selecção e pelas condições de trabalho que lhes tem proporcionado e porque joga em casa, poderá ter uma palavra a dizer, até porque são jogadoras que há muitos anos jogam na selecção e são muito fortes, com um jogo muito físico, mas muito prático, embora eu ache que o favoritismo maior vá para a Espanha e para a França, a olhar aos mais recentes resultados, França vice campeã da Europa e vice campeã do Mundo, à frente da Espanha e em casa desta o ano passado, a Espanha porque apesar do acidente o ano passado no Mundial, é para mim a grande candidata, com atletas com muitos anos de selecção, muito experientes em jogar grandes jogos nos grandes momentos, pelo valor das suas jogadoras, voltando a ter a Marta Soler a capitaneá-las o que é também uma mais-valia enorme para elas, mas a realidade é que se Portugal for crescendo nos jogos e conseguir começar bem, pode ter uma palavra importante a dizer e pode ambicionar a ganhar a qualquer uma destas equipas, independentemente dos favoritismos, porque é real que são selecções com mais tempo de trabalho que nós, que jogam juntas há muitos mais anos e que jogam todas as provas sejam de sub 19, sejam de seniores, o que lhes dá muitos anos de selecção e de hábito de grandes competições, mas repito, as nossas jogadoras sabem jogar hóquei e estarão à altura dos acontecimentos, merecem toda a nossa confiança 
CA – Um Europeu apenas com 5 Selecções, demonstra o quê? Que o Hóquei Feminino está em queda? Que os países não apostam na formação na vertente feminina e daí a escassez de Selecções, ou existem outros factores que contribuem para isso? 
RO – Surpreende-me a Inglaterra não estar, pois tem sido presença habitual em todas as competições, mas a realidade é que a pouca evolução vista, poderá ter levado a abandonos e por isso não estão, embora não conheça os verdadeiros motivos, a Itália, mais cedo ou mais tarde acabará por aparecer de novo, mas é verdade que na Europa são só estes países que investem no feminino, infelizmente muito pouco, mas é o que existe no momento, mas que não tira valor à competição, pois é sempre muito exigente este campeonato, mesmo nestes moldes e se olharmos para trás, a nível europeu o nº de participantes há anos que é mais ou menos assim, poucas equipas, mas de nível muito elevado. Esperemos que os países comecem a valorizar mais o desporto no feminino e que o hóquei seja uma dessa realidades, para que no futuro possam haver mais países, mas para isso exige-se um maior esforço de divulgação, fora dos países de tradição na modalidade, cabendo a todos nós e todos os agentes nacionais e internacionais estarem disponíveis para tal missão. 
 
 
CA – Obrigado Rafa pela tua disponibilidade e o espaço fica à tua disposição para alguma mensagem que queiras deixar 
RO – Quero deixar um abraço forte a todo o staff da selecção, desejar as maiores felicidades e que tudo nos corra de feição, desejando o melhor e que o melhor seja o título, um voto de confiança a todas as atletas, que acreditem nelas, que se divirtam jogando hóquei e que desfrutem destes momentos únicos nas nossas vidas, pois podem fazer história e ajudar com o seu esforço e contributo a que o nome de Portugal seja levado bem alto, todos torcemos por elas e confiamos no seu valor, sairemos dignificados com certeza e sabemos que todo o sacrifício que lhes for exigido, será feito, a minha amizade a todos sem excepção, pois tenho na maioria destas jogadoras, e restante staff, grande amizade e respeito pelo que todos fazem e representam.
Aproveito para apelar aos clubes, que percam o receio e o preconceito de apostar no hóquei feminino, evitem-se comparações com o hóquei masculino, porque a realidade é que se joga com muita qualidade, nas equipas femininas, as mulheres têm todo o direito de praticar desporto e se gostam de jogar hóquei e se o sabem fazer bem, porque não se aposta mais? alguém tem mais direito do que outros de competir e de praticar deporto? Somos pessoas de direitos iguais ou não? O hóquei não é uma modalidade diferente? Não a queremos melhor? porque não sermos também nós, pessoas diferentes e aceitar promovendo a igualdade de género, dando um exemplo de civilidade e de evolução como seres humanos que somos de plenos direitos e de oportunidades iguais.
A ti, Francisco, um abraço e continuação deste trabalho que se vai tornando cada vez mais importante, pois cada vez somos mais a visitar o teu Blog, procurando saber sempre mais um pouco a respeito do que se passa no hóquei, seja no Ribatejo seja onde for, pois o Cartão Azul chega a todos os continentes e ainda bem, pois ganha o hóquei em patins. E aproveito para desejar a todas as equipas ribatejanas, as maiores felicidades para as provas em que estão inseridas e que sejam cada vez mais fortes e que com isso aglutinem mais gente e mais atletas pois ganhará o Ribatejo e o hóquei em patins no seu todo.

Fotos: Blog "Europeu Feminino 2011"

NA ALEMANHA COM "GANAS" DE VENCER

A Selecção Nacional de Hóquei em Patins feminino chegou ontem à tarde a Wuppertal para disputar o Campeonato da Europa, entre 25 e 29 de Outubro. As portuguesas realizaram treino de descompressão, depois de pisarem solo alemão, amanhã treinam de manhã e, na parte da tarde, participam na cerimónia de abertura.

 
Para quarta-feira, pelas 17 horas nacionais, está agendada a estreia diante da Suíça: «Espero que Portugal arranque bem e que aplique aquilo que sabe. Em qualquer lado, o primeiro jogo causa sempre alguma ansiedade, mas confiamos numa boa entrada. A Suíça é uma equipa de nível médio, com jogadoras que estiveram no Europeu e no Mundial anterior. Por isso, temos de estar concentrados, para podermos ultrapassá-la.», afirma Ernesto Sebastião, seleccionador nacional, em declarações ao «site» da Federação de Patinagem de Portugal.

O líder técnico reconhece a capacidade da Espanha, mas França e Alemanha são, igualmente, adversários que devem ser considerados: «No Hóquei em Patins, a Espanha é sempre uma selecção a ter em conta. França e Alemanha são equilibradas e exigentes. Contudo, pretendemos um lugar no pódio e quando mais alto, melhor».

Ernesto Sebastião mostra-se satisfeito com o estágio de três semanas que Portugal realizou no Luso: «A Selecção Nacional está preparada, com vontade de começar o Campeonato da Europa, e mais forte do que no ano passado, porque revela experiência, fulgor e astúcia». 

As dez magníficas
Adriana Leote, Vânia Ribeiro, Inês Vieira, Andrea Afonso, Marlene Sousa, Nídia Vale, Rita Paulo, Sofia Cabrita, Ana Coelho e Tânia Freire são as dez jogadoras que vão representar Portugal, numa comitiva liderada por Vítor Grilo.

Fonte: Pedro Santos - FPP
Foto: Rádio Alenquer
Titulo: Cartão Azul

PARABÉNS PARA O BLOG "HÓQUEI FEMININO"

O Blog "Hóquei Feminino" completou no passado dia 16 de Outubro um ano de existência e apesar de atrasados o Cartão Azul envia os mais sinceros parabéns, e que a vossa prenda e de todos os amantes da modalidade seja um excelente Campeonato Europeu das nossas "Meninas" e que no final consigam a melhor classificação e que essa seja o 1º lugar.


O Hóquei Feminino começou como foi dito há um ano atrás graças aos outros meios de comunicação nomeadamente jornais desportivos, canais desportivos, na qual se via informações de canoagem, ginástica, surf, voleibol, basquetebol, etc...e lá uma vez de 3 em 3 meses uma noticia de hóquei patins.

Decidiu-se então, criar um blog sobre o hóquei patins feminino com calendários e resultados, algo simples, apenas para que pelo menos as pessoas soubessem que existe e caso se interessassem sabiam onde podiam ir ver.

TURQUEL VENCE E LIDERA ISOLADO

Jogo referente à 5.ª jornada do Campeonato Regional da Zona Centro que opunha o líder Turquel ao Campeão regional em Titulo, SC Tomar, e a trazer até ao Pavilhão de Turquel muita gente para assistir a este encontro.

 
E garantidamente que deram o tempo por mal empregue, pois assistiu-se a um excelente jogo, entre duas das melhores equipas juniores da zona centro. Uma primeira parte repartida e onde as oportunidades foram muitas para as duas equipas, o Turquel inaugurou o marcador através de uma GP, mas o SC Tomar a ripostar mas a não ser feliz ao falhar 2 penalidades, conseguindo somente empatar numa jogada de insistência do seu ataque. Mas a 10 segundos do intervalo a equipa da casa punha-se novamente em vantagem, indo para o descanso a vencer 2-1. Mas um início de segundo tempo mais forte por parte do Turquel e a saber aproveitar as distracções defensivas da equipa do Tomar, deram mais 2 golos à equipa da casa, com esta a saber gerir muito bem a ansiedade, e a responder bem aos ataques da equipa leonina. O Tomar ainda reduziu para 4-2 mas a postura e atitude dos jovens atletas do Turquel foram suficientes para controlar o jogo e o resultado até ao final do jogo. O Turquel assume e reforça assim a liderança no Campeonato assumindo-se cada vez mais como um sério candidato a vencer a prova Regional. Quanto ao Tomar embora tenha realizado uma excelente partida, foi traído por pormenores que lhe sairiam caro no final do encontro.

Final: HC Turquel 6 - SC Tomar 3

In Plurisports
Titulo: Cartão Azul

segunda-feira, 24 de Outubro de 2011

LEÃO RUGIU EM ALGÉS...!!!

Jogo inaugural da 2ª divisão com os Leões a fazerem o seu baptismo. Os visitantes parecem jogar em casa tal o número de seguidores sportinguistas presentes. Tiago Roquete fora dos convocados, ainda a cumprir castigo da última época. O "Moçambicano" Igor Alves parece ser baixa de última hora por lesão num braço mas Daniel Meireles é também uma boa solução, ele que fez toda a pré-época.


No entanto o SCP inicia com Igor, Hugo Lourenço, André Pimenta. Gonçalo Alves e Marinho. Min 1 e 30 seg, G Alves arma remate do meio campo e 1-0 para o SCP. Público abriu gargantas. Min 6 excelente troca de bola entre Marinho e G Alves e Marinho atira por cima com baliza a sua mercê. Min 8 repete-se a jogada e agora grande defesa do GR local. SCP com mais ataques e posse de bola. GR local a mostrar qualidade mas Igor sempre que chamado a intervir esta muito bem. Min 16 desarme espectacular de G Alves, Diogo isola-se e de 1a atira para o 2-0. Pavilhão veio abaixo. Min 19 Alves em remate de longe faz 1-2. Não justifica apenas esta diferença a favor dos leões. No último seg, azul para Diogo e Sr Romão entende assinalar L directo contra o SCP mas Igor Alves estava la para escrever direito. Apesar do maior poder atacante dos Leões os "Ligueiros" aguentaram bem e ao intervalo 2-1 para o SCP.


SCP inicia a 2a parte com 3 jogadores de campo. G Alves desarma e avança para a baliza. Faz o 3-1 aos 12 seg. Espectacular a atitude dos leões. SCP aguenta play off sem sofrer qualquer golo. Min 4 G Alves a meia volta atira ao ferro. Leões continuam a dominar e a praticar um hóquei agradável. Min 7 Igor tem 2 intervenções extraordinárias e evita golo local. Min 12 boa jogada entre Marinho e G Alves com este a deitar GR mas bola sai ao lado. De seguida Igor segura baliza com muito arreganho. Min 15 G Alves sai isolado, faz chapéu e quando a bola parece entrar eis que GR local faz espectacular defesa. Min 16 o Algés faz a 10a falta. Livre directo para o SCP que G Alves executa primorosamente e 4-1 para os leões. Pavilhão ao rubro. Min 17 GP contra o SCP. Igor opõe-se e bola sai por cima da barra. Min 18 liv directo contra SCP por ter atingido a 10a falta. Liga reduz para 2-4. Min 22 G Alves de duas meias distancias acaba com o jogo. Marinho sai com lesão.


SCP vence por 6-2. Começaram bem os leões num campo difícil. Público sportinguista ajudou muito os nossos jovens. Resultado final Liga Algés 2 - SCP 6

Quim Zé fez alinhar: Igor Alves e Daniel Meireles (GR); André Pimenta; Hugo Lourenço; Tomás Silva; Gonçalo Alves (5); Hugo Nascimento; Diogo Oliveira (1); Marinho e António Ramalho.

Crónica de Gilberto Dias Borges
Fotos: Lina Bastos
Titulo: Cartão Azul

domingo, 23 de Outubro de 2011

FOI UMA HOMENAGEM BONITA, NÍZIA...!!!

Foi sem duvida uma tarde diferente, aquele que se viveu este sábado no Albano Mateus. Dionisia Flores foi homenageada pelo União FE, e teve direito à seticada de saída, e a outros "mimos" oferecidos no final a partida.


A equipa senior do clube da Cidade Ferroviária que irá disputar a Zona Centro da 3ª Divisão, sendo apontada por alguns como um dos principais candidatos à subida defrontou uma equipa formada por ex-atletas do clube, alguns dos quais em anos transactos contribuíram para a subida do clube à 2ª Divisão.


As equipas alinharam da seguinte forma:
União FE (Seniores): Tiago Velez (gr), Bruno Pereira, Bruno Carvalho, Pedro Brazete e João Capitolino
Suplentes: Luís Melão (gr), João Salvador (gr), Chiquinho, Daniel Ventura, Marco Bento, João Mendes, Navalho, Brizida
Treinador: Barros Simões

União FE (Ex-jogadores): Guilherme Noronha (gr), Mário Serra, João Rui, Hugo Saboga e Fernando Vaz
Suplentes: Paulo Beirante (gr), Miguel Jerónimo, André Vieira, Bruno Camarinhas, Fernando Mauricio
Treinador (à experiência): Fernando Vieira


Num jogo onde, e como foi dito anteriormente o importante era homenagear, quem tanto tem dado e continuar a dar ao clube, regista-se  primeiro golo obtido por Hugo Saboga numa seticada de longe no decorrer do 1º minuto. O empate chegaria 2 minutos depois, autoria de João Capitolino. O intervalo haveria de chegar com a equipa sénior a vencer por 5-1.


A 2ª parte continuou num cenário que alternava a brincadeira de ambas as equipas com jogadas bem delineadas e de bom recorte técnico, por parte da equipa sénior, não obstante a excelente réplica que os ex-jogadores foram dando, mas a falta de treino, aliada a uns quilinhos a mais, ajudaram também à quebra fisica, daí que o resultado de 12-1 no final não espantasse que se encontrava no Albano Mateus.


Ruben Saboga foi o juiz da partida e acabou por ser colocado na rua, numa brincadeira de João Rui, que durante uma paragem agarrou o jovem arbitro ao colo e colocou-o ao lado do banco de suplentes, Ruben por sua vez não conseguiu mais à frente colocar João Rui na rua, pegando-o ao colo, mas para que isso acontecesse mostrou-lhe um cartão azul.


O jogo de homenagem a Dionisia Flores terminou com com um jantar inserido no evento com a presença de todos os participantes.

Fotos: Francisco Gavancho

22 DE OUTUBRO FICA NA HISTÓRIA DOS TIGRES

A equipa dos Tigres de Almeirim estreou-se ontem na 1ª Divisão, assim sendo o dia 22 de Outubro de 2011, ficará gravado em letras de ouro na história do clube de Almeirim.


Sob o comando técnico de Nelson Lourenço foram estes os 10 jogadores que ficam ligados à história do clube:
5 inicial: André Azevedo (gr), Carlitos (c), Diogo Lã, Carlos Trindade e Gonçalo Favinha.
Suplentes: João Coelho (gr), Luís Querido, João Beja, Pedro Vaz e  João Silva.

Os golos foram apontados por Carlitos e João Silva na marcação de um livre directo.

Fotos: HC "Os Tigres"
Montagem: Cartão Azul

UMA VITÓRIA, UM EMPATE E UM DERROTA NA ESTREIA

Uma vitória, um empate e uma derrota foi o saldo das equipas Ribatejanas na estreia nos Campeonatos Nacionais da 1ª e 2ª Divisão, versão 2011/2012.


Em Almeirim os Tigres estrearam-se na 1ª Divisão com um empate frente ao Candelária CS. A equipa de Nelson Lourenço esteve a vencer por 2-0 com golos de Carlitos e João Silva (LD), e criou oportunidades para ampliar essa marca tal era o caudal ofensivo da equipa azul e branca. Na 2ª parte e em 2 minutos o Candelária empatou e os Tigres retrairam-se um bocado, no ultimo segundo da partida o arbitro Vítor Roxo assinalou penalti contra os Tigres, mas a equipa Açoriana não concretizou, e assim o empate foi o resultado final. Com uma boa arbitragem de Luís Inácio e Vitor Roxo, André Azevedo e o guardião Açoriano cotaram-se como os melhores em campo, efectuando intervenções de qualidade elevada e dificuldade extrema. Para a história para além do empate a 2 fica o primeiro cinco inicial dos Tigres na 1ª Divisão: André Azevedo (gr), Carlitos, Carlos Trindade, Diogo Lã e Gonçalo Favinha. Num pavilhão muito bem composto e entusiasta, destaque para a claque "Ultras Almeirim" incansáveis no apoio à sua equipa durante todo o jogo. Na próxima jornada os azuis e brancos de Almeirim, deslocam-se até ao Dragão Caixa para defrontar o deca-campeão FC Porto, num jogo que foi alterado para domingo dia 30 de Outubro e que em principio terá transmissão televisiva no Porto Canal.


Foi com uma goleada que o SC Tomar iniciou a participação no Nacional da 2ª Divisão Zona Sul. A equipa de Nuno Lopes que partia como favorito para este encontro frente ao UDC Nafarros, provou exactamente esse estatuto e saiu da freguesia do Concelho de Sintra com 8 golos marcados e 0 sofridos e 3 pontos na algibeira e a liderança da tabela classificativa.
Ivo Silva (3), Manel Domingues (2), João Lomba (2) e Bruno Januário (1) foram os marcadores dos verdes e brancos de Tomar. Na próxima jornada dia 29 de Outubro a  equipa Nabantina recebe a AA Coimbra, num jogo com inicio marcado para as 18:00 horas.


Não correu da melhor forma o regresso da ACR Santa Cita à 2ª Divisão. A equipa de Luís Miguel Cunha foi derrotada por 7-4 na Parede. A equipa da Aldeia Ribatejana do Hóquei em Patins, foi incapaz de levar de vencida a equipa da linha, que este ano está apostada em apagar a má imagem deixada na época passada, onde se livrou da descida apenas na ultima jornada. Rui Alves, David Vieira, Nuno Nobre e João Filipe foram os marcadores de serviço. Na próxima jornada a ACR Santa Cita recebe no seu pavilhão o CACO pelas 18:00 horas.

Fotos: Candelária SC, Ivo Silva e Ana Palricas