quarta-feira, 30 de Novembro de 2011

MAIS FICARAM POR MARCAR...!!!

Uma boa moldura humana compôs o Jácome Ratton para o derby SC Tomar vs ACR Santa Cita no escalão de juniores em mais um jornada do Regional da categoria.


Com arbitragem a cargo do Ouriense Teófilo Casimiro as equipas alinharam da seguinte forma:
SC Tomar - Renato Rodrigues (gr)  Pedro Martins, António Cardoso, Pedro Vitorino, Gustavo Laranjeira, André Silva, Ricardo Marrucho, Hernâni Dinis, Alexandre Marques ©  e Luís Francisco (gr)
Treinador: Nuno Lopes

ACR Santa Cita - Joel Batista (gr), Pedro Martins, Fábio Maçarias, Luís Vicente, João Vaz, João Ferreira, Miguel Fernandes, João Faria ©  e  Fábio Amendoeira (gr)
Treinador: Luís Miguel Cunha

A equipa verde e branca partia para esta partida com os três pontos como objectivo, mas também com o desejo de “vingança” depois da derrota sofrida na 1ª volta, e entrou a pressionar, assumindo as despesas do jogo, com trocas rápidas de bola mas algo perdulária na finalização. A equipa de Santa Cita defendia bem e aos poucos foi-se libertando através de algumas jogadas individuais. A 1ª parte chegava ao final com os Nabantinos a vencer por 3-0 e com as faltas de equipa a assinalar 3-4.


Na 2ª parte manteve-se a mesma tónica de jogo, com um SC Tomar mais ofensivo, mas menos perdulário e foi com naturalidade que neste parcial obtivesse sete golos sem resposta. O resultado final de 10-0 espelha a superioridade da equipa de Nuno Lopes, ao passo que se esperava algo mais da equipa de Luís Miguel Cunha. No capitulo de faltas de equipa 8-13 foi o score final, num jogo em que Teófilo Casimiro esteve em bom plano.

Os golos da equipa verde e branca foram apontados por António Cardoso, Gustavo Laranjeira, André Silva (3),  Hernâni Dinis (5)

Crónica: Luís Soares
Fotos de arquivo: Luís Soares

ARBITRAGEM POLÉMICA MOTIVA COMUNICADO

Incompetência da Equipa de Arbitragem na base do comunicado do Famalicense AC.


A Direcção do Famalicense AC emitiu um comunicado no qual critica duramente a equipa de arbitragem que dirigiu o Marítimo-Famalicense da 6ª Jornada do Nacional da 2ª Divisão Zona Norte, apelidando a dupla de (cito) "incompetente" e referindo ainda actos considerados (cito) "contrários à verdade", reservando, ainda, o direito de (cito) "processar os referidos árbitros no foro competente"... Não deixa ainda de realçar o comportamento (cito) "irrepreensível" dos responsáveis do clube insular, frisando que (cito) "nada move o FAC contra o clube ou contra os madeirenses". Leia o comunicado no site do Famalicense.

Texto extraído do site "Hoqueipatins.com"

VALÉRIO SILVA TROCA SPORTING POR SINTRA

Valério Silva que se iniciou para a modalidade no União FE, e que em 2008 trocou a equipa da Cidade Ferroviária pelo Sporting CP, é o novo reforço do HC Sintra.


Desde cedo revelou a sua veia goleadora, tendo no Sporting confirmado a mesma. Na época passada sagrou-se Vice-campeão Distrital e na final-four disputada em Barcelos conseguiu o 3º lugar. Agora ao serviço do HC Sintra logo no 1º jogo frente ao Oeiras apontou 9 dos 13 golos com que a equipa da terra das Queijadas brindou a equipa da linha.

Foto: Blog "MVP - Marco Valério Pedro"

terça-feira, 29 de Novembro de 2011

VITÓRIA COLOCA LEÕES COM UM PATIM NO NACIONAL

A equipa de Iniciados do Sporting Club Tomar conseguiu ganhar mais 3 pontos num dos jogos mais difíceis deste campeonato regional.

 
A equipa leonina esteve sempre com o jogo nas mãos, chegando ao intervalo a vencer por 1-0. Na segunda parte a equipa deu um rumo mais forte ao jogo e conseguiu marcar mais 3 golos, ficando assim o resultado definido a 4-0. Gonçalo Domingos e Rúben Leandro bisaram. Desta forma, os Iniciados do SCT estão com um patim no Campeonato Nacional 2011/2012, os jogos CRC Águias da Memória vs SC Tomar e AA Coimbra vs  CRC Águias da Memória irão decidir quem irá ao Nacional e quem será o vencedor do Grupo B do Campeonato Regional, no entanto os verde e brancos da Cidade dos Templários tem ligeira vantagem.

Resultado Final: SC Tomar 4  -  AA Coimbra 0

In Blog "SCT Iniciados"
Titulo: Cartão Azul

VITÓRIA SUADA NA ABA DA SERRA

Mais um jogo suado, extremamente emotivo, e mais um desaire para o FCOH.


Começou mal para a equipa da casa, com o Entroncamento a marcar primeiro, apresentando um jogo rápido e táctico, com transições e bloqueios efectivos. Daí surgiu o golo. No entanto, o FCOH reagiu, defendendo bem e alcançando a baliza do Entroncamento várias vezes. Com ataques constantes, marcou 3 golos de belo efeito, 1 deles de livre directo. Nota para a rigorosidade do árbitro, que mostrou vários cartões azuis ás duas equipas, e consequentes livres directos.

Ao intervalo, registava-se o 3-1 para o FCOH.

A segunda parte registou uma superioridade da equipa do Entroncamento, que aliado à confusão defensiva do FCOH, conseguiu igualar a partida a 3-3 e a partir daí, dominou a posse de bola. Sempre atacante, conseguiu o 3-4, em contra ataque, e provocou o declínio psicológico da jovem equipa da casa.

Uma partida bastante bem disputada, com emoção até ao fim, entre duas equipas com características semelhantes.

Golos apontados por Diogo Veloso, Ricardo Amaro e Milé para o FCOH e Pedro Brazete (2) e João Capitolino (2) para o União FE

Resultado Final: FCOH 3  -  União FE 4
 
Crónica Fux in Blog "Okgueime"
Foto/Montagem: Ricardo Navalho
Titulo: Cartão Azul

TIGRES "CORREM" PARA O TITULO REGIONAL...!!!

Na sua deslocação a Almeirim a equipa do JO, viria a defrontar aquela que será uma das equipas favoritas a conquistar o Campeonato Nacional de Juniores.


Com todos os principais jogadores em rinque, os mesmos viriam a fazer a diferença no desfecho do encontro, começando a partida com uma entrada de rompante, aproveitando da melhor maneira as jogadas por si elaboradas chegando aos 3-0 a 10` do fim, no entanto a nossa equipa começou a assentar o jogo encarando o adversário "face to face", como que dizendo estamos aqui para vender cara a derrota e com essa postura viria a chegar ao golo numa insistência, reduzindo para 3-1, resultado ao intervalo.


Na 2ª parte com uma entrada muito forte o JO viria a marcar por duas vezes, chegando ao empate, no entanto quando se previa que iria ser um resultado imprevisto eis que o mister da casa chama de novo alguns dos elementos preponderantes que tinha posto a descansar, equilibrando a contenta, quando a equipa forasteira se apoderava do jogo. Quando o  jogo se encontrava equilibrado eis que acontece duas ofertas ao adversário que não desperdiçam a gentileza alheia, mas mesmo assim o JO não vira a cara á luta criando inúmeras oportunidades de golo. Fazendo uma analise ás duas equipas Os Tigres tiveram que se empenhar para levar de vencida uma equipa do JO, que não poderá dar de bandeja como deu em quatro situações, a elementos que são "matadores" como se diz na gíria, como também criar um sem números de oportunidades de golo, com tão pouca eficácia.

De realçar que em algumas situações iguais o critério da arbitragem não terá sido o mais correcto, mas sem influência no resultado.


Quero também realçar a claque dos Ultras Almeirim que deram o seu apoio incondicional á sua equipa, fazendo sentir a sua presença nos momentos mais apagados da mesma.

Resultado Final: HC "Os Tigres" 8  -  J. Ouriense 5

Crónica MF in Blog "Juventude Ouriense Ok"
Fotos: Blog "Juventude Ouriense Ok" e Ultras Almeirim
Titulo: Cartão Azul

segunda-feira, 28 de Novembro de 2011

ESPAÇO ABERTO

 "Canela até ao pescoço"
 
Boa tarde Sr. Gavancho

Estou a enviar-lhe este mail para denunciar uma situação que se tem passado em Vialonga com um dos seus jogadores e que tem passado impune às equipas de arbitragem, pois esse jogador continua a agredir a seu belo prazer os adversários, como foi o caso do Orlando Fernandes do AC Sismaria que levou uma seticada na boca e fruto disso teve de ser suturado com 10 pontos, e algus atletas do AC Alcobacense D no passado sábado, como pode ler na crónica do Blog "hoqueicister".

Conhecendo eu esta "personagem" (desculpem não chamar atleta porque disso ele nada tem) há muitos anos, alias desde o tempo dos escalões de formação e da chamada aos trabalhos das selecções nacionais (onde também arranjou problemas, para variar), continuo a vê-lo por esses pavilhões fora, a distribuir agressões de forma gratuita sob a passividade dos outros agentes da modalidade (árbitros, delegados, directores dos clubes adversários), e agora pergunto eu "o que leva um clube a contratar um jogador destes???", e a não o repreender, pois também é a imagem do clube que está em jogo.

Nas últimas épocas por onde tem passado, foi o que foi, porrada a tudo o que mexia dentro de campo, agressões, expulsões, etc, agora em Vialonga, agressões, mas expulsões até ao momento parece que nada, aliás, segundo a crónica do jogo, parece que foi expulso mas depois essa expulsão foi-lhe retirada.

O propósito deste meu mail, que peço para publicar na rubrica “Espaço Aberto” é denunciar uma situação que se pode tornar gravosa para todos os adversários que defrontarem essa pessoa a começar já sábado no Entroncamento frente ao seu União.

PS: Se quiser um titulo, aqui fica uma sugestão “Canela até ao pescoço”

Continuação do bom trabalho que faz em prol da modalidade.

Atenciosamente
Leitor Identificado

domingo, 27 de Novembro de 2011

GALOS DERAM TRÊS "BICADAS" NOS TIGRES

Não era garantidamente o resultado que estava na mente dos cerca de 500 espectadores que coloriram as bancadas do Alfredo Bento Calado.


As duas equipas entraram no ringue com t-shirts que assinalaram os 70 anos da Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC). Filipa Mendes, a coordenadora regional sul da LPCC, agradeceu o gesto. Após estas palavras Jerónimo Moura e Domingos Carvalho do Porto deram inicio à partida com as equipa a apresentarem os seguintes cinco iniciais:

HC "Os Tigres": André Azevedo, Carlitos, Diogo Lã, Carlos Trindade e Gonçalo Favinha.
Treinador: Nelson Lourenço

OC Barcelos: Paulo Matos, Leal, Xixa, Hugo Costa e André  Centeno.
Treinador: José Fernandes


A partida começa com ambas as equipas a tentarem assumir o comando da mesma o que tornava o jogo rápido e com lances perto de amabas as balizas. Seria no entanto à passagem do 5' Xixa num remate enrolado a abrir o marcador (0-1). Os Tigres não sentiram o golo e continuaram a fazer o seu jogo, no entanto a bem organizada equipa minhota não permitia à equipa azul e branca a obtenção do golo, ora pela boa organização defensiva, ora por ineficácia ofensiva do adversário. Seria Gonçalo Favinha à passagem dos 15' minutos a estabelecer a igualdade (1-1) concluindo uma boa jogada. O empate duraria apenas um minuto pois Hugo Costa marcava e colocava de novo o Óquei na frente do marcador (1-2), resultado com que se chegaria ao intervalo. A equipa do Minho justificava este resultado devido à eficácia e organização, numa 1ª parte jogada a grande velocidade e com o bloco Barcelense a funcionar e a partir para o ataque com circulação de bola. Os Tigres a pecarem na finalização e a desperdiçarem um livre directo por intermédio de Diogo Lã.


A 2ª parte traz uns Tigres mais pressionantes num jogo que se mantinha rápido e com as oportunidades a surgirem em ambas as balizas e à passagem dos 5' minutos Carlos Trindade empata o jogo (2-2). No minuto seguinte alguma desconcentração da equipa do Óquei e Carlos Trindade na "cara" de Paulo Matos não consegue concretizar. Nesta fase da partida a equipa de Barcelos tinha mais posse de bola, e fruto dessa maior posse de bola viria a conseguir um livre directo fruto da 10ª falta da equipa de Almeirim. Xixa chamado a marcar não consegue bater André Azevedo. O jogo continuava rápido e prova disso é um contra ataque dos Tigres que não dá em golo, para na resposta o Óquei responder na mesma moeda e André Azevedo a negar mais uma vez o golo. Nesta altura já os Tigres dominavam, com maior tempo de posse de bola, mas continuava a falhar na finalização, e como quem não marca arrisca-se a sofrer, seria André Centeno a "empurrar" ao segundo poste, concluindo uma boa jogada, estava feito o 2-3. Os Tigres corriam agora atrás do prejuízo e o OC Barcelos estava á beira da 10ª falta que viria a acontecer em cima do apito do cronómetro, o arbitro assinala o respectivo livre directo e Paulo Matos v~e o cartão azul por protestos, entra Ginho que tem nos seus ombros a responsabilidade de manter a vantagem, Carlitos chamado a marcar tem de rematar directo, pois o tempo está esgotado. Remate forte mas Ginho a dizer presente e a garantir os 3 pontos. Num jogo impróprio para cardíacos o empate seria o resultado mais justo, no entanto pelo eficácia e organização a vitória do OC Barcelos acaba por se aceitar.


Sinal mais: Para a excelente moldura humana e para a claque "Ultras Almeirim" incansáveis do primeiro ao ultimo minuto e a demonstrar um fair-play e um desportivismo acima da média ao aplaudir o OC Barcelos no final da partida. Para a eficácia dos Minhotos e para a excelente exibição de André Azevedo que evitar outros números.

Sinal menos: Para a finalização dos Tigres e para o não aproveitamento de lances capitais que fazem toda a diferença no resultado final.

A equipa de arbitragem acabou por ser bastante contestada pela equipa Minhota em particular pela falta assinalada mesmo no final da partida o que levou José Fernandes, treinador do OC Barcelos a dizer que no final a dupla de arbitragem fez tudo para que a sua equipa não ganhasse.

Fotos: Miguel Petisca

sábado, 26 de Novembro de 2011

SÓ O UNIÃO TEVE MOTIVOS PARA SORRIR...!!!

Uma vitória, um empate e duas derrotas foi este o saldo das equipas Ribatejanas nos jogos desta tarde/noite.


Começando pela 1ª Divisão e por Almeirim, os Tigres acabaram "devorados" pelos Galos. A jogar num pavilhão com uma excelente moldura humana e com a claque dos Ultras incansáveis do 1º ao ultimo minuto a equipa de Nelson Lourenço foi perdulária e ao intervalo perdia por 1-2 perante um OC Barcelos tremendamente eficaz e organizado. Na 2ª parte os Tigres correram atrás de outro resultado e viriam a conseguir o 2-2, mas voltaram a pecar no momento da finalização e apesar de mais uma excelente exibição de André Azevedo, não foi capaz de evitar o 2-3 já perto do final quando André Centeno conclui uma excelente jogada ao segundo poste. Os últimos segundos foram impróprios com a dupla de arbitragem do Porto a assinalar a 10ª falta do OC Barcelos em cima do sinal sonoro do cronómetro, mas esse sinal só indica que o tempo se esgotou e foi assinalado o respectivo livre directo, que Carlitos que tinha de seticar directo não concretizou e os Tigres sofreram a primeira derrota caseira. Com esta derrota a equipa azul e branca de Almeirim caiu para a 12ª posição, 2 pontos acima da linha de água.


Na 2ª Divisão Sul, o SC Tomar não foi além de um empate na Vila Presépio frente ao S Alenquer B, num jogo em que saiu na frente do marcador com um golo de Ivo Silva, mas a equipa da casa recheada de excelentes jogadores, alguns dos quais ainda juniores, viria a dar a volta ao marcador e passar para a frente 2-1, isto já na 2ª parte. Seria de novo Ivo Silva a empatar a contenda na marcação de um livre directo, para na bola de saída da equipa da casa, o SC Tomar cometer a 10ª falta que Ruben Martins na marca de livre directo aproveitou para desfazer a igualdade (3-2), o Tomar procurava o empate, numa bonita jogada de ataque o Alenquer fazia o 4-2 a cerca de 3 minutos do final. Esses minutos finais revelaram-se dramáticos com o SC Tomar a chegar á igualdade (4-4) em dois lances contestados pela equipa da casa, que reclamou falta e cartão azul para o jogador do SC Tomar no lance do 4-3 e que a bola não entrou na sua baliza no 4-4, mas o "dramatismo" não ficava por aqui por na reposição da bola a seguir ao 4-4, Bruno Januário num lance infantil e despropositado faz falta a 15ª da sua equipa faltavam 17 segundos para o final. Marco Gaspar chamado a substituir Márcio Ornelas na baliza Nabantina defendeu garantindo o empate em casa do 2º classificado. O SC Tomar manteve a 5 posição, a 8 pontos do líder Sporting CP.


Em Santa Cita a equipa de Luís Miguel Cunha voltou a desiludir desta feita frente ao HC Vasco da Gama que ainda não tinha pontuado na prova, e caiu para a zona de despromoção a par da Académica de Coimbra, curiosamente as duas equipas que subiram da 3ª Divisão Centro a época passada. Entrou bem a equipa da casa com David Vieira logo no 1' a inaugurar o marcador. A equipa de Sines viria a dar a volta ao marcador (1-2) e seria Tiago Barreiro a conseguir de novo o empate para no minuto seguinte Custódio Augusto fazer o 2-3 com que se atingiu o intervalo. Na 2ª parte quando todos esperavam a recuperação da equipa da casa, o Vasco da Gama foi a equipa mais consistente e mais eficaz e foi marcando até ao 8-5 final. Vitória justa da melhor equipa e a que menos erros cometeu, sinal negativo para o exagerado numero de faltas cometido pela equipa de Santa Cita, nada mais nada menos de (20) vinte...!!! Nuno Nobre (2) e João Filipe foram os outros marcadores da equipa.


Na 3ª Divisão o União sofreu a bom sofrer na Aba da Serra para conquistar os 3 pontos. A equipa de Barros Simões até começou melhor com Pedro Brazete a marcar logo ao segundo minuto, mas a equipa de Oliveira do Hospital viria a dar a volta ao marcador e sair para o intervalo a vencer por 2-1. Na 2ª parte a reacção da equipa da Cidade Ferroviária tardava em aparecer e os homens da casa não se fizeram rogados e aumentaram a contenda para 3-1. Temia-se o pior para a equipa alvi-negra a não poder desperdiçar pontos, depois do empate caseiro frente ao Alcobacense sob pena de ver aumentar a distância pontual para os da frente. Pedro Brazete reduziu para 3-2 e seria João Capitolino ao 13' e 23' da 2ª parte a fazer os golos da vitória (4-3) e a confirmar uma vitória difícil perante uma boa equipa cuja classificação não espelha a qualidade da mesma. Com esta vitória o União subiu para a 4ª posição com 7 pontos menos cinco que HC Lourinhã e AC Sismaria, lideres isolados da classificação, mas com menos um jogo.

Fotos: Miguel Petisca, APL Tv, Barros Simões e União FE

O HÓQUEI AINDA É O QUE ERA...!!!

O hóquei não está isento de problemas, mas ainda é o que era


Figuras ligadas à modalidade que mais títulos internacionais deu a Portugal rejeitam o cenário de crise: "O hóquei em patins está vivo"

A ideia de um hóquei em patins em crise é falsa, segundo algumas figuras da modalidade ouvidas pelo PÚBLICO. O desporto tem os seus problemas, admitem, nomeadamente a nível de organização, mas, apesar de sofrer das mesmas dificuldades de outras modalidades no mesmo patamar, afirmam que continua a gerar interesse e a ocupar um lugar especial no coração dos portugueses.


E o facto que foi apontado como chave em algum retrocesso da visibilidade do hóquei nos anos anteriores, a ausência de transmissões televisivas, devido à incapacidade da Federação Portuguesa de Patinagem (FPP) para financiar os custos de produção, foi finalmente compensada esta época, com o anuncio de que a modalidade está de regresso à RTP, que transmitirá pelo menos 33 jogos, a maioria deles relativos ao campeonato nacional.

"Há clubes formadores, há gente nos pavilhões e este ano até há televisão. O hóquei em patins está vivo", defendeu Cristiano Pereira ao PÚBLICO. "Há muita gente interessada no hóquei, muitos adeptos. É possível encher um pavilhão com milhares de espectadores, num jogo de selecções ou de grandes clubes portugueses. E, apesar das dificuldades, os clubes continuam a dedicar-se à formação. Portanto, não é justo sermos críticos em relação à modalidade" referiu o antigo praticante, uma das glórias do hóquei nacional, vencedor de dois Mundiais e quatro Europeus como jogador e mais um Mundial e dois Europeus como treinador.

No entanto, o oitavo português com mais internacionalizações em todos os escalões (168) também regista deficiências, nomeadamente a nível de organização, e aponta o exemplo que está mais fresco na memória, a falta de comparência do Liceo da Corunha na Supertaça Europeia, com o Benfica. "Também há efeitos negativos, como este da Taça Continental em que uma equipa não aparece", relembrou Cristiano Pereira.

"No hóquei em patins as coisas passam-se, mas não há castigados", sublinhou Reinaldo Ventura, que esta temporada irá tentar conquistar o seu 11º titulo consecutivo ao serviço do FC Porto. "Já atravessei várias fases na modalidade: quando comecei, havia muito publico e muito interesse da comunicação social. Depois houve algum desinteresse da parte da comunicação social, mas a culpa não é dela. Os responsáveis acharam que a modalidade por si própria...Mas com o reaparecimento da TV as coisas estão a melhorar".


Decréscimo de visibilidade
O internacional português admitiu que, por causa da falta de transmissões televisivas "houve um decréscimo de visibilidade nos últimos anos", mas contrabalança esse aspecto com o que a modalidade significa para o país. "Mesmo com este problema da TV, as outras modalidades, por muito que queiram, não conseguem ter o carinho que os portugueses têm pelo hóquei em patins".

Ainda assim, Ventura concede que o hóquei "não está igual", perdeu espectadores em relação a outros tempos, mas explicou que essa situação é natural em todas as modalidades "As pessoas antes não tinham playstation, não tinham computadores portáteis...Vivia-se para o desporto, agora não".

O afecto dos portugueses em relação à modalidade teve origem nos anos 1940 e 50, como explica Fernando Castro. "Portugal conseguiu os seus títulos desportivos mais relevantes até então através do hóquei em patins. Isso teve uma grande repercussão e originou um desenvolvimento muito grande. Portugal era líder a nível mundial", sustentou o autor do livro Campeonatos do Mundo de Hóquei em Patins: contributos para a sua história. Actualmente os resultados internacionais não são "tão avassaladores", mas isso, garante Fernando Castro, "não significa que a modalidade tenha reduzido a sua importância" ou influência.


20 mil espectadores/semana

De acordo com este autor, no global cerca de 20 mil espectadores por semana assistem a jogos em todos os escalões. Muitos outros seguem-nos pela TV ou pela Internet, onde se pode assistir a partidas da I, II e III Divisões. "E o número de hoquistas não está a diminuir", acrescentou. "Poderá é haver oscilações de ano para ano".

Segundo dados facultados pela FPP, o número de praticantes federados no hóquei em patins, que tem contra si o custo do equipamento e o facto de não ser jogado nas escolas, foi semelhante nos últimos anos (10.593 em 2002-03, 10.269 em 2009-10, e valores relativamente parecidos nas épocas situadas entre este intervalo de tempo).

Há uma tendência de descida na quantidade de atletas masculinos mas que é compensada pelo aumento de femininos. No entanto, nas outras três modalidades ditas amadoras (basquetebol, andebol e voleibol) mais conhecidas não houve estagnação, pois o número de praticantes, segundo dados do Instituto de Desporto de Portugal, cresceu substancialmente no mesmo período.

Manuel Assunção, Edição Público Lisboa, 20 Nov 2011
Fotos: Pedro Alves, Mundo do Hóquei

ACR GULPILHARES vs HC MEALHADA

sexta-feira, 25 de Novembro de 2011

GALOS VISITAM TIGRES...!!!

Sábado de derby no futebol com um escaldante SL Benfica - Sporting CP, tem como aperitivo os jogos dos Nacionais de Hóquei em Patins, e as equipas Ribatejanas com jogos de grau dificuldade médio/elevado.


Em Almeirim no Alfredo Bento Calado a equipa azul e branca da Capital da Sopa da Pedra recebe o histórico OC Barcelos onde André Centeno, Jorge Maceda e Nuno Felix por exemplo são referências da equipa Minhota. Os Tigres depois da derrota em Riba D'ave tem a oportunidade e a jogar perante o seu publico de voltar às vitórias e continuarem a amealhar pontos rumo ao objectivo manutenção, no entanto terá de contar com um adversário valoroso, que quererá igualmente os três pontos e sair do lugar incomodo onde se encontra na tabela classificativa (11º com 4 pontos, menos um que os Tigres que são 10ª). O jogo com inicio marcado para as 1800 horas será dirigido pela dupla Portuense Jerónimo Moura e Domingos Carvalho e terá transmissão em directo na Tigres Tv.


O SC Tomar depois de ter folgado na jornada anterior, após a derrota em casa do líder Sporting CP, tem mais uma saída de grau de dificuldade elevado com a visita à Vila Presépio para defrontar o 2º classificado S Alenquer B. A equipa de Nuno Lopes actual 5º classificado com 9 pontos é apontado por muitos como um dos candidatos à subida, e segundo as palavras do técnico Leonino, «o SC Tomar entra em qualquer rinque para vencer», e amanhã poderá provar isso mesmo, ou seja, confirmar-se como um dos candidatos, vencendo o Alenquer. A equipa Nabantina que na derrota (por numero exagerados) com o Sporting, acabou por fazer um bom jogo, tendo inclusive dominado durante parte do mesmo, irá encontrar um adversário composto por bons executantes e que a jogar perante o seu publico se transfigura e costuma realizar excelentes exibições. Com inicio marcado para as 2100 horas e dirigido por Pedro Mota e Cidalino Lamarosa de Setúbal, o jogo terá transmissão directa na APL Tv e na Plurisports.


Em Santa Cita a equipa de Luís Miguel Cunha recebe um dos lanternas vermelhas, o HC Vasco da Gama de Sines, num jogo que será dirigido por Manuel Gonçalves e Thierry Francisco de Lisboa. A equipa do Santa Cita que no passado sábado acabou derrotada em Algés, soma apenas 3 pontos fruto da vitória caseira frente ao CACO, e terá amanhã a jogar frente ao seu publico a hipótese de amealhar mais 3 pontos e deixar a zona perigosa onde se encontra. A equipa de Sines que conta no seu plantel com o experiente Ricardo Silva (ex-Tigres de Almeirim), procura a primeira vitória na prova e certamente irá procurar contrariar o favoritismo da equipa da Aldeia Ribatejana do Hóquei em Patins. O Santa Cita por seu turno se jogar o que está ao seu alcance e der preferência ao colectivo em detrimento das constantes seticadas de meia distância, terá uma oportunidade de ouro de somar a 2ª vitória e dar um salto na tabela para lugares mais condizentes com a qualidade da equipa.


Por fim na 3ª Divisão Centro o União FE depois da vitória folgada em Arazede, volta a jogar fora desta feita na aba da Serra frente ao FCO Hospital, equipa que ainda não pontuou na prova, mas que é sempre um adversário a ter em conta, pelo facto de contar no seu plantel com jovens talentosos, que aliam o seu talento à experiência de outros mais velhos. A equipa de Barros Simões que como foi dito anteriormente vem de uma vitória expressiva, conseguida na 2ª parte depois de alguma ansiedade na 1ª parte o que motivou uma serie de erros, que não se podem admitir a um dos candidatos aos lugares cimeiros, tem neste jogo com inicio marcado para as 1900 horas a oportunidade de somar mais 3 pontos, se jogar ao nível do que jogou na 2ª parte em Arazede. Partindo como favorito à vitória a equipa alvi-negra terá no entanto que jogar concentrada e "afinar" a finalização para poder sair de Oliveira do Hospital com a vitória na "algibeira" e não perder o contacto com os da frente. O jogo será dirigido por Nuno Sequeira do Porto.

Fotos de arquivo: Barros Simões, Jornal "O Templário", Almeirinense Tv e União FE

quinta-feira, 24 de Novembro de 2011

NACIONAIS DE JOVENS - 2011/2012

A FPP divulgou o numero de clubes a apurar por cada Associação para os Nacionais de Infantis, Iniciados, Juvenis e Juniores época 2011/2012.


A AP Ribatejo que conjuntamente com a AP Leiria e AP Coimbra organizam os Regionais das respectivas categorias terão 4 equipas apuradas por escalão, excepto Juniores onde serão apenas 3 os clubes a apurar.

HERNÂNI MARCA QUE SE FARTA...!!!

A equipa de Juniores do SC Tomar conseguiu uma importante vitória em Valado dos Frades frente ao BIR e subiu ao 2º lugar do Regional, e para isso muito contribuíram os sete golos apontados por Hernâni Diniz. Os Campeões em titulo não deixaram a equipa da casa impor o seu jogo e venceram com toda a justiça, num Pavilhão sempre difícil.


Num jogo dirigido por Vítor Roxo (Nac. A) e David Barros (Reg) as equipas alinharam da seguinte forma:
BIR -  Nuno Pega (gr), Marco Gomes, Luís Raimundo, Diogo Ruivo, Pedro Santos, Carlos Pais, Filipe Gomes, Fábio Pedro © e Marco Capitão (gr)
Treinador: Rodolfo Santos

SC Tomar - Renato Rodrigues (gr), Pedro Vitorino, Gustavo Laranjeira, André Silva, Ricardo Marrucho, Alexandre Marques ©, Pedro Martins, David Costa, Hernâni Diniz e João Massa (gr)
Treinador: Nuno Lopes

A equipa da casa foi a primeira a marcar, mas os verde e brancos da Cidade dos Templários a responder bem. O jogo do BIR baseava-se em seticadas de meia distância para os desvios à boca da baliza, mas Renato esteve sempre bem e ia contrariando os intentos adversários. Num jogo sempre “corrido” e com bonitas jogadas o intervalo chegava com a equipa Nabantina a vencer por 1-4.


A segunda parte manteve o mesmo cenário, no entanto a equipa da casa foi mais eficaz e o equilíbrio foi ainda mais notório tendo o parcial resultado num 3-5 a favor dos Leões Tomarenses. Num jogo bem dirigido pela dupla de Leiria de salientar ainda os azuis mostrados a Fábio Pedro do BIR e Ricardo Marrucho do SC Tomar. Com 13 faltas de equipa para o BIR e 10 para o SC Tomar o placard final marcou BIR 4 – SC Tomar 9.

Os golos da equipa da casa foram apontados por Fábio Pedro (3) e Filipe Gomes, pelo lado Leonino Hernâni Diniz (7), Pedro Vitorino e André Silva foram os marcadores de serviço.

Crónica: Luís Soares
Fotos de arquivo: Luís Soares

TRABALHOS DA SELECÇÃO INICIAM-SE AMANHÃ

A Selecção Distrital do Ribatejo começa os trabalhos amanhã pelas 19:45 horas no Pavilhão de Santa Cita, tendo em vista a participação no Torneio Inter Regiões "Páscoa 2012". São estes os atletas convocados:


SC Tomar - Carlos Silva, Carlos Miguel Silva, Diogo Pereira, Gonçalo Domingues, Gonçalo Vicente e Rúben Gonçalves

ACR Santa Cita - Cláudio Pimpão, José Pedro Marques, Dinis Conde, Tiago António  e Bruno Oliveira

J. Ouriense - Marco Fontainhas, Gonçalo Cabo e João Alves

Como já foi o anunciado o seleccionador distrtital é Manuel Vitorino e o treinador Miguel Jerónimo.

Foto de arquivo: SportFlash

quarta-feira, 23 de Novembro de 2011

ESPAÇO ABERTO

Bom dia sr. Gavancho.

Considere-me um amante da modalidade que faz tudo para que ela cresça, para que seja divulgada e vista como um desporto emotivo mas nunca violento. Sou leitor atento do seu blog dai este desabafo que lhe escrevo. Se quiser publique se não quiser, ajude-me dê a sua opinião. Mas escreva algo sobre este assunto um dia destes. O que me trás a escrever este e-mail é uma situação simples mas que muita gente ainda não se lembrou dentro e mesmo fora do campo. Para bem da modalidade e graças às novas tecnologias muitos jogos da 2ª e 3ª divisão são gravados ou até mesmo transmitidos em directo via Internet, o que leva a que o que se passa durante o jogo fique registado, guardado para ser visto e revisto.

Assim, depois de ter assistido ao jogo entre o G.D. Sesimbra vs Hoquei Clube de Turquel surgiu-me esta dúvida. Será que alguns de todos os intervenientes num jogo de hóquei se lembram que estão a ser filmados??!! Espero que sim!!

Pois, pelas imagens que pode ver no resumo que lhe mando neste link, certamente ainda há jogadores e árbitros que não pensam nisto. O que fazem então é dar má imagem da modalidade ao mostrarem o seu anti-desportivismo, a sua má formação em todos os níveis, a sua agressividade e a sua incoerência nas decisões tomadas ao logo do jogo. E assim tudo vale para levar os 3 pontos.

Como já percebeu não quero nem vou referir nomes, nem de quem me queixo, tal como digo, hoje em dia as imagens falam por si e nem são desfocadas. Note que nos lances onde são vistas as agressões não foi sequer marcada falta de equipa quanto mais cartão azul. Acho que há que avisar jogadores, árbitros e até mesmo adeptos desde facto. Alguns jogos são filmados meus amigos!!!

Agora mais grave é se sabem disso e mesmo assim agem da forma que eu vi no sábado!! Refiro também que a equipa que faz estas agressões acabou o jogo com 2 faltas de equipa ambas a 2 minutos do final, sim aos 23 minutos da segunda parte a equipa que todo o jogo transformou a velha regra de bola até joelho em algo pior..(bola até á cabeça!!) apenas teve 2 faltas de equipa!!

Um aparte:

Isto fez me sentir o seguinte no sábado.. "Fiz eu 300 km 150 km para cada lado, pagar 15 Euros de bilhetes para família para ver isto??" " e no final ainda fui visado por adeptos locais com impropérios típicos de gente educada com certeza, só porque sou adepto da equipa visitante?" Assim como eu serão muitos por esse pais fora a sentir o mesmo de certeza, e pouca vontade fiquei de voltar a fazer tão depressa um programa destes que incluiu almoço em Sesimbra, lanche, umas compras no comercio local para chegar a casa ao final do dia desiludido com a modalidade que mais gosto de assistir.
E não é isto que interessa também? Cria-se movimento, gasta-se algum dinheiro e se gostarmos provavelmente voltamos e continuamos a ir.
Se calhar ainda andei a fazer compras em alguma loja de quem me ofendeu durante o jogo!!! Quem tem vontade de voltar pelo menos ali??!!

Ainda este ano fui ver o Tigres vs PA apenas porque achei que ia ser um bom jogo, acabei por jantar em Almerim.. epah não é isto que nos move? E acabamos por ajudar economias locais na nossa pequenez claro, somos poucos e assim seremos cada vez menos.

Sim sou adepto do HCT não escondo, e esta carapuça serve a quem a quiser enfiar.
Tenho dito.

Cump.
Isaac Martins

FOI CRIADA UMA EQUIPA DE TRABALHO

Como o Cartão Azul noticiou no dia 11 do corrente mês, algo se passa "No reino da arbitragem" e prova disso foi a reunião realizada nesse dia e que juntou os árbitros de Lisboa na sede da FPP. O Cartão Azul chegou à conversa com Fernando Cabaço para saber qual o motivo da reunião, e como vai a arbitragem Portuguesa.
CA – Bom dia Fernando, obrigado pela tua disponibilidade, o que motivou esta reunião dos árbitros de Lisboa?
FC – Esta reunião foi muito espontânea e não deixou de ser nem de passar por um encontro de ideias entre pessoas que sentem que a actual Associação representativa dos árbitros nada faz por nós. Talvez não saibas mas em Lisboa sempre existiu uma Delegação Regional da ANAHP (única no País), á qual eu próprio já pertenci e só deixei de pertencer por me ter transferido na altura para o CA Ribatejo. Nós todos os meses fazemos as nossas reuniões de trabalho convocadas pelo CA Regional, nesta aproveitou-se o espaço e o tempo afim de se falar deste assunto, nada mais que isso.
 
 
CA – Quais os resultados da mesma, e quais as próxima acções programadas?
FC – Quanto á programação de acções no futuro de nada sei pois desde logo me demarquei de pertencer seja aquilo que for, sou o único árbitro do País que não é sócio da ANAHP nem serei de nenhuma no futuro, pelo que não serei nem visto nem achado nesta problemática. Apoiarei toda e qualquer acção que venha por bem á dignificação / formação / defesa da arbitragem e ajudarei em tudo o que for necessário, mas ser sócio ou até porventura ser dirigente jamais equacionarei essa hipótese. Os resultados da mesma sei, e posso-te dizer porque não é segredo nenhum pois vivemos num Pais livre, que foi criada uma equipa de trabalho afim de se criar uma associação nova a partir, ou só, de Lisboa, os regulamentos assim o permitem, mas, repito, eu não faço parte dessa equipa. Por os regulamentos o permitirem acho que qualquer grupo de árbitros pode criar uma associação, dentro dos trâmites legais pois o objectivo é ser reconhecida perante todos os consócios da FPP. Nada de anormal.
 
 
CA – Mais uma vez obrigado, e que consigam atingir os objectivos a que se propuseram.
FC – Para terminar e agradecendo-te desde já a oportunidade que me dás neste teu espaço pessoal, queria aqui deixar vincado que nada tendo a ver com este assunto estarei sempre ao lado de todos os colegas que queiram ver a ARBITRAGEM dignificada e nunca deixando de enaltecer o bom trabalho que o CA/FPP está a fazer junto dos CA Regionais ao fazer reuniões de conjunto afim de todos caminharmos no mesmo sentido e aqui sim se nota a falta de uma verdadeira Associação de Árbitros.

Fotos: Fernando Cabaço

terça-feira, 22 de Novembro de 2011

SELECÇÃO DO RIBATEJO COM NOVO TREINADOR

A pouco e pouco as Selecções Distritais de Iniciados vão iniciando os trabalhos tendo em vista o Inter Regiões Páscoa 2012.


O Ribatejo não é excepção e foi divulgado o quadro técnico que irá visionar e seleccionar os jovens Ribatejanos tendo em vista os eventos a realizar na época 2011/2012, o seleccionador distrital continua a ser Manuel Vitorino, treinador nível 3 que ao longo dos anos tem vindo a demonstrar capacidades para o cargo. Para treinador Miguel Jerónimo, treinador das camadas jovens do União FE e adjunto de Barros Simões no comando tecnico da equipa senior do clube alvi-negro substitui Fernando Vaz que orientou a selecção na passada época.

Esperam-se agora as datas de inicio dos trabalhos, assim como o nome dos atletas chamados aos mesmos.

Foto de arquivo: Carlos Martins

NOTICIAS DE OURÉM - JUVENIS E JUNIORES

Individualismo parte 1


Há dias que por muito que se queira, tudo corre mal, foi o que aconteceu aos juvenis do Juventude Ouriense na recepção à equipa do Vigor e Mocidade, num jogo arcado por duas equipas que em nada dignificaram o Hóquei.

Ambas as equipas muito desorganizadas em que o anarquismo foi a nota dominante de todo o jogo, porém a equipa da casa tentou arranjar soluções individuais em detrimento de um jogo colectivo que tão bem já habitou o publico de Ourém. Por seu lado, a equipa do Vigor sem inventar muito ia materializando em golo as suas oportunidades.

Uma palavra de rápidas melhoras para o atleta do Vigor que saiu de ringue lesionado, as rápidas melhoras.

Juvenis: Juv Ouriense 3 - 9 GDV Mocidade


Individualismo parte 2


A noite de sábado trouxe uma equipa de Ourém a demonstrar pouco querer em ganhar e convencer, limitando-se aos trabalhos mínimos fazendo do individualismo uma arma para vencer o encontro perante uma equipa jovem e fragilizada.

Um jogo de sentido único, a baliza dos Corujas em que o simples aumentar de velocidade e trocas de bolas rápidas, fazia a equipa vestida de verde “tremer”, contudo viu-se um jogo sempre em velocidade cruzeiro, limitando-se a equipa da casa a ganhar sem brio.

Parabéns aos rapazes “azuis” pela vitória, que sabem fazer mais e melhor para dignificaram as cores de Ourém, e já mais que uma vez provaram que jogando em equipa as coisas saem mais facilitadas, esperemos que no próximo jogo o empenho seja uma constante.

"Sem eu´s nunca existirá nós. O nós é feito de eu´s."
José Eustáquio

Juniores: Juv Ouriense 6 - 1 Os Corujas

Crónicas de CG in Blog "Juventude Ouriense Ok"
Titulo: Cartão Azul

RESULTADO QUE PECA POR ESCASSO

No passado domingo, no pavilhão polivalente de Santa Cita, dia 20-11-2010, pelas 15 horas, realizou-se mais uma jornada do campeonato regional de juniores.


Numa primeira parte, em que foi notório, o empenhamento, por parte dos jogadores de Santa Cita, o resultado só podia ser a vitória, nesta primeira parte, mas, só foi um, por intermédio do João Paulo (uma bomba), mas, podiam ter sido muitos mais. A equipa do H.C.Santarém tudo fez, para evitar, que entrassem mais golos na sua baliza.

Intervalo : Santa Cita 1 H.C.Santarém 0

Na segunda parte, o domínio do jogo, continuou por parte da equipa da casa, em que com naturalidade foram surgindo os golos, tendo o marcador electrónico mostrado, 2-0; 2-1; 3-1; 4-1; 5-1; 6-1; 7-1. A equipa que veio da capital do distrito de Santarém, ainda reduziu para 7-2; 7-3 e 7-4.

Resultado Final : Santa Cita 7 H.C.Santarém 4

A equipa de Santa Cita alinhou : Joel Baptista (G.R.), Fábio Macarrão, Luís Vicente (2), João Vaz (2) e João Paulo(3). Jogaram ainda, Miguel, Faria, Pedro e Fábio Amendoeira (G.R).

Crónica: Nunão in Blog "ACR Santa Cita"
Titulo: Cartão Azul

segunda-feira, 21 de Novembro de 2011

ALGUMA ANSIEDADE MARCOU O 1º TEMPO

União a mostrar ansiedade na 1ª parte e a deixar o Arazede abrir o activo para de seguida dar a volta para 1-2. Arazede empata e de livre directo na sequência da 10ª falta de equipa o União a chegar aos 2-3 do intervalo.


Na segunda parte União entra melhor, e aumenta a vantagem. A partir daí a superioridade da equipa foi evidente e o resultado foi-se desnivelando para no final parar nos 4-10, ainda assim algo lisonjeiro para a equipa da casa.

Resumindo, uma 1ª parte fraca do União, a lembrar o jogo menos conseguido com o Alcobaça. Na segunda melhorou, com alguns minutos ao nível que todos esperamos desta equipa, a pecar na falta de discernimento na hora da finalização e esporadicamente a nível defensivo. No computo geral, melhoria em relação ao jogo anterior, nitidamente a caminho da qualidade que todos esperamos ser a bitola desta equipa.

Extra jogo, saliente-se a presença do Presidente da Direcção e sua esposa junto dos adeptos (cerca de 20) que foram sempre puxando pela equipa.

Crónica: Luís Brizida
Foto: União FE
Titulo: Cartão Azul

VITÓRIA SOFRIDA CONFIRMA LIDERANÇA

Grande clássico em Sintra. Os Leões contam por vitorias os jogos disputados. Os Homens da Terra das Queijadas não querem deixar os seus créditos em mãos alheias.


A partida será caracterizada por uma luta pelos 3 pontos. Grande moldura humana e destaque para as gentes leoninas que aumentam a sua presença no apoio a equipa. O SCP iniciou com Daniel, Roquete. Hugo Lourenço, Ramalho e Marinho. Jogo de equilíbrio inicial com equipas a encaixarem e a aproveitarem erros mútuos. Min 5 GP contra o Sintra. António Ramalho permite defesa do GR local. Min 12 liv directo contra o SCP. Defende Daniel por duas vezes. No contra-ataque e de longa distancia G Alves marca golo de bandeira. SCP segue em power play. SCP consegue segurar resultado e já esta em igualdade de jogadores de campo. Min 20 excelente jogada de G Alves que a meia volta atira para grande defesa do GR local. Min 21 GP contra o Sintra. 1a defesa do GR mas G Alves na recarga faz picadinha e o 2-0. A 40 seg do final da 1a parte o SCP não segura a bola e num contra-ataque os Sintrenses reduzem para 1-2. SCP merecia maior vantagem que o 2-1 porque controlou sempre a partida.

 
Na 2a parte o SCP inicia com Daniel, Roquete, André e G Alves. O SCP já atingiu 8 faltas. Critérios diferenciados. E num repente a 10a falta e liv directo para o Sintra e o empate a 2 logo no primeiro minuto. O Sintra empolga e os Leões sentiram as faltas "cavadas" com cirurgia. Min 5 liv directo contra o SCP. Que Meireles defende. No ataque Marinho isola-se e não consegue fazer o golo. Min 7 chapéu de Marinho e bola acaba por não entrar. Min 8 Marinho na área faz o 3-2. Contra as adversidades o SCP faz pela vida. Min 11 G Alves faz virgula e 4-2 para o SCP. Golo muito contestado. Min 13, jogada de 2x1 com G Alves a assistir Marinho que não marca com baliza aberta. Infelicidade. Min 15 GP contra o SCP. Defende Meireles e atira bola para fora do ringue. Min 16 o SCP faz 2x1 e não concretiza. No mesmo min GP contra o SCP. Defende Meireles e de novo stica para fora do ringue. Soberbo este nosso Redes. 6 min para jogar e SCP tem que acalmar o jogo. Vence por 4-2. Min 21 liv directo para o SCP. G Alves põe pavilhão ao rubro e 5-2 para o SCP. Min 22 reduz c remate de longe para 5-3. Min 23 SCP perde a bola e contra-ataque o Sintra faz o 5-4. SCP esta a beira da 15a falta. Na bola de saída excelente jogada de 0g Alves e o 6-4. Maravilhoso. A 12 seg do final GP contra o SCP. Sintra faz o 6-5 SCP venceu e comanda.

Alinharam e marcaram: Igor Alves e Daniel Meireles (GR); André Pimenta; Hugo Lourenço; Tomás Silva; Marinho(1); Tiago Roquete, Gonçalo Alves (5); João Calvão; Diogo Oliveira; António Ramalho.

Crónica de Gilberto Borges in Hoqueipatins.com
Fotos de arquivo: Luís Castelo
Titulo: Cartão Azul

domingo, 20 de Novembro de 2011

TURQUEL UM CASO DE POPULARIDADE NO HÓQUEI

“Tivemos muitas vezes mais adeptos no pavilhão do que o Leiria no estádio”


Chamam-lhe a “Aldeia do Hóquei” e quem, em dia de jogo, entra no Pavilhão do Hóquei Clube de Turquel (HCT) não tarda a perceber porquê. As centenas de adeptos e cachecóis, uma claque que canta de forma ininterrupta e a música que se faz ouvir no pavilhão à mínima paragem no jogo criam um ambiente que transcende o espectáculo desportivo e dá a cada jogo de hóquei do Turquel contornos de uma verdadeira festa.

“As pessoas aqui vivem e respiram o hóquei”, conta Maria do Carmo, habitante desta pequena vila do concelho de Alcobaça. As assistências médias de 1300 espectadores nos jogos em casa comprovam-no. “No ano passado, tivemos muitas vezes mais adeptos aqui no pavilhão do que o União de Leiria no estádio”, recorda Dinis Vicente, vicepresidente do clube. Os números ganham ainda maior relevância se olharmos para os dados relativos aos habitantes de Turquel – são perto de 4400, o que significa que, de cada vez que os seniores jogam em casa, quase um terço da aldeia se mobiliza para ir apoiar o clube da terra.


Mas nem só os habitantes de Turquel rumam ao pavilhão do HCT de cada vez que há um jogo em casa. “Já tivemos cá pessoas que fizeram 140 quilómetros para nos vir ver”, garante.

Com onze presenças no campeonato nacional sénior da I Divisão, o HCT entrou para o quadro de honra do hóquei em patins nacional no final da década de 1980, período em que foi treinado por António Livramento. Hoje, e apesar de o clube se manter na II Divisão há quase dez anos, o entusiasmo dos adeptos não esmorece.

Para o embate com o Oeiras, actual décimo classificado da prova (o HCT está em quarto), vieram 890 pessoas, mas, de acordo com Dinis Vicente, “nesta fase da época, ainda está tudo muito calminho”. “Mais para o meio do campeonato, isto é a loucura. Não consegue entrar aqui mais ninguém”, assegura.

Às 21 horas em ponto, o pavilhão assiste à primeira grande explosão de alegria: os jogadores do Turquel entram em campo. São “os filhos da terra”, como se ouve na bancada. Dos dez jogadores do plantel deste ano, apenas um não fez parte dos escalões de formação do HCT. “Apostarmos na formação é o que faz com que tenhamos muita gente a apoiar-nos”, explica João Simões, treinador do clube, também ele um “homem da casa”.


Rola a bola no ringue. A explosão de alegria repete-se poucos segundos depois, com o primeiro golo do HCT. Os “Brutos dos Queixos” – nome pelo qual são conhecidos os habitantes de Turquel – festejam cada golo como uma vitória e os jogadores não se fazem rogados: aí vão dois.

Na bancada, Carmo Honório, também ela antiga jogadora do clube, vibra com os golos dos atletas de casa. “Não falho um jogo”, assegura. E hoje nem a laringite a impediu de marcar presença. “Vimos apoiar os miúdos que vimos crescer, aqui somos todos uma grande família!”, afirma.

Ao intervalo, são já seis os golos da equipa da casa e nem os três do conjunto de Oeiras fazem os adeptos perder o ânimo. “E o Turquel é o nosso grande amor”, cantam a plenos pulmões.


A segunda parte recomeça no mesmo clima de festa e o festival de golos continua. Na bancada, os mais novos entoam, abraçados, os cânticos do clube. “O facto de termos muitos jogadores seniores que também são treinadores das camadas jovens é muito importante para trazer os miúdos”, assegura João Simões.

Mas não é este o único segredo do entusiasmo à volta da equipa. De acordo com Dinis Vicente, a comunicação directa entre os atletas e os adeptos (através de SMS e do Facebook), a criação de uma televisão online que transmite os jogos (HCTV), o relato dos jogos ao minuto no Twitter e os outdoors com mensagens personalizadas são trunfos fundamentais para fomentar o amor pelo clube.

“Uma vez ouvi um atleta desta equipa dizer: ‘Em Turquel, o hóquei não é um desporto, é um acontecimento social’”, recorda Catarina Maria, uma das responsáveis pelo Departamento de Comunicação do Clube. Carmo Honório concorda: “É uma convivência: as pessoas gostam de vir cá para se verem umas às outras, para se rirem e para dizerem umas coisas aos árbitros, porque também faz parte”, graceja.

O jogo termina com um expressivo 11-4, mas há ainda tempo para a última grande ovação da noite: os jogadores do Turquel juntam-se no centro do campo para agradecer a presença dos 890 adeptos que vieram para os apoiar. “O público é o nosso sexto jogador”, refere André Luís, capitão de equipa e um dos casos mais paradigmáticos de longevidade no clube – enverga a camisola do HCT há já 25 anos.

Ana Tulha Edição Público Lisboa 20 Nov 2011
Fotos: Rui Soares e HC Turquel 

"TÍLIAS DO PARQUE" FAZEM UM CHÁ INDIGESTO

O Riba d'Ave depois de disputar as suas primeiras quatro jornadas com os quatro primeiros classificados da época passada recebeu no seu rinque no Parque das Tílias, o HC Tigres tendo obtido a sua primeira vitória na prova por 7-6.


Foi um grande jogo, com muita emoção e claro, muitos golos. O Riba d'Ave na primeira parte conseguiu estar sempre na frente do resultado, com André Alves a inaugurar o marcador. O Tigres respondeu logo a seguir por Carlitos. Num jogo de sentido único das duas equipas , ou seja a baliza o Riba d'Ave voltou a adiantar-se Miguel Soares ao qual respondeu Diogo Lã fazendo o empate a duas bolas. os minhotos com muita raça não acusaram o empate antes pelo contrario conseguiram responder ao empate com dois golos de Miguel Soares fazendo o 4-2. Ainda na primeira parte Diogo Lã reduziu para 4-3 mas em cima do intervalo António Cruz fixou o placard 5-3 em tempo de descanso.


A segunda parte foi imprópria para cardíacos com o Tigres a entrar forte empatando o jogo a cinco bolas com dois golos de Carlitos. Os minhotos sentiram os golos mas não perderam a concentração optando por um jogo mais organizado, na expectativa de um erro adversário ou de um contra ataque. A vantagem no marcador voltou às hostes do Riba d'Ave pelo capitão Joel Ferreira, ao qual se seguiu o Miguel Soares fazendo o 7-5. Os Tigres nunca desistiram e na recta final reduziram para o 7-6 por João Silva.


Um triunfo dos minhotos que acima de tudo premeia a forma como nunca perdeu a sua identidade em rinque. Em relação aos Tigres mostraram apesar da derrota sofrida que são uma equipa que pode fazer um campeonato tranquilo

Crónica de Miguel Bastos - Blog "Hóquei Minhoto"
Fotos de arquivo: Fotos da Curva
Titulo: Cartão Azul

SANTA CITA AFUNDA-SE NA TABELA

Apenas o União FE logrou levar de vencida o seu adversário na jornada de ontem. Tigres em Riba d'Ave e Santa Cita em Algés acabaram por sair derrotados perante os ex-lanternas vermelhas.


Em Riba d'Ave no Parque das Tílias os Tigres averbaram a 2ª derrota na prova, num jogo emocionante, diga-se mesmo impróprio para cardíacos. A equipa da casa inaugurou o marcador para Carlitos empatar de seguida. Seria de novo a equipa da casa a passar para a liderança, mas Diogo Lã voltaria a empatar. O Riba d'Ave não desacelerava e passaria para a frente com mais dois golos (4-2). Tigres a reduzirem 4-3, para antes do intervalo António Cruz fazer o 5-3. Os Tigres entraram fortes na 2ª parte e voltariam a empatar a partida (5-5), mas de novo os homens da casa passariam para a vantagem de 2 golos (7-5). Seria João Silva a fixar o resultado final 7-6. Com este resultado os Tigres continuam na 10ª posição, recebendo na próxima jornada o histórico OC Barcelos.

 
O SC Tomar a ver esta jornada no "sofá" pois folgou, caiu para a 5ª posição com 9 pontos, menos 6 e menos um jogo que o líder Sporting CP que venceu em Sintra. Na próxima jornada a equipa de Nuno Lopes desloca-se a casa do 2º classificado o S Alenquer B.

 
A ACR Santa Cita voltou a perder (4-3) e afunda-se na tabela classificativa. A equipa de Luís Miguel Cunha teve como opositor o LMR Algés, que era um dos lanternas vermelhas, foi incapaz de levar a melhor e viu o adversário ultrapassa-la na tabela classificativa. Os golos de Nuno Nobre, João Filipe Silva e Rui Oliveira não foram suficientes para a conquista dos 3 pontos. Na próxima jornada a equipa da Aldeia Ribatejana do Hóquei em Patins recebe o HC Vasco da Gama que a par do UDC Nafarros são as únicas equipas que ainda não pontuaram. Ainda pela 2ª Sul realce para a derrota do HC Turquel em Sesimbra, ou melhor para a vitória do Sesimbra frente ao Turquel que assim se começa a revelar com um dos candidatos aos lugares cimeiros.



Na 3ª Centro o União FE venceu em Arazede por 4-10 (2-3 ao intervalo) e ascendeu à 5ª posição com 5 pontos menos 4 que os lideres HC Lourinhã e AC Sismaria mas menos um jogo. João Capitolino com um "póker" foi o marcador de serviço. PR (2), Marco Bento (2), Pedro Brazete e Bruno Pereira foram os outros marcadores. A equipa de Barros Simões passou assim num teste que não se antevia difícil, mas que o resultado ao intervalo prova o contrário. Na próxima jornada a equipa alvi-negra volta a jogar fora, desta feita em Oliveira do Hospital que ainda não pontuou no campeonato.

Fotos de arquivo: Barros Simões, Jornal "O Templário", Fotos da Curva e Francisco Gavancho