quarta-feira, 2 de Maio de 2012

VITÓRIA MANTÊM SONHO DO APURAMENTO VIVO

O SC Tomar sabia que apenas uma vitória interessava para manter intacta a hipótese de passar à 2ª fase, e assim sendo venceu o CI Sagres por 6-3 e depende apenas de si próprio para alcançar esse objectivo.


Com arbitragem de António Gameiro do Ribatejo as equipas alinharam com:
SC Tomar: Renato Rodrigues (gr), Pedro Martins, Hernâni Diniz, Pedro Vitorino, Gustavo Laranjeira, André Silva, Ricardo Marrucho, David Costa, Alexandre Marques (cap), João Massa (gr)
Treinador: Nuno Lopes

CI Sagres: Ricardo Amorim (gr), Pedro Ferreira, Rui Vieira, Renato Fonseca, Gonçalo Ouro, Nuno Sousa, Eduardo Ferreira, Ernesto Peixoto, João Carido, Renato Contreira (gr)      
Treinador: António Gomes


Jogo com duas partes distantes, com o CI Sagres a defender muito bem na 1ª parte, a trocar bem a bola, a sair para o ataque em jogadas organizadas e a saber aproveitar bem o contra ataque e a chegar ao intervalo a vencer por 0-3, com a marcar uma vez no aproveitamento de uma bola perdida atrás da baliza Nabantina, outra vez através de uma seticada de meia distância forte e colocada e outro através de uma situação de 3x2 numa jogada de belo efeito que só podia acabar em golo. O SC Tomar por seu turno apareceu nesta 1ª parte algo apático, sem velocidade, sem pressionar e completamente envolvido na excelente táctica da equipa de Lordelo do Ouro.

Intervalo: SC Tomar 0 - CI Sagres 3  (Faltas: 6 - 9)


O SC Tomar entrou para a 2ª parte com uma atitude completamente diferente e passados pouco minutos Hernâni Diniz com a seticada forte e colocada reduz para 1-3. O golo deu alento à equipa de Nuno Lopes que chegou ao 3-3, causando alguma insegurança ao adversário que via a excelente vantagem que tinha a escapar-se, e ia denotando alguma insegurança, não parecendo a mesma equipa que esteve em rinque na 1ª parte. Da parte da equipa forasteira foi também nítida alguma desconcentração que levaria a cometer faltas o que motivou por parte do arbitro da partida a marcação de livres directos e penaltis nada mais nada menos de 6 livres directos e 4 penaltis, mas mesmo a equipa do SC Tomar não conseguia ganhar vantagem na partida e os golos viriam apenas a aparecer em jogadas corridas.

Final: SC Tomar 6 - CI Sagres 3  (Faltas: 13 - 15)


Golos: SC Tomar: Hernâni Diniz (4), Pedro Vitorino e Ricardo Marrucho
CI Sagres: Renato Fonseca, Gonçalo Ouro e João Carido

Disciplina: Cartões Azuis para Ricardo Amorim, Gonçalo Ouro, Eduardo Ferreira e o Treinador António Gomes

Nota positiva para o guardião do CI Sagres com uma exibição de enorme valor, que adiou ao máximo com excelentes intervenções a vantagem da equipa Leonina e para a vontade e querer da equipa de Nuno Lopes que como foi dito anteriormente depende apenas de si própria para atingir a 2ª fase, quando faltam duas jornadas, o Fânzeres fora e o FC Porto em casa.


A actuação do arbitro da partido Ribatejano António Gameiro acabou por ser muito contestada pelo CI Sagres nomeadamente pela número excessivo de livres directos e penaltis com que penalizou a equipa.

Crónica: Luís Soares
Fotos: TM Fotografia

Sem comentários: