quinta-feira, 31 de Maio de 2012

DAR O NOSSO MÁXIMO E ESTAR A 110%

A Académica de Coimbra que na época passada subiu à II Divisão, encontra-se em posição bastante incomoda na tabela classificativa depois da derrota no passado sábado em Sines por 6-3 frente a um adversário directo na luta pela manutenção. Com duas jornadas para disputar, os Estudantes deslocam-se no próximo sábado a Santa Cita para defrontar uma equipa que já garantiu a manutenção, naquele que poderá ser o jogo da época. Fomos até Coimbra para falarmos com Bruno Cruz e tentar saber como está a ser encarado o jogo na Aldeia Ribatejana do Hóquei em Patins.
CA - Bom dia Bruno, obrigado pela tua disponibilidade. Como está a ser encarado o jogo em Santa Cita?
BC – Bom dia! Desde já, agradeço de novo a oportunidade para divulgar o hóquei em patins, neste caso em especial, a Académica de Coimbra. Relativamente à questão que colocou, é um jogo crítico, sabemos disso e estamos a trabalhar com a máxima seriedade durante a semana para podermos trazer os 3 pontos de Santa Cita.
CA - O facto do Santa Cita já ter garantido a permanência poderá jogar a vosso favor, pelo facto da equipa Ribatejana jogar descontraída, ou pelo contrário pode ser um factor contra?
BC – É uma pergunta complicada, pois por um lado se eles estivessem a lutar pela manutenção havia nervosismo de ambas as partes, por outro lado, o facto de o Santa Cita já ter garantido a permanência pode jogar com mais tranquilidade. Obviamente que vamos jogar sob pressão, mas estamos preparados para isso. Vamos entrar com muita concentração e tentar repetir o resultado da primeira mão contra o Santa Cita, onde conseguimos uma excelente vitória.
 

CA - A derrota em Sines veio complicar as contas Academistas, ou essas mesmas contas têm vindo a ser complicadas com pontos perdidos indevidamente e em jogos onde tiveram tudo para pontuar?
BC – Sem dúvida que veio complicar as contas. Sabíamos que se tivéssemos ganho, a manutenção seria praticamente certa. Fomos para Sines desfalcados, tivemos de nos socorrer dos nossos juniores para poder levar uma equipa completa. Aproveito para dar os parabéns aos juniores que estiveram presentes nesse jogo, que apesar da derrota, fizeram um excelente jogo e nunca viraram a cara à luta. É claro que, as várias lesões e pontos mal perdidos durante a época ditam o lugar que ocupamos actualmente.
CA - Olhando para o calendário o Parede FC que está logo acima da linha de água com um ponto de vantagem sobre a AAC, acaba por ter o calendário teoricamente mais difícil, S Alenquer B (fora) e BIR (casa), o HC Vasco da Gama joga fora em Nafarros e recebe o SC Tomar, a AAC depois de Santa Cita recebe o lanterna vermelha. Sem querer entrar em futurologia achas que o Parede é a equipa em pior situação, ou acabam por ser vocês pelo facto de estarem abaixo da linha de água?
BC – Não quero fazer previsões, mas confesso que já fiz essas contas várias vezes, contas essas que não valem de nada se não fizermos a nossa obrigação. Depende de nós próprios e vamos trabalhar bastante para sairmos vencedores dos dois jogos que faltam.
 

CA - Bruno mais uma vez obrigado pela tua disponibilidade, e fica o espaço aberto para alguma mensagem que queiras deixar aos adeptos da AAC e a todos os visitantes do CA. Um abraço e até sábado
BC – Que os nossos adeptos não deixem de acreditar na nossa equipa, e deixar o nosso compromisso de que vamos dar o nosso máximo e vamos estar a 110% nestes dois jogos que faltam para conseguirmos a tão desejada manutenção, que esta ACADÉMICA DE COIMBRA tanto merece. Aproveito para desejar as melhoras ao nosso capitão que se encontra a recuperar uma grave lesão no pé, e um abraço para todos os meus companheiros de equipa que tão bem me receberam neste meu primeiro ano na AAC … Força Briosa!!!

Fotos: Bgc Web

quarta-feira, 30 de Maio de 2012

EXAMES NACIONAIS 2012

Adiamento de Exames Nacionais – Concessão de medidas de apoio ao alto rendimento e selecções nacionais


Solicita-se aos praticantes desportivos a leitura do folheto informativo disponibilizado pelo IPDJ
Informação: FPP

PROGRAMA NACIONAL DE FORMAÇÃO DE TREINADORES

O Regime Transitório teve inicio a 1 de Junho de 2011 e será concluído a 31 de Maio de 2012.


Como é do conhecimento geral, encontra-se em fase de implementação o novo Programa Nacional de Formação de Treinadores (PNFT).

Tal processo, decorrente da publicação do Decreto-Lei 248-A de 2008 e do Despacho 5061 de 2010 tem vindo a ser objecto de informações do IDP às Federações, sobre os sucessivos passos da sua entrada em vigor.

O texto do citado Decreto-Lei que estabelece o novo enquadramento da formação de treinadores em Portugal, determina que, após a entrada em vigor desta legislação, os titulares dos certificados obtidos no passado, através da frequência com aprovação em cursos de treinadores realizados pelas Federações Desportivas, devem requerer a substituição do título que detêm pela correspondente Cédula de Treinador de Desporto (CTD).

terça-feira, 29 de Maio de 2012

COM CLÁUSULA, MAS SEM ESPINHAS

O HC "Os Tigres" começaram da melhor forma a 2ª fase do Nacional de Juniores ao vencerem no Alfredo Bento Calado o Sporting CP por 6-4, num jogo onde foi notada a ausência de João "Janeka" Silva que não pode dar o seu contributo devido a uma clausula estabelecida quando da sua transferência do Sporting CP para o clube de Almeirim.


Com Teofilo Casimiro (Ribatejo) a dirigir a partida Nelson Lourenço fez alinhar o seguinte cinco: João Coelho (gr), Pedro Vaz, João Beja, Diogo Dias e Carlos "Pica" Fonseca

A equipa dos Tigres ciente da importância de uma vitória neste jogo, entrou melhor e com 4' decorridos e na marcação de um livre directo Pedro Vaz abria o activo. A equipa azul e branca continuava a mandar no jogo e João Beja fazia o 2-0 com 9' decorridos. O Sporting reduziu para 1-2 de João "Joka" Alves, mas João Beja no espaço de um minuto bisou e colocou a sua equipa a vencer por 4-1. Antes do intervalo João Candeias reduzia para 4-2, mas Bruno Silva colocou de novo os Tigres com 3 golos de vantagem (5-2), resultado com que se atingiu o intervalo.

A 2ª parte revelou um Sporting mais perigoso, e a conseguir mais oportunidades de golo, que no entanto João Coelho foi negando com intervenções de grande qualidade, e seria de novo Pedro Vaz a marcar e a colocar o resultado em 6-2. A equipa de Pedro Nifo ainda viria a apontar mais dois golos novamente por Joka e João Candeias, mas revelaram-se insuficientes para os Leões saírem da Capital da Sopa da Pedra com pontos na algibeira.

Num jogo em que Gonçalo Alves viu dois cartões azuis durante o 1º tempo, condicionando a estratégia Leonina, João Beja que esteve "endiabrado" e muito bem "escudado" pelos colegas de equipa acabou por fazer a diferença e não fora os livres directos falhados pela equipa de Nelson Lourenço, o Sporting poderia ter regressado ao Tojar com um resultado muito mais pesado.

Final: HC "Os Tigres" 6  -  Sporting CP 4
 
Crónica: José João P.C.
Foto: Plurisports

QUANDO SANTA CITA RIMA COM NATAL

Apesar de estarmos em Maio e ter estado um dia particularmente quente, parecia Natal em Santa Cita, tais foram as ofertas feitas aos jogadores do BIR.


Num jogo dirigido por Paulo Cruz e António Machado, Luís Miguel Cunha fez alinhar:

5 Inicial: Renato Godinho (gr), Nuno Nobre, David Vieira, Rui Oliveira © e Tiago Pereira
Suplentes: Joel (gr), Rui Alves, Tiago Barreiro, João Filipe e João Paulo

Com a manutenção garantida o Santa Cita entrou em pista a tentar controlar o jogo e a não dar espaços à equipa visitante, uma equipa com excelentes executantes, muito rápidos e portadores de umas fortes seticadas que quase sempre levam perigo à baliza adversária. Seria Nuno Nobre na marcação de um livres directo a inaugurar o marcador, 1-0 com pouco mais de 5’ de jogo. Não tardou a reacção do BIR e o jovem Rafael Silva numa seticada de longe faz a bola embater com violência no poste da baliza de Renato. O BIR chegaria ao empate (1-1) numa jogada de contra ataque faltavam 16’19’’ para o intervalo. Passados cerca de 30’’ o Santa Cita na marcação de uma falta junto da sua área perde infantilmente a bola num desentendimento entre dois jogadores, situação essa aproveitada por Luís Silva para fazer o 1-2.


A equipa da casa, não acertava e voltou-se aos “bons velhos tempos” ou seja do individual a sobrepor-se ao colectivo e num desses lances Nuno Nobre perde a bola a meio rinque a numa seticada de fora da área o BIR aumenta para 1-3. O Santa Cita acusou este golo e começou a tentar ficar por cima da partida, e a equipa forasteira ia dando posse de bola ao adversário, mas sempre com o jogo controlado, e assim se chegaria aos 4’ finais onde no mesmo minuto Tiago Barreiro na finalização de um contra ataque e David Vieira na cara do guarda-redes falham a oportunidade de reduzir. Com 02’31’’ para o intervalo, nova distracção na marcação de um livres e dois jogadores a aparecerem na cara de Renato, com o guardião da casa a fazer uma excelente defesa. Seria de novo uma perda de bola, desta feita por Rui Alves junto a sua área a permitir que o BIR fizesse o 1-4, quando faltava 00’15’’ para a pausa.

Intervalo: ACR Santa Cita 1  -  BIR 4  (Faltas: 1-4)


A 2ª parte traz um Santa Cita diferente para melhor e a tentar apagar a má imagem deixada na 1ª parte, e a dominar o jogo em pressão alta chegaria ao 2-4 por intermédio de João Filipe a finalizar à boca da baliza, uma jogada de entendimento, estavam passados cerca de 4’ de jogo. A equipa de Luís Miguel Cunha continuava a jogar bem e o BIR tinha dificuldade em responder a esta fase da equipa da casa, e seria Tiago Pereira a reduzir para a margem mínima (3-4) com 14’26’’ para o final. A equipa da casa continuava à procura do empate, e as oportunidades iam surgindo, mas contra a corrente do jogo e numa seticada cruzada o BIR fazia o 3-5 a 10’23’’ do fim.

 
Foi o fim da resistência do Santa Cita que após este golo voltou aos moldes da 1ª parte, sem ideias, sem velocidade e a privilegiar a componente individual. Com 07’40’’ para jogar João Filipe vê cartão azul por derrube a um adversário e na marcação do livre directo o jogador do BIR não aproveita, no entanto a sua equipa fica a jogar em power-play. A equipa do Valado de Frades atingiria a 10ª falta com cerca de 5’ para jogar, mas Nuno Nobre não consegue bater o guardião adversário. Com pouco mais de 2’ para o fim seria a vez da equipa da casa atingir a 10ª falta e na marcação do respectivo livre directo Rafael fazia o 3-6. Ainda havia tempo para um derrube a David Vieira dentro da área adversária, que o mesmo jogador chamado à marcação do penalti não aproveita, e o jogo não chegaria ao final sem que o BIR marcasse novamente através de mais uma seticada de longe que bate em David Vieira e depois a bola ressalta para Rafael que serve o seu companheiro à boca da baliza para o 3-7 faltava 00’35’’ do fim.

Fim: ACR Santa Cita 3  -  BIR 7  (Faltas: 11-14)


Num jogo onde a equipa do BIR foi um justo vencedor, o Santa Cita passou grande parte da partida “ausente” sem dinâmica jogando mesmo o chamado “jogo de final de época”. Notada também a ausência de Zig, que permitiu a Luís Miguel Cunha lançar nos últimos minutos o jovem João Paulo, notado também foi a pouca utilização de Rui Alves, que durante o tempo que esteve em rinque revelou a nosso ver, estar longe do que nos habituou.

Sinal mais para o jovem Luís Silva, o nº 2 do BIR que foi o motor da equipa e que merece uma observação de outros emblemas quiçá para um salto qualificativo

Sinal menos para a forma como o Santa Cita ofereceu três golos aos adversários, com perdas de bola que são criticadas nos escalões de Infantis, quanto mais em Seniores.

A dupla de arbitragem apesar de algumas críticas de ambas as partes acabou por fazer um trabalho normal, sem interferência no resultado e bem técnica e disciplinarmente.

Fotos: TM Fotografia

segunda-feira, 28 de Maio de 2012

BENFICA VENCE TURQUEL COM HATTRICK DE DIOGO

Diogo Neves homenageou ontem o Pai (falecido recentemente num acidente de viação) com um hattrick frente ao HC Turquel e contribuiu para a conquista dos 3 pontos nesta 1ª jornada da 2ª fase do Nacional de Iniciados.


O HC Turquel campeão Regional de Iniciados a jogar em casa do vencedor da Série D que terminou essa fase só com vitórias, entrou calculista perante o favoritismo que era atribuído às jovens Águias. Ao intervalo a equipa Lisboeta vencia por 2-0.


A 2º parte com contornos diferentes apesar do SL Benfica ter chegado aos 3-0, revelou um Turquel mais afoito e a lutar de igual para igual com o adversário, e o parcial de 1-2 é prova disso, no entanto revelou-se insuficiente para a conquista dos 3 pontos. Os golos do SL Benfica como foi dito anteriormente foram apontados por Diogo Neves, ao passo que Pedro Batista marcou os golos da equipa do Turquel.


Se levarmos em consideração que as equipas da zona de Lisboa efectuam muitos mais jogos nos regionais e com índices de competitividade mais elevados, apesar da derrota os jovens Turquelenses provaram mais uma vez o bom trabalho que se é efectuado naquele clube e têm um palavra a dizer na disputa das vagas para a final-four que terá lugar na Aldeia Portuguesa do Hóquei em Patins. Na próxima jornada o HC Turquel recebe a AE Fisica D que perdeu em Paço de Arcos por 2-1.

Fotos: Lina Bastos

GONÇALO NUNES GERA "GUERRA DE COMUNICADOS"

A transferência de Gonçalo Nunes do CD Paço de Arcos para o Sporting está a gerar uma "guerra de comunicados" entre os dois clubes.


O ainda jogador do CD Paço de Arcos que na passada semana assinou pelo clube Leonina que irá representar na próxima época, com aqui foi noticiado, motivou que o clube da linha suspendesse o atleta de toda a actividade até à reunião da passada sexta-feira. O Sporting CP reagiu em comunicado a esta situação.
 
"A Secção de Hóquei em Patins do Sporting Clube de Portugal, vem desta forma clarificar algumas questões relativas à Apresentação Oficial do Atleta GONÇALO da Fonseca NUNES, no passado dia 22 de Maio de 2012 e aos recentes desenvolvimentos da mesma.

Em nenhum momento teve esta Secção do Sporting CP, intenção de pôr em causa o bom nome de uma Instituição de nível Nacional na modalidade como o Clube Desportivo de Paço de Arcos.

Apenas apresentámos um Atleta que irá representar o Sporting CP, o na próxima Época por vontade de ambos dando o relevo que o Atleta merece. O Clube Desportivo de Paço de Arcos, tem por parte da Direcção desta Secção, o maior apreço e respeito, até pelos ideais que defendem e que são comuns a ambos os Clubes.

Ao Atleta não deixámos de desejar pessoalmente os maiores êxitos na presente Época, em representação do CDPA e se possível fosse, conquistando o Ceptro Nacional no Escalão de Iniciados, para que os pergaminhos do CDPA fossem protegidos e dignificados, desafio esse amplamente desejado pelo Gonçalo.

O seu desejo é para nós motivo de Orgulho no Atleta e desejamos que a actual suspensão por parte do CDPA seja reconsiderada para que o Atleta e o próprio Clube possam atingir tão nobre objectivo.

No entanto temos de referir que ainda não há muito tempo, na Época 2010/2011, teve o CDPA um Atleta do Sporting CP, Capitão da Equipa de Iniciados a treinar com equipamento do SCP nas suas instalações ainda com a época a decorrer e até ao final da mesma, sem que, fosse esta Secção contactada pela Direcção do CDPA, em funções à data dos acontecimentos e
nunca, esta Direcção do Hóquei em Patins do SCP pôs em causa o Clube Desportivo de Paço de Arcos enquanto Instituição. Alertámos para o que estava a acontecer mas nunca viemos a público pôr em causa o CDPA ou aplicámos qualquer sanção ao Atleta.

Julgamos com este comunicado público poder clarificar que em nenhum momento colocámos em causa o bom nome e o respeito que nos merece a Instituição Clube Desportivo de Paço de Arcos.

Gilberto Dias Borges

Agora é a vez do CD Paço de Arcos divulgar  um comunicado sobre o assunto
 
A DEFESA DOS ATLETAS E DA FORMAÇÃO

A recente contratação do atleta Gonçalo Nunes pelo Sporting revelou uma vez mais a necessidade urgente de regulamentação legal da formação na modalidade de hóquei em patins. Os termos em que a mesma ocorreu, em claro desrespeito pelo C.D.P.A., obrigou a que esta instituição tomasse medidas imediatas com sacrifício do atleta, do seu clube até à data, e dos colegas de equipa.
A suspensão do atleta até final da época tem como premissa a transparência no relacionamento entre clubes, pais e atletas, e um exemplo futuro, o qual o C.D.P.A. defenderá.
Tem-se assistido à saída massiva de jovens atletas, cada vez mais novos, em escalões de formação, para os chamados clubes “grandes”, pondo em causa o futuro da modalidade. Muitas vezes perder-se-á a evolução contínua do jogador nas suas diversas vertentes, nomeadamente técnico-desportiva e humana.
A apetência é conhecida. Alguns clubes reforçam-se usando o trabalho e investimento do C.D.P.A. na formação, e de muitos outros clubes, beneficiando sem custos, e com atropelo das mais elementares regras, dos melhores e mais promissores atletas.
À APL e demais Associações cabe também o importante papel de pugnar e defender esta modalidade, nomeadamente nos seus escalões jovens, defendendo os futuros campeões, com comissões técnicas adequadas à defesa dos interesses da modalidade e em respeito por todos os seus agentes.
A este propósito, não deixam de ser reveladores os comentários publicados em sites de referência da modalidade, que se transcrevem:

“Jorge Augusto [Não autenticado | IP: 85.243.xxx.xxx]: Transferências sempre foi assim...a maior falta de respeito é o Sporting apresentar um jogador vestido com a sua camisola, quando este ainda está em competição pelo outro Clube. O CDPA deve ter sabido da notícia a partir do site do Sporting - é a forma de trabalhar do Sporting. Outra caso estranho, e que acontece ano após ano, é o treinador do Sporting usar a selecção de Lisboa para recrutamento, a ética a funcionar a 100%. “j.rodrigues

“Pedro Miguel Caldas: Para REFLECTIR esta última frase de Jorge Augusto, que eu faço questão de sublinhar: Outro caso estranho, e que acontece ano após ano, é o treinador do Sporting usar a selecção de Lisboa para recrutamento, a ética a funcionar a 100% ''

“Ana Batista: Usar um miudo de 13 anos para fazer uma " vingançazinha" ao Paço de Arcos, É FEIO, sr Engenheiro, MUITO FEIO !!!”

“Jorge Augusto [Não autenticado | IP: 85.240.xxx.xxx]: Depois de casa roubada, trancas a porta é a leitura que faço do último comunicado do Sporting. Um pedido de desculpas talvez ficasse bem, mas talvez a Ana Baptista tenha razão !!!! E já agora, para quando o anuncio da outra contratação feita por Luis Moreira na Selecção ? também vai ter direito a fotografia ?”

“JJoca [Não autenticado | IP: 82.154.xxx.xxx]: Isto é uma vergonha, O Sporting usa o facto de ter o seu treinador como responsável da selecção de Lisboa para aliciar o jovens jogadores, e a tudo isto a APL dá cobertura, o Sr. Luís Moreira deveria ter vergonha. O Gonçalo é apenas uma vitima, o comunicado do Sporting é um absurdo, em vez de se retratarem, pretendem arranjar justificações para a porcaria que fizeram, muito mal está o hóquei do Sporting..é um pena”

O C.D.P.A. entende que tais constantes situações devem ser evitadas, e que Associações, Clubes, Pais e Atletas devem promover um correto comportamento transmitindo princípios e valores que por todos devem ser considerados como inabaláveis.

Esta é a formação do C.D.P.A.!

O Director dos Desportos de Pista e Campo do CDPA
João Rodrigues

CHANCELA DA MANUTENÇÃO ESTAVA EM T. VEDRAS

Cientes da importância do jogo e que podiam confirmar em Torres Vedras a permanência na I Divisão, a equipa de Nelson Lourenço entrou concentrada e confiante no seu real valor.


Com Joaquim Carpelho (Setúbal) e Luís Inácio (Ribatejo) auxiliados por Luís Barbosa (Setúbal) as equipas apresentaram os seguintes cinco iniciais:

AE Física D - Ricardo Miranda (gr), Alan Fernandes, Samuel Lima, Carlos Godinho e Ricardo Pereira
Treinador: Vítor Fortunato

HC "Os Tigres" - André Azevedo (gr), Luís Querido, Diogo Lã, Carlitos e Carlos Trindade
Treinador: Nelson Lourenço

Foi uma 1º parte equilibrada, com as equipas a encaixarem-se uma na outra e com os guarda-redes a sobreporem-se aos atacantes, e só à passagem do minuto 16, German Dates conseguiria abrir o marcador. Até ao intervalo oportunidade flagrante desperdiçada por Alan Fernandes na marcação de um livre directo após azul a Luís Querido.

Intervalo: AE Física D 1  -  HC "Os Tigres" 0


A 2ª parte começa com os Tigres à procura da reviravolta e em 9 minutos passam a vencer por 1-2, com golos de Pedro Vaz (que não tinha sido utilizado nos últimos jogos por lesão) e Diogo Lã. A equipa da casa ainda no decorrer do minuto 9 viria a empatar a partida (2-2). Seria depois o "blue time" com Vítor Fortunato a ver o cartão azul e João Beja a imitá-lo. German Dates que havia marcado o 1º golo do jogo desperdiça a oportunidade de colocar de novo a sua equipa na frente ao falhar um livre directo. Seria Ricardo Pereira a fazer o 3-2 na marcação de um penalti decorria o minuto 13 e nesse mesmo minuto German Dates colocava a Física a vencer por 4-2.

A equipa de Almeirim não atirou a toalha ao chão e no minuto seguinte Luís Querido fazia o 4-3. O jogo entrou na fase decisiva com a equipa Ribatejana a precisar de um golo para pontuar mas ainda com cerca de 10 minutos para jogar, não podia entrar em loucuras, mas sim continuar a jogar com cabeça, atacar pela certa e defender bem, e como o jogo não estava muito rápido todas as jogadas podiam ser bem pensadas, e quando faltavam 02'50'' para terminar Carlitos fez o golo do empate (4-4). Até ao apito final foi segurar o resultado que podia ter sido desfeito quase no final, quando Ricardo Pereira na marca de grande penalidade não aproveitou soberana oportunidade.

Final: AE Física D 4  -  HC "Os Tigres" 4


Jogo muito disputado, jogado a velocidade moderada e com um resultado que se aceita pelo que as equipas produziram durante os 50 minutos. A Física pode queixar-se da falta de aproveitamento dos lances de bola parada. Com este empate a equipa de Almeirim confirmou a permanência na I Divisão.

A dupla de arbitragem teve alguns erros, quase todos em prejuízo da equipa Ribatejana, ficando na retina o golo anulado aos Tigres, e a repetição do penalti que deu o 3-2, pois segundo as regras se o jogador marca sem ser feita a sinalética pelo arbitro é falta contra a sua equipa e não a repetição do castigo máximo.

Crónica: José João P.C.
Fotos de arquivo: João Beja e Almeirinense Tv

domingo, 27 de Maio de 2012

ALCOBACENSE ADIANTA-SE NA CORRIDA AO TÍTULO

No jogo referente à 3ª jornada de apuramento de campeão nacional a equipa da Casa do Povo de Sobreira recebeu o Alcobacense, vencedor da zona centro da 3ª divisão nacional.


Ambas as equipas partiam para esta jornada com 3 pontos e quem obtivesse a vitória daria um passo importante na luta pelo título de campeão nacional da 3ª divisão de hóquei em patins. O jogo foi bem disputado onde o resultado poderia ter pendido para qualquer uma das equipas. Ao intervalo o resultado espelhava esse mesmo equilíbrio (1-1), com ligeiro domínio da equipa da casa.

A segunda parte apresentou um alcobacense na expetativa e explorando o contra-ataque. Com transições rápidas e explorando o facto da equipa da CPSobreira estar balançada no ataque, o Alcobacense chegou a vantagem e com vários contra-ataques chegou aos 1-7. Nos últimos 10 minutos a equipa da CPSobreira serenou e conseguiu reduzir até ao 4-7. Com este resultado o Alcobacense lidera o campeonato com 6 pontos, seguido pela equipa da CPSobreira com 3 pontos e em último o HCP Grândola com 0 pontos.

“O campeonato ainda não está decidido, se tivéssemos ganho estaríamos mais confortáveis. Assim, o campeonato fica relançado, inclusive o Grândola pode ser campeão, a próxima jornada e importante para as nossas aspirações, temos de pontuar para nos mantermos na corrida pelo título de campeão nacional”, refere Diogo Pereira, treinador da CPSobreira.

Na próxima jornada a equipa da CPSobreira desloca-se a Grândola já no próximo sábado, 2 de Junho.

Fonte: CP Sobreira
Foto de arquivo: Fernando José Fotografia
Titulo: Cartão Azul

SC TOMAR "IRRECONHECÍVEL" SOFRE GOLEADA

O SC Tomar sofreu ontem no Tojal a 3ª derrota na época, a 2ª no Nacional de Juvenis e novamente frente ao Sporting CP, mas desta feita por 8-2.


A equipa de Pedro Nobre a jogar perante o bi-campeão Nacional foi incapaz de contrariar o maior poderio do adversário e a defender mal permitiu que a equipa de Tikinho dominasse a partida e conseguisse um resultado que tem tanto de avultado como de justo, ao intervalo o Sporting já vencia por 5-2.


Pelo SC Tomar David Costa e Tiago Godinho foram os marcadores ao passo que pelo lado do Sporting CP Anderson Luís (3), Diogo Tocha (3) e Hernâni Bastos (2) assinaram os golos, num jogo dirigido pelo Lisboeta Fernando Cabaço.

Nesta 2ª jornada destaque para a vitória do Stuart Carvalhais (3-1) frente ao SL Benfica, empurrando a equipa de Jorge Godinho para a ultima posição. O Sporting CP lidera com 4 pontos seguido pelo SC Tomar e ES Stuart Carvalhais ambos com 3 pontos.

Fotos: Lina Bastos

sábado, 26 de Maio de 2012

DOIS JOGOS, DUAS DERROTAS

Foi um sábado negro para as equipas Ribatejanas, com SC Tomar e ACR Santa Cita ambas na II Divisão Sul a saírem derrotados nos confrontos desta tarde.


O SC Tomar deslocou-se até Sesimbra para defrontar a equipa local e não foi capaz de levar de vencida os pupilos de Artur Pereira (que já representou o emblema Leonino). A equipa da casa que chegou a estar a vencer por 3-0 acabaria por assistir à reacção da equipa de Nuno Lopes mas no final os 5-3 com que terminou a contenta permitiu à equipa de Sesimbra conquistar os três pontos em disputa. Com este resultado a equipa Nabantina manteve a 4ª posição com 49 pontos.


Em Santa Cita a equipa de Luís Miguel Cunha recebeu o BIR e começou bem com Nuno Nobre a inaugurar o marcador na marcação de um livre directo. A partir daí, parece que o Natal tinha chegado à Aldeia Ribatejana do Hóquei em Patins, tais foram as ofertas à equipa de viajou desde Valado de Frades, que as recebeu de braços abertos e setique certeiro e ao intervalo vencia por 1-4. Na 2ª parte a equipa da casa entrou a jogar bem e reduziu para 3-4, mas não viria a dar seguimento a esse bom momento e permitiu que o BIR chegasse ao 3-7 final. Apesar da derrota de hoje a equipa de Santa Cita mantêm a 11ª posição com 24 pontos tendo já garantido a permanência na 2ª Divisão.

Fotos de arquivo: TM Fotografia e Barros Simões

FOTOS ANTIGAS OU CURIOSAS

Em Outubro de 1958, houve alterações às regras do hóquei em patins, e as mesmas tinham a ver com a marcação de penaltis, com os guarda-redes, jogar a bola com o pé e jogo duro, desleal etc. Aqui fica o recorte de um jornal da época.


Foto: Amaral de Oliveira

sexta-feira, 25 de Maio de 2012

ARTIGO DE OPINIÃO...!!!

Às quintas-feiras quinzenalmente o Cartão Azul, publica no site "Sport Tejo" um artigo de opinião. A seguir publicamos o artigo de 24-05-2012


“Há pequenos gestos, que afinal são enormes”

Hoje a crónica não tem muito de hóquei, mas sim muito de solidariedade e dedicação a uma causa, causa essa que se chama hóquei em patins. Num dia triste para todos e em particular para aqueles que tiveram o prazer, o orgulho e a felicidade de poder ter partilhado a curta vida de Fábio Castelo, que hoje vai a sepultar em Almeirim, depois de numa luta desigual ter perdido a batalha contra um tumor, tenho de mencionar a claque “Ultras Almeirim”.

Quando se faz parte de uma claque têm-se um “rótulo na testa” de arruaceiro, desordeiro, extremista, entre outros predicados nada abonatórios para os elementos desses mesmos grupos, e em parte até temos que dar a mão à palmatória e reconhecer que por vezes isso é a pura das realidades e exemplos não faltam, mas em Almeirim fruto do hóquei em patins nasceu um grupo de adeptos que são a excepção que confirma a regra. Um grupo de jovens e menos jovens que acompanha o seu clube, o HC “Os Tigres” por esse país fora, de norte a sul, incentivando os seus “guerreiros” nas batalhas em busca da vitória e que tem feito amizades por onde passam, que diga o Miguel Bastos do “Blog Hóquei Minhoto” por exemplo, entre muitos outros são aos olhos de muitos para não dizer de todos o sexto jogador da equipa de Almeirim, seja a equipa Sénior, seja os Juniores, seja os Bambis, e conversas que vou tendo com pessoas do “Planeta Hóquei” sempre que se fala dos Tigres, fala-se inevitavelmente dos Ultras Almeirim, e sempre pelas melhores razões.


Mas para além do apoio que dão às suas equipas há pequenos gestos que são “enormes” e reveladores da excelência das pessoas que compõem esse grupo e nos piores momentos, esses pequenos gestos são um alento, um conforto para quem os recebe e dão a força para continuar a luta, quantas vezes inglória, como infelizmente foi o caso da luta do Fábio contra a doença que o fez partir prematuramente, e os Ultras tiveram esse pequeno gesto que para o Fábio foi enorme e que o fez crer que podia vencer o desafio difícil que tinha pela frente. A simples oferta de um cachecol da claque pelas mãos do vice-presidente Ricardo Madureira no decorrer do jogo de solidariedade entre o HC “Os Tigres” e o FC Porto são exemplo desse gesto e acredito que esteja o Fábio onde estiver, o cachecol será sempre uma recordação das coisas boas que teve na sua curta estadia entre os comuns mortais.

Mais haveria para escrever e descrever da grandeza deste grupo que tão bem tem elevado o nome dos Tigres, da Cidade de Almeirim e das claques por este País fora, mas hoje, como disse anteriormente é um dia triste e apenas posso enquanto amante do Hóquei em Patins dizer que são estes gestos que tornam a nossa modalidade diferente, e esperar que o Fábio esteja em paz e que a sua Família encontre forças para dar a volta a esta situação e fazendo minhas as palavras do Sr. João Coelho «O céu tem mais um anjo, descansa em paz.».

Fotos: Sport Tejo e Ultras Almeirim

ANDRÉ GASPAR REFORÇA PAÇO DE ARCOS

O ainda jogador do Benfica, vai na próxima temporada jogar com as cores do Paço Arcos


Conforme já tínhamos noticiado, André Gaspar, que actualmente alinha na equipa de Juvenis do Benfica, não vai fazer parte dos planos do clube encarnado para a próxima temporada. Mal se teve conhecimento da noticia, foram vários os clubes a mostrar interesse na contratação do jovem atleta.


Ao que Plurisports conseguiu apurar, André, chegou acordo com a equipa do Paço de Arcos João Rodrigues, director geral do clube, referiu à Plurisports, que está satisfeito com o compromisso que celebraram “pois trata-se de um grande jogador e com um futuro muito promissor. É sem duvida um grande reforço para uma equipa que tem historia no hóquei em patins. É um jogador que qualquer equipa gostaria de ter nas suas fileiras e em boa hora o fizemos e pensamos, pois o André vai ficar connosco por muitos anos” referiu. João Rodrigues, vai mais longe ao dizer que “o Paço Arcos, aposta na formação ao contrário do que acontece nos outros clubes chamados grandes (Benfica e Sporting), que andam aliciar os jogares para mudarem de clube” rematou.

Fonte: Plurisports
Fotos: José Carlos Gaspar
Titulo: Cartão Azul

quinta-feira, 24 de Maio de 2012

EMPATE EM TORRES VEDRAS SIGNIFICA MANUTENÇÃO

A equipa de Nelson Lourenço empatou 4-4 em Torres Vedras e a três jornadas do fim do campeonato garante a permanência na I Divisão.


A jogar perante o 5º classificado e cientes que um ponto bastava para atingir os objectivos os Tigres que ao intervalo perdiam por 1-0 não deitaram a toalha ao chão e os golos de Pedro Vaz (1-1), Diogo Lã (1-2), Luís Querido (4-3) e Carlitos (4-4) a 02' 50'' do final garantiram a permanência, numa época em que para além dos adversários de patins esta equipa dos Tigres teve de vencer muitos outros sem patins, alguns com apitos, outros nas nomeações desses mesmos e ainda outros que através da comunicação social tentaram travar o objectivo "MANUTENÇÃO".

Em breve mais desenvolvimentos

Foto de arquivo: Plurisports

SESIMBRA E TURQUEL RECEBEM FINAL-FOUR

A FPP já escolheu os locais onde se irão realizar as Final-Four dos Nacionais dos escalões de formação.


A Vila de Sesimbra irá receber nos dias 07 e 08 de Julho os jogos decisivos nos escalões de Infantis e Juvenis.


A Aldeia Portuguesa do Hóquei em Patins (Turquel) recebe no fim-de-semana seguinte (14 e 15 de Julho) os jogos que irão determinar os campeões Nacionais de Iniciados e Juniores

Informação: FPP
Fotos: GDS Sesimbra e HC Turquel

OS TREINADORES E O DESEMPREGO...!!!

O que fazem os treinadores de hóquei em patins no desemprego?


Faz parte da vida de quase todos os treinadores. Após um período de actividade segue-se uma paragem, mais ou menos prolongada. Cristiano, Paulo Freitas, José Fernandes, estes e muitos outros treinadores, muitos deles jovens e portugueses estão no desemprego. A profissão de treinador é uma espécie de dança das cadeiras: para poucos lugares há muitos treinadores. Acham que existem treinadores a mais no nosso hóquei em patins? Será porque demasiados ex-jogadores optam por uma carreira de treinador e atuais jogadores acumulam a função de jogador/treinador? E que treinadores no desemprego fazem mais falta ao nosso hóquei em patins? Quais os critérios na selecção de um treinador? Preço? Qualidade? Qualificação? Será que a qualificação do técnico é sinónimo de qualidade? São estas e outras questões pertinentes que gostava de ver respondidas por dirigentes e responsáveis pela contratação dos técnicos que dirigem as nossas equipas de hóquei em patins.


Fomos saber qual a opinião de um jovem treinador desempregado, Rui Sousa, que após muitos anos como atleta de hóquei em patins abraçou a carreira de treinador de camadas jovens (Olá Mouriz ACDR) quando ainda era atleta e posteriormente a carreira de treinador/jogador da equipa sénior (União Sport Club de Paredes). Após esta experiência teve alguns anos de interregno e regressou em 2007 para orientar as camadas jovens da Associação Desportiva de Penafiel onde orientou os escalões de iniciados, juvenis e seniores (distrital). No ano de 2010 frequentou o curso de treinador de nível II ao qual teve aproveitamento e dai o levou à orientação da equipa sénior da APDG – Penafiel que militava na 2ª Divisão Nacional, bem como o escalão de benjamins. Experiência que acabou por não correr da melhor forma e que durou apenas meio ano, ou seja até 31 de Dezembro de 2010. Desde ai como o próprio designa encontra-se em “retiro sabático” de hóquei em patins. Confessa que no inicio de época teve a proposta do Olá Mouriz, com quem assumiu um compromisso para orientar a equipa de Juvenis e de Seniores, mas devido ao mesmo não ter entrado no Campeonato Nacional da 3ª Divisão e profissionalmente não ser muito compatível a missão de orientar estes dois escalões ficou gorada logo no inicio da temporada. Experiência que se julgava que ia ser promissora com um regresso de “um filho” à casa treze anos depois onde teve o êxito na orientação dos Infantis A que se sagrou vice-campeão do Torneio de Encerramento da Associação de Patinagem do Porto e equipa de onde saíram atletas como José Miguel Sousa (AA Espinho); Daniel Meireles (Sporting CP), entre outros que militam em equipa de 2ª e 3ª Divisão Nacional.


Segundo opinião de Rui Sousa “existem realmente treinadores a mais no nosso hóquei em patins nacional. Cada vez mais é política dos clubes utilizar os jogadores dos escalões sénior para orientar as camadas jovens, pois é uma forma de rentabilizar os custos que tem com os mesmos, para além de começar a ser habitual por retenção de custos utilizarem jogadores/treinadores, muitas das vezes sem a qualificação exigida apoiando-se em alguém no seio do clube que tenha a carteira exigida para poder assumir o cargo no papel. Penso que o preço é o factor primordial e o nome, pois roda sempre em volta dos mesmos, no caso de 1ª Divisão, na 2ª e 3ª é utilizada essa estratégia, o que põe no desemprego muitos jovens qualificados com valor e qualidade para desempenharem os cargos. Tenho a noção que nem todos os treinadores com carteira têm qualidade suficiente para desempenhar o cargo, pois há muitos que nunca tiveram ligação ao hóquei como jogadores, ou noutra posição qualquer. Nem sempre o ter sido um bom ou grande jogador é sinónimo de ser um bom treinador. Embora no hóquei não haja empresários as coisas ainda funcionam muito pelos conhecimentos, infelizmente. Da minha parte espero um dia regressar, não tenho pressa, quero regressar com a intenção de fazer parte de um projeto com ambição, organizado e com futuro. Para já vou matando o bichinho vendo jogos desde as camadas jovens a todas as divisões seniores e vou fazendo a minha compilação da actualidade. Costumo dizer que o hóquei é a minha vida, o meu grande amor, por isso quero viver sempre com felicidade.”

Artigo: Rui Surpresa
Fotos: Rui Sousa e Pedro Alves - Mundo do Hóquei
Titulo: Cartão Azul

XI TORNEIO CIDADE DE OLIVEIRA DO HOSPITAL

Mais de 400 atletas vão estar envolvidos, nos dias 25 e 26 de maio, no XI Torneio Cidade Oliveira do Hospital que vai decorrer no pavilhão municipal.

No total são 13 as equipas de Hóquei em Patins que no próximo fim de semana vão voltar a fazer de Oliveira do Hospital a capital da modalidade.

O evento desportivo que, desde há 11 anos incute, por esta altura do ano, uma dinâmica própria à cidade e ao concelho de Oliveira do Hospital, volta este ano a cumprir calendário, estimando-se que o torneio fique marcado pelas emoções que vão ser uma constante no pavilhão municipal Oliveirense, onde são aguardadas verdadeiras multidões.

É que para além dos mais de 400 atletas envolvidos nos 22 jogos que compõem o calendário do próximo fim de semana, o torneio prima também pela presença em massa dos familiares e outros acompanhantes dos praticantes da modalidade.

OK Viseu, A. Académica de Coimbra, C.P. Beja, C. Infante de sagres, CENAP, A.D. Oeiras, S. Alenquer e Benfica, G.D. Sesimbra, G.D. Vialonga, H.C. Mealhada, H.A. Cambra, Seixal F.C. são as 12 equipas que acederam positivamente ao repto lançado pela secção de Hóquei em Patins do Futebol Clube de Oliveira do Hospital e que nos vários escalões – Bambis, Benjamins, Escolares, Infantis, Juvenis, Femininos e Seniores Masculinos – vão marcar presença na prova que vai decorrer ao longo de todo o fim de semana.

Na contagem decrescente para aquele que é considerado como o grande evento da modalidade, o responsável pela secção de Hóquei em Patins do FCOH está confiante num bom evento desportivo, que espera seja de convívio profícuo entre todas as equipas e atletas.

Para além da importância que o evento tem em termos desportivos, Rui Monteiro não deixa de sublinhar toda a dinâmica que o mesmo proporciona à cidade e ao concelho, onde por estes dias não chega a ser fácil a um turista conseguir encontrar um quarto disponível.

Responsável pela organização da 11ª edição do torneio Cidade de Oliveira do Hospital, Rui Monteiro sublinha a importância que o evento tem para a secção de Hóquei em Patins, acabando por servir de espelho do que melhor se faz em Oliveira do Hospital no que à modalidade diz respeito.

Um evento que, segundo Rui Monteiro, também reflecte o bom relacionamento que existe entre as equipas de Hóquei em Patins de todo o país e que, ao mesmo tempo, tem permitido às equipas do FCOH participar, ao longo de ano, em torneios organizados por outras secções de Hóquei em Patins. Hóquei em Patins é uma modalidade que continua a atrair muitos jovens Oliveirenses, quer masculinos, quer femininos e que tem permitido levar longe o nome de Oliveira do Hospital por esse país fora..

“Contamos com cerca de 100 atletas”, referiu Rui Monteiro a este diário digital, justificando a atractividade da modalidade com o facto de, ao longo dos anos, a secção de Hóquei em Patins do FCOH “se manter muito activa”.

Neste trabalho de constante captação e formação de novos atletas, Monteiro destaca o contributo permanente do município Oliveirense que é também determinante para a realização do evento agendado para o próximo fim de semana.

“A Câmara é a nossa melhor parceira”, admite o responsável, notando que sem este apoio a secção dificilmente conseguiria manter esta competição. O mesmo acontece ao nível do Pavilhão Municipal de Oliveira do Hospital usado pelos atletas para treinos e competição e que, no entender de Monteiro, não fica a baixo dos melhores pavilhões nacionais, podendo ser no entanto objecto de algumas melhorias em matéria de balneários.

In Correio da Beira_Serra

quarta-feira, 23 de Maio de 2012

GONÇALO NUNES VAI EQUIPAR DE LEÃO AO PEITO

A Secção de Hóquei em Patins do Sporting Clube de Portugal, informa que GONÇALO da Fonseca NUNES, é Atleta do Sporting Clube de Portugal para a Época 2012/2013.O atleta assinou no passado dia 20 de Maio pelo SCP, vindo do CDPA, emblema que representou desde 2000.

 
Aos 13 anos, é-lhe reconhecido valor para estar entre os melhores do País. No último Inter-Regiões, prova nacional de referência para os escalões de formação, ajudou a Selecção de Lisboa a conquistar o Troféu, sendo um dos atletas mais jovens e um dos eleitos para o 5 ideal, deste certame. Ao longo da sua ainda curta carreira na modalidade já conquistou alguns Títulos Distritais e sagrou-se Campeão Nacional de Infantis na Época 2009/2012, em Alcobaça.


Gonçalo Nunes embora ainda tenha idade de Iniciado na próxima Época, fará parte do Plantel Juvenil do Sporting CP e estará às ordens do Mister Luis Moreira “Tikinho”, podendo ainda dar o seu contributo ao escalão inferior.

Informação/Fotos: Gilberto Dias Borges

NASCEU MAIS UM ESPAÇO DE HÓQUEI EM PATINS

Este espaço servirá para promover uma modalidade bastante querida no povo português.


Aqui encontram-se todas as novidades sobre o Hóquei, desde jogos, a entrevistas, passando por rumores de transferência, entre outros... Esperamos que seja um enorme sucesso e um espaço útil aos adeptos desta modalidade. Pode conhecer este novo espaço clicando aqui.

NOVAS TAXAS DE ORGANIZAÇÃO E TRANSFERÊNCIAS



SETICADAS DA SEMANA

Rubrica na Rádio Cidade de Tomar, onde são revistos os jogos da Taça de Portugal e os Nacionais dos escalões de formação.


Para ouvir a rubrica de ontem faça o download aqui

terça-feira, 22 de Maio de 2012

DESCANSA EM PAZ FÁBIO, FOSTE UM LUTADOR...!!!

O jovem Fábio Castelo apesar de ser um lutador não conseguiu levar de vencida este desafio e faleceu esta terça-feira.


O menino de Almeirim que sofria de um tumor cerebral não resistiu à doença como é confirmado em mensagem colocada pelo pai, Cândido Castelo, no facebook, com a mensagem em fundo negro: “Fábio descansa em paz. Foste um lutador, serás sempre recordado por todos nós.”

Nas últimas 24 horas os pais já tinham deixado o desabafo de que as coisas continuavam a correr no sentido que menos se desejava, levando-os ao desespero. “É sempre difícil resignarmo-nos perante tal situação e aceitar os factos que não queremos ver, preferimos alimentar esperanças e tentamos alternativas que apareçam lógicas ou não lógicas na tentativa de mudar o curso dos acontecimentos. Pudera que conseguíssemos”, comentava o pai.


O funeral de Fábio Castelo realiza-se quinta-feira, dia 24, no cemitério de Almeirim. A cerimónia religiosa está marcada para as 10h30. O corpo do menino vai estar em câmara ardente na casa mortuária esta quarta-feira.

À Família enlutada o Cartão Azul apresenta as mais sentidas condolências.

Fonte/Fotos: Jornal "O Mirante"

SETIQUE DE LÃ INDICOU O CAMINHO DOS QUARTOS

Os Tigres de Almeirim venceram o CH Carvalhos no passado sábado em jogo dos 1/8 de final da Taça de Portugal, mas foi preciso sofrer até ao ultimo segundo.


Rui Torres, Florindo Cardoso auxiliados por Cláudia Rego todos do Minho foram os árbitros da partida e as equipas alinharam da seguinte forma:

CH Carvalhos (II Divisão Norte): Nuno Magalhães (gr), André Matos, Pedro Silva, Fábio Cunha, Nuno Pinto, Márcio Fonseca, Rui Vidal, João Santos, Luís Alves e Mário Mata (gr)
Treinador: Rui Batista

HC "Os Tigres (I Divisão): André Azevedo (gr), Carlos "Carlitos" Martins, Diogo Lã, Luís Querido, Carlos Trindade, Carlos "Pica" Fonseca, Pedro Vaz, Diogo Dias, João Beja e João Coelho (gr)
Treinador: Nelson Lourenço


A equipa Ribatejana partia para esta eliminatória como favorita, mas pela frente tinha o 3º classificado da zona norte da II divisão e que na ultima eliminatória tinha eliminado o primodivisionário Riba d'Ave HC. Entrou melhor a equipa de Nelson Lourenço e Diogo Lã inaugurou o marcador para depois Carlitos fazer o 0-2. A equipa da casa não baixou os braços e antes do intervalo Márcio Fonseca através da marcação de um livre directo reduzia para 1-2 e antes do intervalo o mesmo Márcio Fonseca estabelecia o empate. Ainda nesta 1ª parte destaque para o cartão azul mostrado a Nelson Lourenço, alegadamente por palavras dirigidas ao arbitro.

Intervalo: CH Carvalhos 2  -  HC "Os Tigres" 2


A 2ª parte começa praticamente com Luís Querido a fazer o 2-3 na conversão de uma grande penalidade. Seria Diogo Lã a fazer o 2-4 numa jogada individual que culminou numa forte seticada de fora da área sem hipoteses de defesa para Mário Mata. Chegou então a vez de Rui Vidal mostrar a sua qualidade e reduzir para 3-4. A equipa azul e branca via-se agora apenas com um glo de vantagem e de novo Diogo Lã "facturava" e colocava de novo dois golos de diferença 3-5. Mas do lado dos Carvalhos os seus jogadores acreditavam que eram capaz de levar de vencida mais uma equipa da I Divisão e Rui Vidal bisou num curto espaço de tempo e repôs a igualdade 5-5. De salientar que o 5º golo da equipa dos Carvalhos é aquilo que na gíria se chama um "chouriço" pois André Azevedo defende a bola, a mesma depois ressalta no setique do atacante e do defesa e sobe caindo nas costas do guardião dos Tigres e anichando-se no fundo das redes.


Com o jogo empatado e o Pavilhão ao rubro seria de novo Diogo Lã a desfazer a igualdade ao apontar dois golos, 5-7 e já não com muito tempo para jogar, dava a sensação que a eliminatória estava resolvida. Pura ilusão, pois o Carvalhos ainda "estavam vivos" e "bem vivos" e a discutir a eliminatória e depois de um time-out pedido pelo seu técnico, e na marcação de um livre reduziam para 6-7. Entrava-se no ultimo minuto e o Carvalhos acreditava e numa seticada à entrada da area de André Azevedo a bola esbarra com estrondo no posto, os Tigres tentavam a posse de bola e o cronometro ia correndo para o final e a 10'' do apito numa seticada da area do Carvalhos a bola è cortada com o patim por um jogador de Almeirim na sua area (assim visualizou Rui Torres) e é assinalada grande penalidade que André Azevedo defense, mas que o arbitro manda repetir pelo facto de Luís Querido ter saído da área contrária antes do tempo (foi esta a justificação), na repetição André Azevedo defende novamente a bola sobra para o adversário que a faz passar por cima do guardião, mas a mesma embate na barra. Chegava assim ao final a partida c om a vitória do HC "Os Tigres" por 6-7, e agora deslocam-se a Valados dos Frades para defrontar o BIR.

Final: CH Carvalhos 6  -  HC "Os Tigres" 7


Num jogo onde  equipa de Almeirim foi a melhor equipa em pista e a vitória apesar de sofrida e suada e totalmente justa, a equipa do Carvalhos provou também que é uma excelente equipa bem orientada e com bons executantes. Nos Tigres nota de destaque para o querer e a garra de todos os jogadores muito bem liderados em rinque por Carlitos e para Diogo Lã pelos 5 golos apontados e para André Azevedo pelas excelentes defesas que efectuou nomeadamente a defesa das duas grandes penalidades nos últimos 10'', pela negativa o não aproveitamento dos livres directos e penaltis (Diogo Lã falhou dois e Luís Querido falhou um penalti) que em caso de concretização teriam evitado tal sofrimento.

A equipa de arbitragem Minhota liderada por Rui Torres acabou por ter algumas decisões que prejudicaram a equipa Ribatejana, e daí se compreender alguns protestos por parte dos jogadores e banco motivado por essa mesma actuação, como se costuma dizer, são aquelas faltas apontadas a meio rinque e que quebram o rendimento da equipa e aqueles lances que só eles "os arbitros" conseguem ver e geralmente sempre com o mesmo "destinatário".

Crónica: José João P.C.
Fotos: Plurisports